jopeg

  • Moderador
  • Mensagens: 1465
Citação
Antonoaldo Neves vai ser o novo presidente da TAP

11.01.2018 às 10h32


http://expresso.sapo.pt/economia/2018-01-11-Antonoaldo-Neves-vai-ser-o-novo-presidente-da-TAP

Antonoaldo Neves, antigo presidente executivo da brasileira Azul, será o novo presidente executivo da empresa, confirmou o Expresso junto de fontes próximas da TAP. David Pedrosa, filho do acionista Humberto Pedrosa, manter-se-á na administração da empresa.

Margarida Fiúza

Está escolhido o próximo presidente executivo da TAP: trata-se de Antonoaldo Neves, antigo presidente executivo da brasileira Azul, apurou o Expresso. Antonoaldo substituirá Fernando Pinto, que abandona a gestão da empresa a 31 de janeiro, ao fim de mais de 17 anos na sua liderança.

Os membros do conselho de administração serão propostos pela Parpública e pelos privados da Atlantic Gateway até ao dia 16 – através de publicação no site da empresa – e a eleição decorre na assembleia geral a 31 de janeiro. Ao que o Expresso apurou, não haverá alterações do lado do Estado, que deverá estar de acordo com as propostas do consórcio privado - como chegou, aliás, a reconhecer Diogo Lacerda Machado, administrador não executivo da companhia aérea, em novembro, dizendo que o Estado não se iria opor à nomeação de Antonoaldo Neves para substituir Fernando Pinto na liderança da TAP.

David Pedrosa, filho do acionista Humberto Pedrosa, manter-se-á na administração da empresa, apurou também o Expresso.

Antonoaldo Neves, 42 anos, está ligado à aviação há anos, tendo antes sido sócio da consultora McKinsey, e já integrava a comissão executiva da TAP, como "Chief Commercial Officer". Antes de integrar a administração da TAP, foi presidente executivo da Azul Linhas Aéreas, de David Neeleman. Tem dupla nacionalidade, brasileira e portuguesa: nasceu no Brasil, sendo o seu avô de Oliveira de Azeméis.


http://expresso.sapo.pt/economia/2018-01-11-Antonoaldo-Neves-vai-ser-o-novo-presidente-da-TAP

Jopeg

jopeg

  • Moderador
  • Mensagens: 1465
Citação

Confirmado: Fernando Pinto sai da TAP a 31 de janeiro

11.01.2018 às 10h29


http://expresso.sapo.pt/economia/2018-01-11-Confirmado-Fernando-Pinto-sai-da-TAP-a-31-de-janeiro


Presidente executivo sai da companhia aérea ao fim de mais de 17 anos na empresa, apurou o Expresso. Saída será comunicada aos colaboradores hoje e aprovada na assembleia geral da TAP no último dia deste mês. Substituto já está escolhido

Margarida Fiúza

Está confirmado e já tem hora marcada: Fernando Pinto vai sair da presidência executiva da TAP, que liderava desde outubro do ano 2000. O Expresso sabe Pinto convocou uma reunião para esta manhã com altos quadros da transportadora, para comunicar a decisão.

Era uma saída quase anunciada mas ainda não tinha hora marcada. O mandato de Fernando Pinto como presidente executivo da TAP terminou em 2017 e a sua saída estava iminente. Agora, ao fim de 17 anos na liderança na TAP, é mesmo certo: Fernando Pinto deixará os comandos da companhia aérea a 31 de janeiro.

Em outubro, depois de Pinto ter dito que não sairia da TAP “em breve”, David Neeleman foi vago em relação à sua permanência como presidente executivo: “Da maneira que ele quer ficar aqui, vai sempre ter um lugar. Sempre precisaremos da sabedoria e do conhecimento dele.” “A decisão não é minha, é dos acionistas. A transição da privatização está no caminho certo. Fico enquanto a minha ajuda for precisa”, disse Fernando Pinto ao Expresso em novembro.

