Leia atentamente as regras do fórum. Insultos e ataques pessoais a outros membros serão punidos.

Resposta

Aviso - enquanto esteve a ler, foram enviadas 2 novas respostas a este tópico. Verifique se quer voltar a ler o tópico.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.

Nome:
Email:
Verificação:

Atalhos: pressione alt+s para enviar ou alt+p para pré-visualizar


Resumo do Tópico

Enviado por: nunopinheiro
« em: 26 de Novembro 2019, 10:59:20 »

Citação
fuel cells or hydrogen power
, Yeap. Em termos de densidade energética é das únicas soluções.
Enviado por: toto1100
« em: 26 de Novembro 2019, 10:13:18 »

Opiniao de um tecnico da DLR (para quem nao conhece é possivelmente o mais importante centro de investigacao em aeronautica na Europa): https://www.flightglobal.com/news/articles/viable-electric-aircraft-remain-decades-away-dlr-462513/

Citação
Viable electric aircraft remain decades away: DLR



Airline chief executives hoping that the development of electric aircraft will boost the industry's environmental credentials will have to wait many years yet, an expert has warned.

Andreas Kloeckner from German aerospace research centre DLR outlined the current state of electric aircraft development at IATA's Wings of Change conference in Berlin on 19 November.

He notes that current research is focusing on small commuter-sized electric aircraft of around 19 seats, but that transports such as these are unlikely to fly before the late 2020s.

Larger aircraft that could match the capacity of an Airbus A320 or a Boeing 737 will require new technologies such a fuel cells or hydrogen power, probably working alongside batteries, and will not be ready until around 2040, Kloeckner estimates.

"The solution that we believe we can do is build a hybrid electric aircraft where there will be a system of hydrogen combustion generator plus battery, or fuel cells plus battery,” Kloeckner says.

Under current technology, powering an A320-size jet for just 1h would require a battery roughly the same size as the aircraft.

Despite the technological challenges of creating electric aircraft, doing so would bring numerous benefits.

As well as reducing carbon emissions and other pollutants, electric aircraft would produce significantly less noise and be easier and cheaper to maintain, on account of the reduced complexity of engines that have fewer moving parts. Electric motors can also be easily scaled, meaning that small engines can be as efficient as large ones. This offers the opportunity to alter the configurations of aircraft design.

However, developing electric aircraft will also require huge investments in the infrastructure for hydrogen or fuel cells, which would need to be the same globally. Batteries are also only environmentally friendly if they are charged with electricity from sustainable sources, Kloeckner notes.
Enviado por: toto1100
« em: 18 de Junho 2019, 16:17:50 »

A Airbus diz que quer ter avioes hibridos á venda em 2035: https://www.apnews.com/d8d911a9f1844df1a314a42c346e74a4
Enviado por: toto1100
« em: 28 de Maio 2019, 12:35:31 »

Que ha para desenvolver no hidrogenio sequer?
Ha muito mais para desenvolver nas baterias.
Enviado por: nunopinheiro
« em: 22 de Maio 2019, 15:33:53 »

Há áreas onde as baterias eletrificas continuaram a fazer muito sentido. QQ situação é que possamos carregar e descarregar localmente, mesmo nos automóveis para quem usar pouco um automóvel em trajetos curtos a bateria provavelmente é a melhor solução sem ter de carregar uma fuel cell e um deposito de hidrogeno.
os carros a hidrogeneo Tem eles próprios baterias de dimensão muito considerável.
Enviado por: Byte Boador
« em: 22 de Maio 2019, 14:24:47 »

As baterias elétricas estão cá para dar tempo ao hidrogénio, (leia-se tecnologia),  ser devidamente desenvolvido
Enviado por: Rex
« em: 22 de Maio 2019, 13:04:11 »

Pois, há vários tópicos que andam a abordar coisas semelhantes e não sabia aonde meter.
Sempre tive curiosidade de saber uma métrica comparativa dum NB ou WB puramente eléctrico e parece que alguém fez as contas para saber quanto longe estamos disso. Durante muito tempo os progressos terão que ser soluções híbridas.

