Leia atentamente as regras do fórum. Insultos e ataques pessoais a outros membros serão punidos.

Resposta

Aviso - enquanto esteve a ler, foram enviadas 21 novas respostas a este tópico. Verifique se quer voltar a ler o tópico.
Aviso: este tópico não tem nenhuma mensagem nova há, pelo menos, 90 dias.
A não ser que tenha a certeza que quer responder, por favor, considere a hipótese de criar um novo tópico.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.

Nome:
Email:
Verificação:

Atalhos: pressione alt+s para enviar ou alt+p para pré-visualizar


Resumo do Tópico

Enviado por: Faro1910
« em: 20 de Janeiro 2020, 13:01:12 »

Em 2019 o CEO da PGA veio falar que estavam a estudar uma encomenda grande, que já havia sido noticiada em 2017/2018, com uma notícia que falava em até 35 aeronaves. Se o número me parece excessivo, é para mim evidente que ter uma subsidiária com uma frota diferente com menos de 10% dos aviões não me parece sustentável. Entretanto fala-se do fretamento de ACMI a outras companhias...  ???

Cada vez entendo menos os planos da TAP para a PGA.  :-\

Alguém tem novidades a este respeito?
Enviado por: New Engine Option
« em: 26 de Novembro 2019, 13:27:53 »

LCY foi cancelado.
Enviado por: Byte Boador
« em: 26 de Novembro 2019, 13:23:23 »

Não sei que tipo de contrato a PGA tinha em lcy mas eu não via grande diferença no preço dos bilhetes quando vinha de lá e sei que as taxas naquele aeroporto são elevadíssimas. Já para não referir o treino suplementar que é legalmente exigido para a tripulação operar lá
Enviado por: VidocQ
« em: 26 de Novembro 2019, 13:17:53 »

LCY não pode estar sequer na equação já que a rota não será feita!

Foi cancelada de vez? Eu tinha a noção que tinha sido suspensa com boa possibilidade de ser reaberta novamente...
Enviado por: laglemos
« em: 26 de Novembro 2019, 12:28:28 »

LCY não pode estar sequer na equação já que a rota não será feita!
Enviado por: VidocQ
« em: 26 de Novembro 2019, 08:29:59 »

Caro VidocQ pode explicar-me essa questão de FLR? Já por aqui li sobre isso e percebi que o E190 é o aparelho mais adequado para lá ir. Mas quando lá estava vi o A319 da Vueling e penso que é esse avião que para lá levam.

FLR e LCY são 2 pontos técnicos do ponto de vista operacional:
i) em LCY (e FLR?) o ângulo de descida em aproximação é muito mais elevado (5 graus em vez de 3 graus?) que requer certas aeronaves (como o E190 da PGA e outros) tenham certificação adicional e instalação de equipamento para steep approach.
ii) Mais importante é o comprimento da pista, que em LCY que são só 1500mts (1750mts em FLR) que reduz drasticamente o tipo de aparelho (e MTOW/peso à descolagem) que podes usar lá.
Exemplos: em FLR podes operar um A319 mas com bastante menos peso à descolagem (o A319 requer 1850mts para descolar em MTOW); em LCY com pista muito mais curta limita ainda mais a aeronave que podes operar (em geral: A221, E190, RJ85, DH8D, ou um A318 especial ;) ).

P.S.: Em LCY ainda tens uma 3a limitação, o ruido emitido pela aeronave.

Tanto quanto li o E195 E2 vai ser certificado para LCY, por isso também deve operar em FLR...
Se vier a ser ainda bem ! Mas ainda não está garantido... Tal como o A223 para LCY.


Em relação ao numero de lugares passa de 9x106 e  4x118 para 9x118 (se for esta a configuração pela qual a TAP for optar...)

Acaba por oferecer o mesmo número de lugares do que se tivesse 10 E190.

Certamente alguns destinos passam a A319 ou mesmo A320, após a retirada dos A319. Por exemplo, podem substituir no sul de França 3 voos por dia para Nice e Lyon (e Acho que Toulouse também) por 2 voos por dia em A320, que a oferta mantém-se. Obviamente que dificulta mais os passageiros em trânsito...

Mas também terminaram o Stuttgart e Colônia, que ocupavam quase dois aviões por dia...
Terminado Lisboa-Colónia, o Lisboa-Dusseldorf passou para A319 ou A320, o que liberta quase 3 aviões....

Essencialmente os E190 estão a fazer a Ponte aérea Lisboa-Porto-Lisboa e os voos de Lisboa para as cidades secundárias de França e de para Valência (mais um ou outro voo para Madrid) e do Porto em algumas rotas europeias. Acho que mesmo para Marraquexe muitas vezes é Airbus.
Julgo que seja isso atualmente e que no futuro vai ajustar

Concedo que o plano deve ser passar por um misto dos três: fechar rotas, reduzir frequências, passar rotas para os A319 operados pela TAP.
Mas isso também quer dizer aumento de custos: com as tripulações da PGA que serão excedentes, e já que a PGA normalmente opera rotas com custos menores que a TAP (tripulação, aeronaves, etc...)
Enviado por: VidocQ
« em: 26 de Novembro 2019, 08:26:19 »

Em relação ao número de lugares, todos os E2 cresceram face aos E1 respetivos. Portanto um E195-E2 deverá ter +16/20 lugares do que o E195-E1.  ;)

E195-E1 da Azul: 118pax
E195-E2 da Azul: 136pax

A Binter Canarias tem algo parecido nosseus E295: CY 132.