Fernando Pinto sai com a missão que queria ver cumprida – a TAP privatizada – e numa rota que perspetiva crescimento. Desde que foi privatizada, a TAP lançou 13 novas rotas. Em 2017, recordou o gestor recentemente, a companhia começou a voar para 11 novos destinos, recebeu oito novos aviões - “um aumento da frota em mais de 10%” -, reforçou a presença em mercados estratégicos, como Espanha e Alemanha, fez a consolidação da ponte aérea Lisboa-Porto, lançou o programa stop-over, que “é um sucesso”, e “continua a bater recordes” de tráfego. A companhia fechou o ano passado com mais de 14 milhões de passageiros transportados, o que significa um crescimento de 20% face ao ano anterior.

Além de antecipar um regresso aos lucros – “à conta de um bom desempenho da companhia aérea e de um atenuar de perdas” da TAP Manutenção & Engenharia Brasil –, a empresa projeta lançar novas rotas e receber seis novos aviões no próximo ano.

Os novos membros do conselho de administração serão propostos pela Parpública e pelos privados da Atlantic Gateway até ao dia 16 – através de publicação no site da empresa – e a eleição decorre na assembleia geral a 31 de janeiro. A nova administração já está escolhida.


http://expresso.sapo.pt/economia/2018-01-11-Confirmado-Fernando-Pinto-sai-da-TAP-a-31-de-janeiro

Jopeg

VNE

  • Mensagens: 1020
Já se sabia há muito.

toto1100

  • Mensagens: 2154
Bem que podias ter dito entao. :)

pedferre

  • Mensagens: 280
Bem não se podem queixar do novo CEO ser apenas um brasileiro, teve um avô portugues, logo também tem sangue portugues. :)

Carnim

  • Mensagens: 872
Sinceramente acho que já devia ter saído a algum tempo... mas isto é uma opinião pessoal.

toto1100

  • Mensagens: 2154
Concordo. Por muito merito que tenha tido em aguentar a TAP e a ter tornado mais independente dos politicos, nunca conseguiu verdadeiramente dar a volta á companhia.

MannyV

  • Mensagens: 777
Obrigado ao Sr. Fernando Pinto pelo seu trabalho, mas acho que a entrada de sangue novo e novas ideias em principio sera vantajoso.

VNE

  • Mensagens: 1020
Bem que podias ter dito entao. :)

Escrevi aqui quando se anunciou a sua vinda para a TAP, basta procurar.

jopeg

  • Moderador
  • Mensagens: 1465
Citação

TAP: 17 anos de voos altos e baixos com Fernando Pinto

Uma cronologia dos principais acontecimentos que marcaram a gestão do brasileiro, que sai agora da liderança da companhia aérea. Não é, no entanto, uma despedida da empresa

2018-01-11 11:50   / VC
       
O voo de Fernando Pinto à frente da TAP começou no início do milénio, em 2000. Entrou na empresa com uma missão, que disse num encontro com jornalistas em dezembro do ano passado, lhe foi dita logo no primeiro dia: privatizar a companhia. Aconteceu, 15 anos depois. Sai agora da liderança, com esse check na lista. Durante os seus 17 anos de gestão, a empresa viveu períodos mais positivos, outros mais conturbados.

Enfrentou dificuldades, nomeadamente a falta de capital e a dívida, o grupo a registar prejuízos, a necessidade de reestruturação da frota, as flutuações cambiais e várias greves.

E, claro, a chegada das low cost veio mexer com o mercado e também a TAP teve de se adaptar. Criou a ponte aérea entre Lisboa e o Porto, tornou-se líder na operação entre a Europa e o Brasil.

A dimensão da empresa quase triplicou, entre receitas, passageiros, rotas e aviões nestes anos. É, também, uma das maiores empresas empregadoras nacionais, com 8 mil trabalhadores.

Esta cronologia inclui alguns dos principais acontecimentos e conquistas.


2000

Fernando Pinto chega à TAP, acompanhado por Manoel Torres, Michael Conolly e Luiz da Gama Mór na equipa de gestão.

Nessa altura, a companhia voava para 38 destinos, com 35 aeronaves. Transportava 5,4 milhões de passageiros.

O resultado da TAP nesse ano foi de 110 milhões de euros negativos.

2003

O Governo cria a TAP SGPS, no âmbito da reestruturação económico-financeira da companhia aérea portuguesa.

Nesse ano, a TAP SA teve resultados positivos de mais de 19 milhões de euros.

