Cebola

  • Mensagens: 446
Julgo não estarmos a entrar em qualquer guerra BvsAb mas sim discutir o evoluir do mercado e consequencias em modelos iconicos.
Acho que a Airbus deve ter o estudo feito desde quando lançou o 380. O problema é que o racio expectativa de mercado saiu gorado, digo eu...
Já á muito que varias companhias procuravam solução para um substituto do 757, sendo um verdadeiro pressagio do que o mercado está a procura.
A Boeing anunciou o 797, avião novo, enquanto a Airbus adaptou um produto excelente e criou o 321LR.
Esta flexibilidade que o mercado procura, indo contra os mega hubs aqui mencionado, tambem vem potenciar o mercado dos aviões regionais mas com maior range e aqui julgo que a Airbus foi muito feliz com o C series pois leva vantagem contra a Embraer, para já.
Nisto tudo, diria eu que alguns departamentos (responsaveis por familias de aviões) da Airbus forma felizes enquanto que outro (380) não propriamente...

nunopinheiro

  • Mensagens: 6536
O problema foi o ponto a ponto e hub's regionais vs grandes hubs transcontinentais.

A airbus previu a saturação dos grandes hubs e a necessidade de la colocar aviões com muito maior capacidade, o A380 estava otimizado para o A380-900 e não o 800.
Já a Boeing disse que o futuro era o ponto a ponto transcontinental ligando hubs regionais.

A tendência tem sido cada vez mais ponto a ponto que beneficiou hubs regionais vs grandes hubs mundiais. os 4 motores vs 2 não é o problema o problema é a tremenda capacidade do 380 vs a procura por segmento e saturação dos aeroportos. o A380 faz sentido quando não há slots disponíveis para um grande aeroporto.

Como em vex de centralizar o trafego em grandes hubs mundiais tivemos uma explosão de hubs regionais com capacidade intercontinental, aparelhos como o B787 fazem mais sentido long and thiner.

Para o A380 resta o sonho de que a china/india precise de os usar para transporte de muita sardinha.
« Última modificação: 03 de Janeiro 2019, 12:22:18 por nunopinheiro »


Tomás Ribeiro

  • Mensagens: 2275
Não se esqueçam que o desenvolvimento do programa a380 começou nos anos 90... A aviação mudou muito desses anos para cá. O 11 de Setembro, o boom das low cost por todo o mundo etc...
O a380 continua a ser um avião muito bom para grandes hubs saturados como Heathrow. Tanto é que a BA bem que anda aí a namorar mais uns mas diz que são demasiado caros. Vai continuar a haver rotas de longo curso que justifiquem o bicho mas não serão imensas... Tal como disseram a tendência é para aumentar a capacidade aumentando as frequências para dar mais flexibilidade ao passageiro.
Agora também vamos ser realistas, a Emirates não se vai livrar assim tão rapidamente da frota gigante de a380 que tem. Companhias como a BA, Lufthansa, Singapore estão muito satisfeitas com o bicho e não se avizinha a reforma. Ele ainda vai andar por aí a voar durante uns bons 15/20 anos.
Depois podemos ver uma ou outra encomenda do género ANA que comprou 3 para servir um mercado em especial.
É muito triste ver um avião destes a avistar o seu fim... O a380 é uma maravilha da engenharia quer se goste dele ou não e tem um lugar reservado na história da aviação.

Tomás Ribeiro

  • Mensagens: 2275
Ligeiramente off topic mas em relação ao boom do point to point que se espera, isso não pode desencadear uma necessidade cada vez maior de expandir aeroportos mais pequenos? Se queremos voar para todo o lado a partir de qualquer cidade, os pequenos e médios aeroportos  como estão não aguentariam esse crescimento...
Já para não falar em saturação de espaço aéreo que é um fenómeno que creio que vamos começar a ver com mais frequência a partir de agora.

toto1100

  • Mensagens: 6129
A ANA comprou 3 porque ficou com a Skymark e foi a moeda de troca para a Airbus apoiar o plano de reestruturacao.

nunopinheiro

  • Mensagens: 6536
Tomás Ribeiro e a maioria do crescimento neste lado do planeta tem sido nos aeroportos mais pequenos, e estes tem crescido (alguém ate poderia colocar Lisboa neste pote). Mas em particular introduzindo voos continentais que requeriam antes um hub para ligar os dois pontos.

exemplo anedotico, a alguns anos do porto para qq lugar não obvio na Europa implicava uma passagem por Frankfurt, neste momento conto pelos dedos de uma mão as minhas passagens lá.

