Leia atentamente as regras do fórum. Insultos e ataques pessoais a outros membros serão punidos.

Resposta

Aviso: este tópico não tem nenhuma mensagem nova há, pelo menos, 90 dias.
A não ser que tenha a certeza que quer responder, por favor, considere a hipótese de criar um novo tópico.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.

Nome:
Email:
Verificação:

Atalhos: pressione alt+s para enviar ou alt+p para pré-visualizar


Resumo do Tópico

Enviado por: nunopinheiro
« em: 21 de Novembro 2017, 12:33:16 »

Milão de certeza com o E190, seja bem vinda a TAP.

Entretanto esperemos que as obras no taxi way F arranquem este ano pois ainda vai-se esgotar a capacidade do AFSC antes da Portela.
Enviado por: jferreira20
« em: 21 de Novembro 2017, 12:22:35 »

Miguel Frasquilho: “TAP vai ampliar e reforçar operação e rotas a partir do Porto no próximo ano”

Em entrevista ao Jornal Económico, o 'chairman' da linha aérea diz que as "difíceis decisões tomadas no início da privatização serão em breve ultrapassadas" com um reforço dos vôos para a Europa e para outros continentes a partir do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. "A TAP nunca esteve de costas voltadas para o norte", garante.

Novas rotas, reforço de rotas já existentes e rotas que vão ser retomadas, já no próximo ano. É esta a promessa de Miguel Frasquilho, ‘chairman’ da TAP, para uma ampliação e um reforço da operação da linha aérea nacional no Porto, numa estratégia que visa inverter os cortes implementados após a privatização em 2015 e que resultaram em duras críticas, especialmente de Rui Moreira, autarca da cidade nortenha.

“Se analisarmos a história da TAP e a relação da TAP não só com o Porto e o Norte, mas também com outras regiões do país, poderia citar o Algarve, os Açores e a Madeira, são relações que conhecem altos e baixos, é normal, isso acontece”, frisa, em entrevista ao Jornal Económico.

“No início da privatização, devido a um conjunto de fatores, houve necessidade de tomar um conjunto de decisões que foram difíceis, não foram decisões fáceis, mas são decisões que estão numa fase que serão ultrapassadas a muito breve trecho”, adianta Frasquilho, que esta terça-feira vai discursar sobre o tema ‘Mercados Internacionais: Abordagem e Estratégia’, na conferência Business on the Way organizada pela Associação Empresarial de Portugal (AEP) no Porto e na qual o Jornal Económico é media partner.

O presidente do conselho de administração da linha aérea realça que, tendo em conta o crescimento que a TAP está a registar, a operação no Porto, que serve o norte do país, vai conhecer uma ampliação e vai ser fortalecida a partir do próximo ano e dos anos seguintes. “Vai haver novas rotas, vai haver um reforço de rotas já existentes e vai rotas que serão retomadas”.

Frasquilho explica que não pode ainda divulgar  detalhes sobre as rotas, porque por questões de concorrência isso só poderá acontecer quando todos os aspetos operacionais e de timing estiverem garantidos. “O que posso dizer é que a partir do próximo ano e durante os anos seguintes, quer em vôos continentais, portanto para a Europa, quer em vôos intercontinentais, a operação a partir do Porto será reforçada”, frisa, adiantando que esse reforço não irá colocar em causa a ponte aérea entre o Porto e Lisboa, uma operação que diz “tem sido um sucesso enorme”.

Rotas para todos os gostos

“Ligando com aquilo que foi a minha experiência como presidente da AICEP entre 2014 e 2017, eu conheço muito bem o tecido empresarial português e conheço, por maioria de razão, o tecido empresarial do norte do país, é lá que está sediado o maior número de PMEs que nós temos e é um tecido empresarial muito dinâmico, muito produtivo, um tecido empresarial por excelência”, refere Frasquilho.

“Penso que vai haver, no fundo, rotas para todos os gostos. Rotas que vão dinamizar o turismo, que vão dinamizar o tecido empresarial da região, que são do gosto de muitos empresários, e que portanto refletem uma aposta da TAP numa aproximação aos agentes económicos do norte do país”, explica.

Questionado sobre se o reforço irá significar um aumento de recursos humanos, o chairman diz que significa um aumento na TAP em geral, nomeadamente nos recursos para o transporte aéreo. “Estamos a falar de assistentes de bordo, comissários, pilotos e co-pilotos. Diria que ao longo dos próximos meses teremos um total de cerca de 700 novas admissões na TAP, para esta categorias específicas”.

