Mensagens recentes

1
Isso interessa-lhe para comparar com o quê? Com o custo das emissões geradas pelo transporte aéreo entre Lisboa e Madrid, Barcelona, Lyon, Milão, Genébra, Zurique, Paris, Bordéus, Bruxelas, Amesterdão, Londres, Basel, Colónia, Dusseldorf, Frankfurt e Marselha?

Então estou a tentar perceber valores da lógica que utilizou.

Os custos de construção. Não esquecer que nesse troço Milão-Lyon muito será em túnel.

E de tempos de viagem... Ou está a falar sem saber?

Caro Lokeed, para não cair na lógica retorcida que o pinheiro acabou de utilizar, é preciso fazer uma análise ao ciclo de vida dos investimentos. Não basta comparar os custos de construção / emissões de GEE da fase de construção de uma infraestrutura com um ano de emissões do tráfego aéreo.
Há quantos anos existe o túnel ferroviário entre Campolide e o Rossio?

PS: Já agora, se o nuno lhe souber dizer quantas toneladas de betão serão necessárias para ampliar a Portela e para fazer o Montijo, agradecia. E também era giro saber qual o volume emissões de GEE que isso gera.
2
TAP / Re: TAP (& emprestados) frota WB - Movimento quotidiano
« Última mensagem por Mariovieira em Hoje às 18:44:23 »
18.09.2019
3
Air Europa (Pintura SkyTeam) A332 EC-LQP

A caminho de Madrid
4
algumas estatísticas sobre CO2 Ponte Vasco da Gama volume de betão usado 730.000 m3

https://en.wikipedia.org/wiki/Environmental_impact_of_concrete

410 kg/m3
Temos que 0.41*730000 = 299.3 mil toneladas de CO2 só em cimento. Há que somar os custos energéticos de pedreiras, e aço. que deve duplicar a coisa para uns meras 450 mil toneladas de CO2

claro que temos de somar o betuminoso 400.000 m²

a 25 cm temos qq coisa como 100.000 m³ *2.5 par termos toneladas que a um custo de 0.0103 T/T temos mais umas 2.5 mil tonaleditas

transportes etc etc deve ir la para as 600mil toneladas de CO2

https://rea.apambiente.pt/content/greenhouse-gas-emissions?language=en

AKA ponte nova e aeroporto novo deve ter um impacto no nível de emissões de CO2 semelhante a todas as nossas emissões de CO2 por via do tráfego aéreo. Ambientalista fabuloso.
Citação

Carbon dioxide emissions and climate change
The cement industry is one of the two largest producers of carbon dioxide (CO2), creating up to 8% of worldwide man-made emissions of this gas,

Como contraponto temos que
Citação
Com as reduções das emissões de automóveis, utilização de combustíveis mais eficientes e menos poluentes, e o rápido crescimento do tráfego aéreo nos últimos anos, houve um aumento no total da poluição imputável à aviação, sendo imputada à ela cerca de 2% da emissão de dióxido de carbono,
https://pt.wikipedia.org/wiki/Impactos_ambientais_da_avia%C3%A7%C3%A3o

Portanto o  pseudo "ambientalista" cá do sitio acha que vem o fim do mundo e que somos todos assassinos por causa de 2% mas 8% não tem qq importância e toca a fazer TGV's e Pontes e Aeroportos... Que nem se sabe se seriam rentáveis e poderiam realmente fazer um ofset do tráfego aéreo.
5
Isso interessa-lhe para comparar com o quê? Com o custo das emissões geradas pelo transporte aéreo entre Lisboa e Madrid, Barcelona, Lyon, Milão, Genébra, Zurique, Paris, Bordéus, Bruxelas, Amesterdão, Londres, Basel, Colónia, Dusseldorf, Frankfurt e Marselha?

Então estou a tentar perceber valores da lógica que utilizou.

Os custos de construção. Não esquecer que nesse troço Milão-Lyon muito será em túnel.

E de tempos de viagem... Ou está a falar sem saber?
6
??? Algum tempo atrás a everjets anunciou a rota mas nem sei se tem aviao  ???

Saudações
7
hgraca, a ver se nos entendemos o Acácio não é fundamentalista, quer ele la bem saber do ambiente e muito menos das emissões de CO2.
O que ele quer é uma ponte junto a casa e o comboio la, mais nada, o resto ele vê apenas como meios para esse fim.

Ele faz de conta que é isso, mas diz tanta asneira a esse nível que não pode, o ambientalista que adora betão armado novo, que não sabe quais os critérios de aprovação, de um EIA (mas diz que sabe e insulta todos os outros), mas manda os outros consultar a lei, que ele próprio não consultou.
Este senhor mente constantemente, não percebe nada de sistemas energéticos, de renováveis nada. Sabe-se la porque quer o comboio a porta de casa.

Quer ver?, sugira o TGV não passar pela margem sul e seguir o velho T Deitado, ate lhe salta a tampinha.
8
Entra o modo coveiro em cena...

Citação
Ryanair abandona ligação entre Lisboa e Porto

A Ryanair vai deixar de fazer a ligação aérea entre Lisboa e Porto, já a partir de outubro. A notícia é avançada pela edição de hoje do Jornal de Notícias.

A companhia aérea ainda não fez o anúncio oficial mas confirmou ao JN que este corte na rota doméstica entre a capital e a cidade Invicta acontece por "razões económicas".

