zulutango

  • Mensagens: 569
Alguém sabe quando será entregue o 1º B787-8 da Air Europa? E o respetivo MSN?

IC_89

  • Mensagens: 71
O modelo 787 Dreamliner da Boeing tem um bug no software que obriga o avião a ter de ser reiniciado uma vez a cada 248 dias, ou seja, uma vez por ano, em média.

O Boeing 787 está a enfrentar dificuldades desde os primeiros dias. Numa primeira fase, havia problemas relacionados com baterias que impediram os aviões de voar durante algum tempo.  Agora, sabe-se que há um bug no software que faz com que o sistema tenha de ser reiniciado a cada 248 dias, ou seja, aproximadamente a cada oito meses, noticia o Engadget.

«Um avião 787 que tenha estado ligado em permanência durante 248 dias pode perder a corrente elétrica alternada devido às unidades de controlo dos geradores estarem a entrar em modo de segurança», explica a FAA, autoridade responsável pela aviação nos EUA.

A Boeing está a par deste bug e está a fazer os resets periódicos aos aviões, enquanto desenvolve também uma atualização de software para corrigir o problema.

http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/mercados/2015-05-04-Bug-obriga-Boeing-787-a-reiniciar-uma-vez-por-ano

Maintrol

  • Mensagens: 149
O modelo 787 Dreamliner da Boeing tem um bug no software que obriga o avião a ter de ser reiniciado uma vez a cada 248 dias, ou seja, uma vez por ano, em média.

O Boeing 787 está a enfrentar dificuldades desde os primeiros dias. Numa primeira fase, havia problemas relacionados com baterias que impediram os aviões de voar durante algum tempo.  Agora, sabe-se que há um bug no software que faz com que o sistema tenha de ser reiniciado a cada 248 dias, ou seja, aproximadamente a cada oito meses, noticia o Engadget.

«Um avião 787 que tenha estado ligado em permanência durante 248 dias pode perder a corrente elétrica alternada devido às unidades de controlo dos geradores estarem a entrar em modo de segurança», explica a FAA, autoridade responsável pela aviação nos EUA.

A Boeing está a par deste bug e está a fazer os resets periódicos aos aviões, enquanto desenvolve também uma atualização de software para corrigir o problema.

http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/mercados/2015-05-04-Bug-obriga-Boeing-787-a-reiniciar-uma-vez-por-ano
É um problema com um contador no software dos Generator Control Units.
Também os A320 já tiveram um problema semelhante, será facilmente corrigido.

Boa sorte, 248 dias constantemente online...

Caravelle

  • Mensagens: 292
Aqui está um não-problema...
Daily flights to
EUROPE - AFRICA - AMERICAS

Avelino Almeida

  • Mensagens: 23
Se acontecer em voo não há stress?

Maintrol

  • Mensagens: 149
Se acontecer em voo não há stress?
Os GCUs regulam a energia eléctrica providenciada pelos Generators nos motores.
4 generators, 4 gcus no mesmo bus, se um ou dois entrarem em modo se segurança deverão haver restrições no fornecimento de energia mas nada que comprometa a segurança. Se os 4 estiverem sincronizados, então sim. Tal como a AD diz, há o risco de se perder a totalidade da corrente eléctrica AC.

Avelino Almeida

  • Mensagens: 23
Obrigado pela explicação Maintrol .

ClearedForTakeOff

  • Moderador
  • Mensagens: 1333
    • Aviation Blog
Modelos no papel que depois caiem, são o normal. Captam-se clientes para depois converterem opções noutros modelos.
O 787-3 também ficou pelo caminho, lembro. Quem o tinha encomendado, foi escolher outro.
Os A330neo são aprova que a Airbus sabe ouvir os clientes.
O A350 seria muito grande e o 330ceo muito se vendeu, e se vende, depois do anúncio tanto do 787 como do A350.
Tanto o A350-800 como o 787-8 ja iam para além do papel quando foram colocados na oferta comercial. Mas há grandes diferenças entre os dois.

O 787-3 foi uma resposta directa à necessidade específica de um pequeno grupo de operadores, os japoneses, para as suas rotas curtas e de grande afluência. Tal como os 747 Domestic. E quando caiu, caiu de forma declarada, atrasos no projecto e concentração nos outros principais: -8, -9 e -10. E o impacto não foi significativo. Era um nicho de mercado.

O A330neo surgiu certamente depois da Airbus ter ouvido os clientes dizer ''Fo****, mas que m***** vem a ser esta? Cancelam o -800 e ou passamos a -900 ou ficamos com a lata do A330 como está???''.

E está enganado. A330ceo já se vende pouco. Somente para preencher vagas a curto prazo ou converter opções. Porque de resto já praticamente não há interesse nem da Airbus nem dos operadores.
E quanto aos A330neo, ainda estou aqui a rir-me das mil ordens de compra do sr. Leahy. É, ''vai vir ordens da China'' como os charters do Futre.


Na realidade o A350 (pré-XWB) era o A330neo.
Seria estúpido a Airbus entregar um segmento de mercado a ninguém.... Acabado o 767 (só se fabricam de carga, na versão civil) ficava o segmento 200-250 lugares vazio de oferta.