Frasquilho refere que ainda é cedo para fazer um balanço da Taste Porto, uma iniciativa de charme e na qual a linha aérea fez parcerias com importantes instituições culturais e gastronómicas da cidade, como por exemplo a Casa da Música e Fundação de Serralves. “O nosso objectivo ao anunciar essa iniciativa é obviamente um reforço da nossa aposta no Porto”, explica.
“Na verdade, a TAP nunca esteve distante, nem nunca esteve de costas voltadas para o norte, da mesma forma que o norte nunca esteve de costas voltadas para a TAP. O que existe agora são as condições para que haja um reforço efectivo da nossa operação no Porto”, conclui Frasquilho.


http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/miguel-frasquilho-tap-vai-ampliar-e-reforcar-operacao-e-rotas-a-partir-do-porto-no-proximo-ano-235349
Enviado por: FLopes
« em: 30 de Outubro 2017, 23:26:04 »

E que dizer de BCN, com a actual situação política?
Enviado por: jferreira20
« em: 30 de Outubro 2017, 11:13:58 »

Consegui imagina uma dúzia de rotas mais prováveis que PDL, muito sinceramente.
Enviado por: Airliner
« em: 29 de Outubro 2017, 14:35:28 »

O que vem lá do Porto e ponta delgada, Barcelona e Milão.
PDL? Diário?
Acho estranho que seja PDL, tendo em conta que para os Açores, através da Ponte Aérea, são passageiros com destino à Terceira que usam mais este serviço. PDL com Sata, TAP e Ryanair poderá dar em excesso de oferta.
Sim, mas a TAP capta bastante tráfego europeu e fazer Paris ou Londres/Açores via Porto fica mais rápido e barato que via LIS
Ponto a Ponto, o mercado não necessita de mais frequências. Ryanair e Sata são suficientes. Para além disso, entre Janeiro e Abril, existem sempre voos cancelados por falta de passageiros.
Enviado por: Franmed
« em: 29 de Outubro 2017, 14:28:14 »

O que vem lá do Porto e ponta delgada, Barcelona e Milão.
PDL? Diário?
Acho estranho que seja PDL, tendo em conta que para os Açores, através da Ponte Aérea, são passageiros com destino à Terceira que usam mais este serviço. PDL com Sata, TAP e Ryanair poderá dar em excesso de oferta.

Sim, mas a TAP capta bastante tráfego europeu e fazer Paris ou Londres/Açores via Porto fica mais rápido e barato que via LIS
Enviado por: Airliner
« em: 29 de Outubro 2017, 14:18:39 »

O que vem lá do Porto e ponta delgada, Barcelona e Milão.
PDL? Diário?
Acho estranho que seja PDL, tendo em conta que para os Açores, através da Ponte Aérea, são passageiros com destino à Terceira que usam mais este serviço. PDL com Sata, TAP e Ryanair poderá dar em excesso de oferta.
Enviado por: New Engine Option
« em: 29 de Outubro 2017, 13:27:02 »

O que vem lá do Porto e ponta delgada, Barcelona e Milão.
Enviado por: jferreira20
« em: 29 de Outubro 2017, 13:18:10 »

Antes de qualquer especulação, é preciso perceber o que a TAP quer para o Porto:

- Ficou assustada com a entrada da United e Air Canada Rouge e está com medo de perder passageiros em Lisboa? Então aposto no reforço de São Paulo?
- A Star Alliance não quer perder a predominância que tem no Porto, depois dos regressos da AF e da KLM? Então vejo a TAP a voar para um monte de hubs Star Alliance, como MUC, BRU, DUS, VIE, etc.
- A TAP quer aproveitar o facto do combustível (ainda) estar barato e haver aviões em barda disponíveis no mercado após as falências da Monarch, AB e Alitalia? Então imagino que Milão, Nice, Sevilha ou Roma possam estar na lista.
Enviado por: CS-TJF
« em: 29 de Outubro 2017, 00:36:55 »

É suposição! Aposto em FAO, PDL, MXP, BRU, LCY, BCN, NCE/MRS, YYZ, BOS!
Enviado por: Flyz
« em: 29 de Outubro 2017, 00:05:13 »

Se fosse, seria de atr..
Enviado por: nunopinheiro
« em: 28 de Outubro 2017, 23:57:14 »

OPO>FAO>OPO!!  E190 S18 Deve ser suposição, era serviço publico sem duvida, mas... não consigo ver o interesse estratégico. Talvez uma aposta em melhorar a imagem da companhia tanto no OPO como em FAO, 100% a favor... mas.... não sei..
Enviado por: Airliner
« em: 28 de Outubro 2017, 23:42:04 »

OPO>FAO>OPO!!  E190 S18
Confirmado?
Enviado por: CS-TJF
« em: 28 de Outubro 2017, 23:16:06 »

OPO>FAO>OPO!!  E190 S18
Enviado por: António Costa
« em: 28 de Outubro 2017, 22:21:06 »

A SATA ia cancelar o OPO-TER no inverno IATA, a entrada da FR na rota fez estragos.
PDL já há SATA com codeshare e FR, mais os vôos via Lisboa... acho difícil Açores desde OPO direto com a TAP.

A sata efetuou o último voo 5ªfeira mas existe mercado OPO-TER. Basta ver os voos da Ryanair a 3ª e sábado e estão sempres acima dos 90% de ocupação. Havendo mais frequencias, de certeza que os passageiros via ponte aerea prefeririam o direto.
Total 86+0=86 ms, db 0 ms, php 86 ms