Por agora, a TAP deverá ser a única companhia aérea a garantir a rota entre Porto e Lisboa mas uma nova companhia low cost poderá estar a caminho.

Esta é nova para mim, "uma nova companhia" LC a fazer OPO-LIS? Qual?

Transavia ou Vueling diria eu, ou então é a EasyJet...

A Transavia eu duvido imenso. A expansão da Transavia holandesa para fora da Holanda correu mal com a base em Munique e a Transavia francesa não pode/podia criar bases fora de França devido a um acordo com os sindicatos. A opção seria fazer França-OPO-LIS-OPO-França, como já acontece no Funchal, mas não vejo onde possam ser competitivos.

A maioria das bases da Vueling fora de Espanha também não correu particularmente bem e nunca apostaram declaradamente em Portugal.

O meu palpite vai para a Easyjet. Tem base nos dois aeroportos e terá com certeza espaço entre voos mais longos para alocar a um voo tão curto. Tem mais flexibilidade e pode optimizar a operação.
9
Aeroportos/Aeródromos / Re: Estudo ambiental viabiliza novo aeroporto do Montijo
« Última mensagem por hgraca em Hoje às 16:52:12 »
Ok "os carros" vão ser eléctricos, e o que se emite em GEE para os construir e depois "tratar" as baterias?
Diz que serão a energia solar?????? ahhh por isso é que vemos o que se está a fazer no solo do território português à procura de lítio.

Os aviões neste momento, a grande maioria são fly by wire, reduzindo peso, consumos, mecânica e gastos noutros componentes que para serem produzidos envolvem emissão de GEE. Não são perfeitos, poluem, mas estão a dar-se passos para que a situação melhor.

Veja o que foi conseguido em termos de aviação, no que diz respeito ao consumo de combustíveis fosseis e compare com qualquer outro veículo ou indústria. Se o objectivo primário era o ambiente, talvez não, mas conseguiu-se.

Outro aspecto a ter em conta, fala do TGV ou o que seja, e quem fornece energia electrifica????? Centrais nucleares na europa e no nosso caso com combustíveis fosseis. Já sei, vai falar da energia eólica, consulte o impacto dessas estruturas.

Fundamentalismos não levam a lado algum...todos nós queremos aviões amigos do ambiente, mas ter 10 aviões em espera á vertical de LX durante 30 a 45 min, se calhar é mto pior do que eles aterrarem e descolarem do Montijo, pois o consumo não é mesmo e a concentração de gases nem se assemelha..
10

Caro Acácio
Quanto ao atingir a neutralidade carbónica, temos muito por onde começar, nomeadamente os incêndios, os transportes rodoviários e inclusivamente o sector agropecuário.

Talvez não saiba mas o transporte aeronáutico apenas é responsável por 3% de todas emissões de gases de estufa!
Muitas companhias aéreas tem programas de responsabilidade social que vão no sentido de mitigar as emissões de CO2, veja por exemplo o site da TAP...

Ok 3% é muito? É...devia ser 0, devia...mas até o ser humano quando expira expele CO2.

Não esqueçamos que tem sido a industria aeronáutica uma das responsáveis pela investigação e desenvolvimento para a não utilização de combustíveis fosseis...

Bem vindo hgraça,

Talvez o hgraça não conheça os dados em Portugal.

Consulte o boletim da DGEG sobre consumo de combustíveis fósseis e verá que:

1 - O consumo de Jet fuel já representa quase 10% de todos os combustíveis fósseis utilizados em Portugal.
2 - O crescimento do consumo no último ano foi de 7%
3 - Se esta dinâmica se mantiver o Jet fuel (o tráfego marítimo também é muito preocupante) representará metade dos combustíveis fósseis que hoje consumimos.

Isto quer dizer que NÃO será possível chegar à neutralidade carbónica em 2040 se não limitarmos seriamente o tráfego aéreo.
A primeira medida é evidentemente não aumentar a capacidade aeroportuária.

Fico muito feliz por o Tomás ser contra a expansão do aeroporto de Lisboa e a construção do Montijo - envie o seu parecer para a APA isso vai ajudar-nos a todos.



Boa Tarde
Agencia Portuguesa do Ambiente... conheço perfeitamente, muito mesmo.
Sei muito bem do que estou a falar, e se fala em crescimento do consumo de Jetfuel em Portugal, é natural se existe mais aviões a deslocarem-se para Portugal e a saírem...contudo veja no mapa o decréscimo que houve noutros locais, Pois não podemos ignorar o crescimento brutal do Turismo em Portugal.

Veja o consumo por pessoa de um motor qq de um aviao e...depois falamos quando comparados com os automóveis.
E a conversa está terminada!

Eu não falei em APA.
Sem dúvida que aumentar a eficiência energética do sistema de transportes terrestres é uma prioridade absoluta e por isso investimento na densificação do transporte ferroviário deve ser decisivo.
Se sabe do que está a falar, então também sabe que o transporte terrestre vai ser electrificado nos próximos 15 a 20 anos e a energia necessária para o abastecer será solar.
Já o transporte aéreo ... dificilmente será electrificado nos próximos 20 anos.
Isto quer dizer que para atingir a neutralidade carbónica em 2040 temos que limitar seriamente o transporte aéreo e não aumentar a capacidade aeroportuária.
Quer terminar a conversa porquê?

Tópicos populares

Últimos tópicos ativos

Goste da nossa página no Facebook

Procurar

Total 100+34=134 ms, db 0 ms, php 134 ms