Maintrol

  • Mensagens: 149
Na realidade o A350 (pré-XWB) era o A330neo.
Seria estúpido a Airbus entregar um segmento de mercado a ninguém.... Acabado o 767 (só se fabricam de carga, na versão civil) ficava o segmento 200-250 lugares vazio de oferta.

Depende do ponto de vista. Para a próxima década os principais players já têm as entregas definidas dos 787-8 nesse segmento.
Estamos a falar de aquisições feitas há mais de 10 anos tendo em vista o uso destas aeronaves para além dos 20 anos úteis.

Quem quiser agora alguma aeronave para antes de 2022 nesse segmento, é verdade, só tem A330neo.

O segmento já está entregue ao 787-8 em termos de ordens. Em termos de tempo de entrega para ordens feitas agora, é o que resta. Mas à Boeing não interessam as sobras.
« Última modificação: 05 de Maio 2015, 23:05:46 por Maintrol »


tareias77

  • Mensagens: 4874
Na realidade o A350 (pré-XWB) era o A330neo.
Seria estúpido a Airbus entregar um segmento de mercado a ninguém.... Acabado o 767 (só se fabricam de carga, na versão civil) ficava o segmento 200-250 lugares vazio de oferta.

Depende do ponto de vista. Para a próxima década os principais players já têm as entregas definidas dos 787-8 nesse segmento.
Estamos a falar de aquisições feitas há mais de 10 anos tendo em vista o uso destas aeronaves para além dos 20 anos úteis.

Quem quiser agora alguma aeronave para antes de 2022 nesse segmento, é verdade, só tem A330neo.

O segmento já está entregue ao 787-8 em termos de ordens. Em termos de tempo de entrega, é o que resta. Mas à Boeing não interessam as sobras.

Na Boeing o modelo 787 que terá encomendas no futuro será o 787-9 e o 787-10. O 787-8 não deverá ter muito mais encomendas a partir de agora.

« Última modificação: 05 de Maio 2015, 21:49:35 por tareias77 »


carlos cunha

  • Mensagens: 1091
O 787-9 acentava bem á TAP, não sei qual o payload, para algumas rotas se calhar não servia, mas para algumas era o avião ideal.

zema

  • Mensagens: 647
O 787-9 acentava bem á TAP, não sei qual o payload, para algumas rotas se calhar não servia, mas para algumas era o avião ideal.
e em questoes de marketing era perfeito se o esferovit ganhasse a corrida. Nem k fisse por 3 meses. Madia haver uma grande corrida para se voar em 787. Um piuco a semelhanca dos qatar787 e a350 k estao xeios

lockheed

  • Mensagens: 1371
  • You are not in Kansas anymore!...
e em questoes de marketing era perfeito se o esferovit ganhasse a corrida. Nem k fisse por 3 meses. Madia haver uma grande corrida para se voar em 787. Um piuco a semelhanca dos qatar787 e a350 k estao xeios

Zema não percebi nada...

carlos cunha

  • Mensagens: 1091
e em questoes de marketing era perfeito se o esferovit ganhasse a corrida. Nem k fisse por 3 meses. Madia haver uma grande corrida para se voar em 787. Um piuco a semelhanca dos qatar787 e a350 k estao xeios

Zema não percebi nada...

Isto de escrever num fórum como se fosse sms não está com nada LOL

zema

  • Mensagens: 647
e em questoes de marketing era perfeito se o esferovit ganhasse a corrida. Nem k fisse por 3 meses. Madia haver uma grande corrida para se voar em 787. Um piuco a semelhanca dos qatar787 e a350 k estao xeiosh

Zema não percebi nada...

Desde ja as minhas desculpas mas escrevo num teclado diferente do europeu e nao esta facil.

O que quis dizer foi. A Tap neste momento enquanto marca esta em baixo face as concorrentes (greves,falencia tecnica,problemas do verão passado e ate vitima de um marketing pouco agressivo). Ja a grande concorrente na america do sul,a iberia,esta num proceso inverso. Rebranding,crescimento e melhoria de servico.

Dai que se o german efremovich ganhase a corrida a privatizacao poderia colocar por um periodo inicial o 787 a fazer as principais rotas da tap como golpe de markting e procura de novos clientes.

Eu ainda apouco tempo procurei voos na qatar e os operados em a350 é impossivel marcar assim como os 787 tambem nao sao faceis. Isto porque ha muita gente que procura produto diferenciado. Algo que a tap neste momento nao tem e precisa urgentemente para se relancar no mercado

Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 

Tópicos Relacionados

  Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
1017 Respostas
181063 Visualizações
Última mensagem 30 de Janeiro 2020, 11:21:02
por AECM
105 Respostas
22703 Visualizações
Última mensagem 14 de Maio 2019, 23:53:55
por finhinho
5 Respostas
1391 Visualizações
Última mensagem 19 de Julho 2014, 04:18:57
por Grozznyy
31 Respostas
4786 Visualizações
Última mensagem 26 de Fevereiro 2016, 07:55:52
por Spark
5 Respostas
4092 Visualizações
Última mensagem 10 de Abril 2018, 22:18:36
por AviationCH

Total 108+0=108 ms, db 0 ms, php 108 ms