Isto também provocou menor pressão nos grandes hubs e menor uso de slots, permitindo estes ter mais aparelhos menores a fazer mais frequências nas rotas intercontinentais. mais frequências fazem um produto mais apelativo em termos de liberdade de horários e tempo total de viagem.

Adob

  • Mensagens: 358
O grande problema do A380 é que é marginalmente mais eficiente que o 777-300ER mas tem um risco associado (à maior ocupação) muito maior. Para mais, as yields degradam-se com o aumento de lugares disponíveis face a todos os outros, para encherem o avião muito bilhete vai ser muuuuitoooo barato e isso não é propriamente o objectivo das companhias (vender bilhetes que não lhe dão dinheiro a ganhar).

Depois não é grande coisa no cargo pois o porão fica muito limitado na lotação de passageiros máxima. Logo mesmo que se encha, o rendimento por avião tendo em conta o custo de combustível e tripulação é até pior que o 777-300ER se tivermos em conta passageiros e cargo!

E não nos esqueçamos que em qualquer rota a flexibilidade de horários é importante e dá jeito ter uma chegada/partida manhã e tarde/noite.

Todos estes pequenos factos tornam mais racional/económico mandar 2 787/A350/777 ou combinações destes.

A meu ver é esta a causa do "insucesso" do a380 muito mais que andarem uns quantos 787 ou A350 a voarem de aeroportos mais regionais.

No final do dia só mesmo para aeroportos com uma grande restrição de slots (LHR é o exemplo típico) o A380 faz sentido. Aliás LHR tal como LAX chegam a justificar 2 ou mais A380 diários dentro de uma mesma companhia.
« Última modificação: 03 de Janeiro 2019, 20:10:48 por Adob »


brunodias

  • Mensagens: 5435
Não se esqueçam que o desenvolvimento do programa a380 começou nos anos 90... A aviação mudou muito desses anos para cá. O 11 de Setembro, o boom das low cost por todo o mundo etc...
O a380 continua a ser um avião muito bom para grandes hubs saturados como Heathrow. Tanto é que a BA bem que anda aí a namorar mais uns mas diz que são demasiado caros. Vai continuar a haver rotas de longo curso que justifiquem o bicho mas não serão imensas... Tal como disseram a tendência é para aumentar a capacidade aumentando as frequências para dar mais flexibilidade ao passageiro.
Agora também vamos ser realistas, a Emirates não se vai livrar assim tão rapidamente da frota gigante de a380 que tem. Companhias como a BA, Lufthansa, Singapore estão muito satisfeitas com o bicho e não se avizinha a reforma. Ele ainda vai andar por aí a voar durante uns bons 15/20 anos.
Depois podemos ver uma ou outra encomenda do género ANA que comprou 3 para servir um mercado em especial.
É muito triste ver um avião destes a avistar o seu fim... O a380 é uma maravilha da engenharia quer se goste dele ou não e tem um lugar reservado na história da aviação.

Até para londres não é super preciso o a380, estive la 2 vezes nos ultimos 15 dias e muitas companhias que operam a380 não tinham la nenhum
A malasyan não tinha, as chinesas não tinham, a singapore idem aspas
Só la estavam os BA Qantas e Emirates, tudo bem podem dizer que foi questão das horas

brunodias

  • Mensagens: 5435
Daqui ai a 10 anos, o topico é 777x

CS-TUK

  • Mensagens: 334
Mas o A380 já pode "ser visto" há tanto tempo porque só um suposto interesse agora?

E regra geral as low cost apenas têm na frota aviões do mesmo fabricante para poupar nos custos. Ora vejamos:
 - Ryanair B737-800 e vão começar a chegar os B737-MAX8
 - Transavia B737-700 e B737-800
 - EasyJet: A319, A320, A320N e A321N
 - Wizzair A320, A321
 - Norwegian B737-800 e B787

Dito isto o interesse da Ryanair em A330N e/ou A380 parece-me pouco plausível, principalmente para uma companhia que não opera atualmente longo curso. Ainda para mais A330N e A380 são aviões bem distintos e não faz muito sentido estar indeciso entre um ou outro...