2005

A comemoração dos 60 anos da TAP foi feita com o lançamento de uma nova imagem, com um novo logótipo, o quinto desde que a TAP foi fundada. Também passou a ter uma nova designação: TAP Portugal.

A 14 de março, a TAP integrou a Star Alliance, a primeira e maior aliança de companhias aéreas em todo o mundo. Fechou o ano com resultados positivos, 3,6 milhões de euros.

O então ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, António Mexia, garantia que Fernando Pinto continuaria à frente da companhia, o que veio a verificar-se.

Foi também nesse ano que o gestor assumiu Presidência da Associação de Companhias Aéreas Europeias (AEA).

2006

A TAP compra e assume o controlo da Variglog e da VEM, do antigo Grupo Varig (hoje TAP Manutenção & Engenharia), o maior Centro de Manutenção da América do Sul.

Número recorde de 47 frequências semanais diretas para o Brasil.

2007

Integração operacional da PGA na TAP.

A companhia recebe o primeiro A330 diretamente do fabricante.

Fernando Pinto como Presidente do Conselho da IATA (entre 2007 e 2008).

TAP considerada 10ª Companhia Aérea Mais Segura do Mundo, pela revista Newsweek.

2008

A TAP atinge o recorde de 33.464 passageiros transportados num só dia.

No conjunto do ano, transportou mais de 8 milhões de passageiros, um acréscimo de 1 milhão face ao ano anterior.

Foi considerada a Companhia Aérea do Ano, nos prémios Os 10 Mais do Turismo de 2007.

2009

Foi distinguida pelo Prémio Planeta Terra 2010 (atribuído pela UNESCO e União Internacional de Ciências Geológicas), em reconhecimento do Programa de Compensação de Emissões de CO2 da TAP. Foi a primeira, em todo o mundo, a lançar este programa.

Cresceu 20% no mercado brasileiro e, no mesmo ano, fleita Companhia Aérea Líder Mundial para a América do Sul (16ª edição World Travel Awards).

2010

A TAP, S.A. obteve o melhor resultado de sempre, com lucros de 62,3 milhões, que permitiram à companhia regressar a uma situação líquida positiva.

2011

Foi classificada como a Mais Segura Companhia Aérea da Europa Ocidental e a quarta Mais Segura de todo o Mundo, segundo o relatório da Jet Airliner Crash Data Evaluation Centre - JACDEC.

2012

Ultrapassou os 10 milhões de passageiros transportados num único ano, um valor nunca antes alcançado.

2014

TAP ganhou 11 novos destinos.

Também nesse ano, tornou-se líder de operação no Brasil, com voos diretos à partida de Lisboa e Porto, para 12 destinos com voos bi-diários em algumas rotas. Por companração, em 2000, servia cinco destinos no Brasil, nenhum diário, e alguns deles em voos combinados.

Foi distinguida pela Câmara de Comércio Americana em Portugal com prémios AmCham, reconhecendo a companhia como veículo para a aproximação entre Portugal e os EUA.

2015

O ano da privatização. O consórcio Atlantic Gateway tornou-se o novo acionista.

Compra de 53 novos aviões e investimento de 70 milhões de euros para atualização dos interiores da frota existente.

Fernando Pinto distinguido como “Gestor do Ano do Setor Privado”, pelos Amadeu Brighter Awards.

2016

Com a extinção da marca PGA, nasce a marca TAP Express e a frota é renovada (17 novos aviões, oito aviões ATR72 e nove Embraer 190).

Nova estrutura acionista, com os chineses Hainan Airlines.

Criação da Ponte Aérea, com ligações diárias de hora a hora entre o Porto e Lisboa.

Lançamento do programa Portugal Stopover, um programa que pretende atrair turistas para Portugal. Surge como um convite aos passageiros em trânsito, sobretudo dos Estados Unidos, a fazerem uma escala de mais de um dia no país

Mais de 90 mil clientes de todo o mundo da eDreams destacaram a TAP no TOP 10 das melhores companhias aéreas do mundo.

Grupo TAP terminou ano com prejuízos, ao contrário da companhia.

2017 

TAP volta ao passsado e recupera a designação TAP Air Portugal, que foi utilizada entre 1979 e 2005.