Mas nem todos, a Wideroe e a Helvetic, por exemplo, mantiveram a mesma configuração CY118 nos seus E295, a mesma que nos seus E195...
Enviado por: Faro1910
« em: 26 de Novembro 2019, 08:01:32 »

Em relação ao número de lugares, todos os E2 cresceram face aos E1 respetivos. Portanto um E195-E2 deverá ter +16/20 lugares do que o E195-E1.  ;)

E195-E1 da Azul: 118pax
E195-E2 da Azul: 136pax
Enviado por: Capitão do Fim
« em: 26 de Novembro 2019, 00:05:59 »

Dada a restrição de slots aeroportuários em Lisboa, o aumento da aeronave média obriga a que os aviões em geral sejam maiores. O que implica que os da PGA também sejam maiores. Mas como a PGA está limitada na dimensão máxima de aeronave a operar, arrisca-se a não poder operar os aviões que quer, e a ter de transferir a operação para a casa-mãe. Pelo que faz sentido o que consta no relatório.
Enviado por: efpmeneses
« em: 25 de Novembro 2019, 22:43:55 »

Tanto quanto li o E195 E2 vai ser certificado para LCY, por isso também deve operar em FLR...

Em relação ao numero de lugares passa de 9x106 e  4x118 para 9x118 (se for esta a configuração pela qual a TAP for optar...)

Acaba por oferecer o mesmo número de lugares do que se tivesse 10 E190.

Certamente alguns destinos passam a A319 ou mesmo A320, após a retirada dos A319. Por exemplo, podem substituir no sul de França 3 voos por dia para Nice e Lyon (e Acho que Toulouse também) por 2 voos por dia em A320, que a oferta mantém-se. Obviamente que dificulta mais os passageiros em trânsito...

Mas também terminaram o Stuttgart e Colônia, que ocupavam quase dois aviões por dia...
Terminado Lisboa-Colónia, o Lisboa-Dusseldorf passou para A319 ou A320, o que liberta quase 3 aviões....

Essencialmente os E190 estão a fazer a Ponte aérea Lisboa-Porto-Lisboa e os voos de Lisboa para as cidades secundárias de França e de para Valência (mais um ou outro voo para Madrid) e do Porto em algumas rotas europeias. Acho que mesmo para Marraquexe muitas vezes é Airbus.
Julgo que seja isso atualmente e que no futuro vai ajustar
Enviado por: jpmane
« em: 25 de Novembro 2019, 18:35:53 »

Estive a ver o gráfico no tópico ao lado e realmente....

Substituir 9xE190 + 4xE195 por 9xE295... É uma redução brutal ! -30% em aeronaves e -25% em lugares ! (assumindo CY118 no E295)

E rotas?Tecnicamente os E295 são 2000m para descolar com MTOW... LCY e FLR pelo menos são para esquecer... e aeroportos com procedimento steep approach?? Vai a TAP apenas reduzir frequências, assumir rotas com A319, ou algumas das rotas ou vão ser mesmo cortadas?

Com tanta redução, vai haver alterações ao contrato de ACMI com a PGA? Já se tinha falado algures que a PGA ia retomar voos com o AOC próprio (NI) talvez para charters... Será que já tinham esta redução em vista?

Desculpem as perguntas especulativas, mas é uma grande mudança!

Caro VidocQ pode explicar-me essa questão de FLR? Já por aqui li sobre isso e percebi que o E190 é o aparelho mais adequado para lá ir. Mas quando lá estava vi o A319 da Vueling e penso que é esse avião que para lá levam.
Enviado por: Jorge78
« em: 25 de Novembro 2019, 15:48:36 »

Basicamente a PGA vai ficar com o número de aviões que estava previsto desde início, visto os 4 ERJ195 terem vindo algum tempo depois sendo acrescentados aos 9 inicialmente previstos.
Acabei também por ficar surpreendido com esta redução, mas a TAP deve ter as suas razões para isto acontecer.
Mas como na aviação está sempre tudo a mudar, veremos se será mesmo assim ou se haverá alteração de planos daqui a uns tempos.
Enviado por: CS-TTK
« em: 25 de Novembro 2019, 14:45:55 »

E ainda se soma o facto de agora a ponte aerea ser operada maioritariamente por E190, o que "consome" um numero consideravel de rotacoes diarias....
Enviado por: nunopinheiro
« em: 25 de Novembro 2019, 14:26:37 »

VidocQ devem planear uma redução de operação por aqueles lados...
Enviado por: VidocQ
« em: 25 de Novembro 2019, 13:00:09 »

Estive a ver o gráfico no tópico ao lado e realmente....

Substituir 9xE190 + 4xE195 por 9xE295... É uma redução brutal ! -30% em aeronaves e -25% em lugares ! (assumindo CY118 no E295)

E rotas?Tecnicamente os E295 são 2000m para descolar com MTOW... LCY e FLR pelo menos são para esquecer... e aeroportos com procedimento steep approach?? Vai a TAP apenas reduzir frequências, assumir rotas com A319, ou algumas das rotas ou vão ser mesmo cortadas?

Com tanta redução, vai haver alterações ao contrato de ACMI com a PGA? Já se tinha falado algures que a PGA ia retomar voos com o AOC próprio (NI) talvez para charters... Será que já tinham esta redução em vista?

Desculpem as perguntas especulativas, mas é uma grande mudança!
Total 103+1=104 ms, db 0 ms, php 104 ms