Tem estado a decorrer o evento Airbus Innovation Days 2019 aonde se tem falado de muita coisa desta área

https://twitter.com/hashtag/airbusid?f=tweets&vertical=default&src=unkn
https://www.airbus.com/newsroom/events/airbus-innovation-days-2019.html
Enviado por: nunopinheiro
« em: 22 de Maio 2019, 12:56:39 »

Rex tem piada mas no outro coiso estava a falar nisso.
https://pubs.rsc.org/en/content/articlelanding/2019/ee/c8ee02499e#!divAbstract
https://www.kubagen.co.uk/

pelas minhas contas eles atingem um valor energético por litro*kg util de 12,3 vs 17,2 do jet fuel... já é muito interessante.

o coiso deles num m³ consegue guardar de forma util a 90% 25.534,8 MJ de energia com um peso de 2080 kg
VS 14000 MJ  de energia util a 40% com um peso de 814 kg no caso do jet fuel.

Brutal vantagem do hidrogeno é que o tempo de carga é semelhante ao de qq outro combustível.
Enviado por: Rex
« em: 22 de Maio 2019, 12:41:35 »

Enviado por: aviationlover
« em: 29 de Março 2019, 20:54:58 »

Mas o publico em geral depois pensa antes falar, então depois como é que viajamos?
Enviado por: Tomás Ribeiro
« em: 29 de Março 2019, 20:52:41 »

E de facto é aviationlover, mas não confio no público em geral para chegar a essa conclusão... Não sei se me faço entender... Para o comum dos mortais, os aviões poluem. Ponto final. tentar explicar a impossibilidade de um avião eléctrico com a tecnologia atual não é fácil a certos ambientalistas mais ferozes.
Enviado por: aviationlover
« em: 29 de Março 2019, 20:48:00 »

Ainda temos muito que esperar pelos aviões eléctricos o que eu estou curioso é para ver como é que as coisas vão evoluir até lá com os turbofans. E também estou para ver quando é que o grande público em geral se começa a lembrar do impacto ambiental de voar. Porque até agora toda a gente tem andado muito ocupada com os popós porque são as primeiras coisas que vêem a deitar fumo, mas ainda não se lembraram à séria dos aviões... Basta contar às pessoas que o combustível nos aviões se mede em toneladas para as por a pensar...

Mas Tomás eu acho que isso é um bocado falso, vá digamos assim, falso no sentido de dizerem que os aviões poluem bastante e até diziam que o buraco do ozono era provocado pelas aeronaves, mas depois a comunidade cientifica disse que não foram nem são as aeronaves que provocam o buraco no ozono mas sim outras causas naturais, por isso é que digo, o impacto ambiental é relativo.
Enviado por: brunodias
« em: 29 de Março 2019, 19:51:18 »

Pessoalmente acho que a nivel de motores isto nem esta muito avançado, e digo isto porque vejam 1 cessna consume na casa dos 25 a 30 litros, um ultraleve pode consumir 12 litros, tudo isto hora, e isso não me parece valores assim tão baixos quanto isso, tantos anos de evolução mas será que um cessna 172 de 1970 ou 80 consumia muito mais que um actual???

Secalhar pode ter melhorado a nivel dos comerciais mas........
Nos comerciais é facil dizer que consume menos, depois há que ver em relação ao que, se for ao passageiro, basta aumentar o numero de passageiros e já consome menos etc
Enviado por: Byte Boador
« em: 29 de Março 2019, 19:42:48 »

Ainda temos muito que esperar pelos aviões eléctricos o que eu estou curioso é para ver como é que as coisas vão evoluir até lá com os turbofans. E também estou para ver quando é que o grande público em geral se começa a lembrar do impacto ambiental de voar. Porque até agora toda a gente tem andado muito ocupada com os popós porque são as primeiras coisas que vêem a deitar fumo, mas ainda não se lembraram à séria dos aviões... Basta contar às pessoas que o combustível nos aviões se mede em toneladas para as por a pensar...

Antes de pensarem nos aviões, que se virem para os barcos. Esses sim, grande poluidores
Enviado por: António Costa
« em: 29 de Março 2019, 19:16:08 »

Não mostrem isto ao Acacio, se não, não se cala ;D

Mas eu sou bastante céptico em relação a aviões 100% elétricos, mas se alguma dia aparecerem dou o meu braço a torçer.
Ele não se atrevia a ir a mais nenhum tópico porque lá no fundo todos sabemos, de aviação ele percebia 0.

Quase me atreveria a dizer que o "dito cujo" fez um qualquer Mestrado em Ambiente ou numa variante qualquer à custa dos nossos estimados foristas dado que o material que lhe foi fornecido foi imenso e de qualidade.
Total 89+1=90 ms, db 0 ms, php 90 ms