Abril/Mario: oferta pública de venda (OPV) aos trabalhadores da TAP, de 5% das ações representativas do capital social da TAP SGPS, que lhes foi reservada no processo de privatização do grupo.

Companhia terminou o ano com mais de 14 Milhões de passageiros transportados, um crescimento de 21,7% face ao ano anterior.

As rotas dos Açores e da Madeira, no seu conjunto, ultrapassaram pela primeira vez a marca de um milhão de passageiros

Pela primeira vez, a TAP ultrapassou também um milhão de passageiros num único ano no conjunto das rotas de África

Fernando Pinto teve vários reconhecimentos no seu último ano na companhia:

Prémio de Sustentabilidade Reputacional, entregue a uma personalidade que, ao longo dos últimos 10 anos, registe índices de excelência ou robustez de uma forma sustentada em Portugal
Prémio Flight Airline Business Award, em Londres, pela “contribuição excecional para a indústria da aviação”.
Prémio WOCA, como reconhecimento das relações empresariais, económicas e sociais entre o Brasil e Portugal
A TAP também recebeu vários prémios:

Companhia Aérea do Ano - TAP Express, operada pela Portugália Airlines e marca da frota regional da TAP -, pela Associação de Companhias Regionais da Europa (ERA).
Prémios de Meios no setor Turismo e Lazer, nos Prémios SAPO: Ponte Aérea Guerrilha
CAPA Airline Turnaround of the Year por parte da CAPA – Centre for Aviation.
Companhia Aérea Europeia Líder para África e Companhia Aérea Europeia Líder para a América do Sul. Revista de Bordo, a UP, conquistou o prémio de Revista de Bordo Líder na Europa na última edição dos World Travel Awards.
Portugal Stopover premiado nos Digital Communication Awards, na categoria de Lançamento de Produto.
Prémio Four Star Global Airline por parte da APEX - Airline Passenger Experience Association.
Melhor Companhia de Aviação pelos prémios Publituris
Menção honrosa para o projeto Flytap nos Portugal Digital Awards
O safety video da TAP, The Journey, soma várias distinções internacionais.
1º e 3º lugares aos vinhos servidos pela TAP em classe executiva, pela revista norte-americana Global Traveler.
Melhor Companhia Aérea para a Marketeer “pelo trabalho desenvolvido em Portugal na área do Marketing, Publicidade e Comunicação.
Melhor Transportadora de Carga Aérea 2016, para a TAP Cargo, pela revista Logística & Transportes Hoje.
Prémios Human Resources na categoria de Promoção de Saúde e Bem-Estar, também para a TAP Cargo.
O programa TAP Victoria foi distinguido pelos Freddie Awards.   
TOP 3 de empresas mais atrativas para trabalhar, distinção atribuída pelo Randstad Award.
A tripulação mais bonita, segundo a revista Monocle

2018

Esperam-se novos aviões state-of-the-art para breve.

A TAP será a primeira companhia aérea a operar o novo A330neo e a sua cabina Airspace.


http://www.tvi24.iol.pt/economia/sai/tap-17-anos-de-voos-altos-e-baixos-com-fernando-pinto

Jopeg

jopeg

  • Moderador
  • Mensagens: 1465
Citação

VEJA AQUI A MENSAGEM DE DESPEDIDA DE FERNANDO PINTO DE CEO DA TAP

11-01-2018 (11h42)


“Os acionistas da Atlantic Gateway já propuseram o nome de Antonoaldo Neves para assumir a liderança, enquanto CEO da TAP, após a aprovação em AG no dia 31 de Janeiro”, assim anuncia Fernando Pinto a sua saída da liderança da gestão executiva da TAP em mensagem aos trabalhadores que o PressTUR publica na íntegra.

“Caros colegas

É com grande orgulho que comunico que em breve estarei me afastando da direcção executiva da nossa Empresa.

Estes 17 anos na TAP foram a experiência mais enriquecedora da minha carreira. Não teria conseguido fazê-lo sem cada um de vós, de todos, os que já cá estavam quando cheguei e de todos os que foram entrando e que vi crescer profissionalmente com o passar dos anos, tal como a Companhia.