Um excelente 2019 para si também :)

Caro CS-TTk: Retribuo os votos em primeiro lugar!... Quanto à FR convém que se diga que eles compraram recentemente a Niki e mais parte da ex Air Berlim! Com isso eles já têm Airbus na frota, ainda que indirectamente... E a páginas tantas até alguns A330 terão por lá, não sei!... Se forem espertos transformam a Niki numa companhia de longo curso de voos regulares (fora do low cost!) e usam as sinergias da operação de médio curso para alimentar o longo. Diluem riscos e no médio prazo aumentam proveitos!... Quanto às frotas das low cost há de tudo. Creio que a Norweigian também tem ou vai ter Airbus na frota. Pelo menos A321LR se não estou em erro. Já quanto ao A380 acho que o futuro dele, para lá da possível explosão do mercado Asiático, estará sobretudo em algo que ainda poucos falam: Falta de pilotos! E aqui é muito simples: Não se conseguem formar mais em tempo útil? Suprimem-se frequências e aumenta-se o tamanho do equipamento! Deixem lá passar mais uns 5 aninhos!... Veremos! Tenha uma boa noite!...

brunodias

  • Mensagens: 5435
Que confusão vai nessa "imagem" da ryanair, a air berlin nem conta para o totobola, foi a easyjet que ficou com muitos dos aviões, a ryanair ficou com a "laudamotion" não tem 330

A falta de pilotos tem muito que se lhe diga, continuam muitos no desemprego, faltam é pilotos experientes no mercado
« Última modificação: 03 de Janeiro 2019, 21:53:10 por brunodias »


toto1100

  • Mensagens: 6129
Quanto à FR convém que se diga que eles compraram recentemente a Niki e mais parte da ex Air Berlim! Com isso eles já têm Airbus na frota, ainda que indirectamente... E a páginas tantas até alguns A330 terão por lá, não sei!... Se forem espertos transformam a Niki numa companhia de longo curso de voos regulares (fora do low cost!) e usam as sinergias da operação de médio curso para alimentar o longo.

A parte da Air Berlin que a Ryanair comprou foi exatamente a Niki. Nao comprou a Niki mais nenhum bocado.
Tanto nao sabes que nao tem A330, como nao tem.
E se a Ryanair quiser comprar Airbus compra, nao precisa de fazer nenhum jogo de bastidores. Quem dera à Airbus que a Ryanair comprasse Airbus. Se fosse preciso dizia logo à TAP que a compra deles ficava sem efeito e que fossem comprar aviões a outro sitio.

Sim, apostar numa companhia de longo curso de voos regulares é que é ser esperto. Porque os yields andam tao elevados por esse mundo fora.

Nunoj

  • Mensagens: 67

brunodias

  • Mensagens: 5435
Não há supresa nenhuma, já todos sabiam que eles não iam ser entregues(qantas)
No backlog ainda lá estão uns 22 ou 25 que também não contam, os da amadeus e do fundo que ficou com os da transaero

aviationlover

  • Mensagens: 1206
Segundo umas notícias que li, a Emirates está em conversações com a Airbus para trocar os 380 que tem em encomendas por 350 ou 330NEO e se isso acontecer a Airbus fechará a linha de produção do 380.

Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 

Tópicos Relacionados

  Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
81 Respostas
41626 Visualizações
Última mensagem 21 de Junho 2014, 22:25:47
por Mosquito
14 Respostas
1825 Visualizações
Última mensagem 24 de Junho 2015, 01:49:05
por Spark
12 Respostas
2070 Visualizações
Última mensagem 20 de Outubro 2015, 12:28:45
por iloper
15 Respostas
2989 Visualizações
Última mensagem 14 de Novembro 2016, 22:51:08
por Spark
6 Respostas
932 Visualizações
Última mensagem 11 de Maio 2017, 16:05:36
por ClearedForTakeOff

Total 89+0=89 ms, db 0 ms, php 89 ms