Só uma empresa feita de grandes profissionais nas várias áreas que a compõem consegue crescer como a TAP cresceu nestes últimos 17 anos. A TAP é hoje três vezes maior do que quando eu aqui cheguei e cresceu muito também neste dois anos de privatização. É hoje também uma das maiores empregadoras do País. Saio com a certeza de que a empresa está numa rota de crescimento. O nosso caminho é crescer. E irei acompanhar esse crescimento de perto, uma vez que continuarei ligado à companhia nos próximos dois anos enquanto assessor da TAP.

Não é assim, nem jamais será, um adeus. É altura de fazer um balanço e ele é muito positivo.

Há 17 anos, quando cheguei à TAP, tinha como missão privatizar a empresa. Foi, como todos sabemos, um processo difícil, feito de muitos obstáculos e dificuldades. A TAP era já então uma grande empresa, feita de excelentes profissionais, com uma história consistente, digna de uma Companhia que representa um País.

No entanto, enfrentava constrangimentos de ordem financeira que impunham a privatização. E enquanto esse objectivo não se concretizava, a empresa tinha de sobreviver. Esse foi um dos maiores desafios da minha equipa de gestão. Foram 15 anos de sobrevivência. Sobreviver à falta absoluta de capital, às imensas flutuações cambiais, à reestruturação da frota e por fim à chegada das low cost. Lembro de momentos de grandes desafios mas, acima de tudo, momentos de superação, em que foi possível, com a ajuda de todos, acreditar que a empresa tinha futuro.

A estratégia passou sobretudo por olhar além-fronteiras e tirar partido da posição geográfica do hub de Lisboa. Crescer. Aumentar rotas no Brasil, África e Europa. Tornámo-nos então na companhia aérea líder nas ligações entre a Europa e o Brasil. Encontrámos o nosso espaço, na cada vez mais competitiva indústria da aviação. E fizemos aliados. Associamo-nos à maior aliança de companhias aéreas, a Star Alliance, porque sabíamos que tínhamos de estar entre os melhores. Por isso, o balanço que faço desses anos é extremamente positivo. Todos souberam lidar com as adversidades e continuar a acreditar na empresa. Vestir a camisola, como é apanágio de todos aqui dentro.

A privatização da empresa, concretizada há dois anos, permitiu iniciar um novo ciclo na TAP. A meta que tinha imposto a mim e à minha equipa foi finalmente atingida. Era vital para a empresa, como se pode comprovar hoje, após este período de resultados extremamente positivos. A empresa tem atingido resultados históricos sucessivos e a sua saúde financeira é cada vez mais uma realidade, o que nos permite ter grande confiança no caminho que estamos a seguir.

Os verdadeiros heróis destes resultados são todos vós. É com profundo reconhecimento que vos agradeço e a todos os membros da minha equipa que me acompanharam. Destaco o nome de Manoel Torres, a quem devemos o facto de o hub de Lisboa ser uma realidade.

A TAP é hoje uma companhia com uma estratégia clara e bem definida, bem posicionada numa estratégia de crescimento. Fechámos o ano com mais de 14 Milhões de passageiros transportados. Uma meta que parecia inalcançável até há bem pouco tempo. Tem um quadro accionista estável, parcerias e alianças que lhe permitem voar mais alto numa quadro global, com uma nova equipa de excelência, preparada e conhecedora da realidade da empresa e que tenho vindo a acompanhar, e continuarei a fazê-lo, desde a privatização. Os accionistas da Atlantic Gateway já propuseram o nome de Antonoaldo Neves para assumir a liderança, enquanto CEO da TAP, após a aprovação em AG no dia 31 de Janeiro.

Não podia estar mais contente e entusiasmado com esta escolha para assumir os destinos da TAP. É a pessoa certa, e pela qual tenho grande admiração. Aliás, fui eu mesmo quem o convidou para nos ajudar no programa de crescimento que lançámos há dois anos, o que lhe permitiu conhecer detalhadamente a Companhia. É um profissional com grande know how no sector, com experiência enquanto consultor da Mckinsey e membro do Conselho de Administração da empresa brasileira de aeroportos, a convite do Estado brasileiro. Executivo de perfil internacional ligado ao sector da aviação há cerca de 15 anos, foi também responsável pela colocação na Bolsa de NY e de SP da Azul Linhas Aéreas, no que foi o primeiro IPO de uma empresa brasileira nos últimos três anos. Além disso, temos mais em comum: o Antonoaldo, tal como eu, tem antepassados do Norte e também tem cidadania portuguesa.

Estou absolutamente seguro de que com a liderança de Antonoaldo, a TAP continuará neste incrível processo de crescimento. Assim, o meu sentimento hoje é de absoluta realização profissional e pessoal. De missão cumprida. A empresa está no bom caminho e sinto-me plenamente realizado.

Cabe agora aos accionistas iniciarem um novo ciclo com a eleição do meu sucessor para o lugar de presidente executivo da TAP, o que deverá acontecer já na próxima Assembleia Geral, a realizar no próximo dia 31 de Janeiro.

Eu, como todos vocês, tenho e sempre terei muito orgulho nesta empresa. Acredito que devemos todos sentir-nos felizes ao ver aquilo em que a TAP se transformou: numa empresa notável que em 17 anos triplicou o seu tamanho: Três vezes mais receitas, três vezes mais passageiros, três vezes mais rotas e três vezes mais aviões. Hoje a Companhia está presente em 85 destinos, em 35 países. Reconhecida com múltiplos prémios. E muito em breve terá novos aviões. Todo esse crescimento trouxe um incrível aumento do sector turístico e da economia de Portugal. Todos nós devemos estar muito orgulhosos do contributo que demos para o crescimento do nosso país.

Continuarei sempre a acreditar na TAP, porque sei que ela tem os melhores profissionais com quem tive o gosto de trabalhar ao longo dos últimos 17 anos”.


http://www.presstur.com/empresas---negocios/aviacao/veja-aqui-a-mensagem-de-despedida-de-fernando-pinto-de-ceo-da-tap/

Jopeg

VNE

  • Mensagens: 1020
Concordo. Por muito merito que tenha tido em aguentar a TAP e a ter tornado mais independente dos politicos, nunca conseguiu verdadeiramente dar a volta á companhia.

Pois não, conduziu a TAP no pós colapso das Swisair. Conseguiu concluir a privatiização parcial da TAP, a principal tarefa que lhe foi pedida pelo governo, socialista na altura.

Criou um Hub em Lisboa.
Aumentou exponencialmente a frota e os destinos.
Aumentou o número de trabalhadores,

Pelo,caminho viu desaparecer a Swisair, Sabena Air Berlin, Niki, Malev, Olimpic, Alitália, Monarch, etc.

Cometeu erros? Pois, eu não cometi nenhum, não estava lá.

CS-TOA

  • Mensagens: 306
Há quem tenha memória curta. Deu a volta à TAP sim.
Transformou a TAP duma companhia que só tinha tido gestores do estado, que não percebiam nada de aviação, criou um nicho de mercado pouco explorado e com isso criou o hub de Lisboa.
A única pedra no sapato, foi a VEM, mas tal se deveu à chantagem do governo brasileiro de Lula, para permitir mais frequências no Brasil.
Muito obrigado FP!

toto1100

  • Mensagens: 2154
E no entanto continua a nao dar dinheiro nenhum. Caso algumas pessoas nao se lembrem é para isso que uma empresa serve.
Mas obrigado pelo ataque ad hominem.

pedferre

  • Mensagens: 280
Bem a medida que a Azul e a própria TAP aumentam a frota, algum dia a VEM vai estar adequada a dimensão destas companhias e deixar de dar tanto prejuizo.

Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Aviso: este tópico não tem nenhuma mensagem nova há, pelo menos, 90 dias.
A não ser que tenha a certeza que quer responder, por favor, considere a hipótese de criar um novo tópico.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 

Tópicos Relacionados

  Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
62 Respostas
9968 Visualizações
Última mensagem 10 de Agosto 2014, 12:40:51
por jopeg
1 Respostas
970 Visualizações
Última mensagem 10 de Junho 2015, 17:56:57
por Spak
7 Respostas
1799 Visualizações
Última mensagem 23 de Junho 2015, 08:54:04
por ClearedForTakeOff
31 Respostas
3038 Visualizações
Última mensagem 30 de Junho 2015, 14:26:28
por Spak
0 Respostas
617 Visualizações
Última mensagem 24 de Outubro 2017, 17:56:13
por jopeg

Total 80+0=80 ms, db 0 ms, php 80 ms