nunopinheiro

  • Mensagens: 6334
Não não há ;) são redes neuronais tudo o que o ser humano oferece a máquina são dados de entrada e pontuação pelo resultado, a máquina de forma muito semelhante a forma como o nosso cérebro desenvolve redes de decisão entro nodes, no entanto ao contrário do nosso cérebro não tem real limite a sua evolução ao longo de gerações de forma a optimizar os resultados.
Quem estiver interessado no assunto há bastante bibliografia e bibliotecas disponíveis sobre o assunto, de forma simplista o grande problema não é o código que gera o AI esse funciona muito bem, o problema é gerar dados de controlo que ensinem a máquina.

Porque é que achas que o CAPTCHA agora é só de ruas e estradas, estamos todos ocupados a ensinar as máquinas.

Tomás Ribeiro

  • Mensagens: 2200
Pronto já aprendi mais uma coisa. Mas apesar disto os problemas éticos da AI continuam de pé. Se desumanizarmos a coisa esta brincadeira da AI não dura uma semana. Por exemplo naquela questão das duas pessoas a atravessar a rua se uma delas morrer o que é que se diz à família? Olhe desculpe lá o seu filho ter sido atropelado mas o computador achou que ele tinha mais hipóteses de sobreviver. Desculpe o transtorno.

Mas tal como o Nuno disse e muito bem este problema só vai ser verdadeiramente abordado quando os media o tratarem mais à séria. Na minha opinião até é um debate que tem sido esquecido e que urge em ser feito.

nunopinheiro

  • Mensagens: 6334
Ui isto é só a pontinha do iceberg gigantesco que é o assunto AI.
Nem sequer ainda estamos a falar de super inteligência e implicações de tal coisa.

Só deixo algum alimento para pensarem, quando começarmos a trabalhar mais na área do AI general propose que se auto melhora o que acontecerá quando o AI estiver na escala de inteligência a mesma distância de nós que nos dê uma formiga. Será Deus?

Tomás Ribeiro

  • Mensagens: 2200
Epah não quero começar aqui uma discussão mas eu tenho uma visão um bocado soviética em relação a Deus e às religiões, se existir não sei se é um computador  ;D mas pronto não vamos chamar isso para aqui.
Isto realmente é a pontinha de um iceberg que nós criámos. Simplesmente não quero isto a acabar numa revolução industrial com revoltas e o caraças como muita gente andou aí a apregoar.
Devemos tratar disto enquanto ainda podemos ou vamos ter aqui pano para mangas do grande.

Icterio

  • Mensagens: 836
    • Melhor ter sorte do que perícia.
Quanto mais rápido aparecerem automóveis autónomos, melhor.
Quem vos ouve falar (neste caso, lê os posts) parece que os condutores humanos não erram, não conduzem distraídos, não desrespeitam as mais básicas leis do código e civismo, não falam ao tlm e mandam sms, etc...etc...etc... E sem falar nas limitações humanas, claro.

Claro que vão existir acidentes com os computadores, mas serão uma pequena fracção do que vemos actualmente.

O que eu noto é que aqui há um imenso desconhecimento do que está em causa e a qualidade das ajudas electrónicas e as vidas que salvam.  Pensem em ajudas básicas, por exemplo.  Recentemente, vários automóveis vem equipados com sensores que detectam peões e activamente travam o carro, quantas vidas (ou feridos) não se poupam assim?
Ou ainda melhor, desde os anos 70 que existem travões ABS e na altura também se dizia que isso era tirar "autoridade" ao condutor humano (essa "espécie" encantadora).  Passados estes anos, quantas vidas não foram salvas pelos sistemas ABS?

Venham todas as ajudas electrónicas, se é para ajudar, bem precisamos...

nunopinheiro

  • Mensagens: 6334
Icterio leia o thread antes de tirar conclusões.
Ninguém pós em causa que o AI será muito melhor condutor eu até arrisquei que a taxa de mortalidade deve diminuir 100 vezes, isso é o óbvio.
 A questão é mais complexa e social do que isso. Exemplo ..... é óbvio que camionista é trabalho que acaba no mesmo dia, e manda milhões de pessoas no mundo para o desemprego, quem diz camionistas diz todos os operadores de maquinaria pesada armazenistas, etc etc etc... O mais provável é que vamos ter de viver com a falibilidade humana.
« Última modificação: 11 de Agosto 2018, 23:40:51 por nunopinheiro »


Icterio

  • Mensagens: 836
    • Melhor ter sorte do que perícia.
Não estou a tirar conclusões, só adicionar factos aos camaradas.
A questão dos trabalhos também e recorrente.  E a solução será sempre a adaptarmos à realidade. 

Quem trabalhava em clubes de vídeo nos anos 80/90, hoje se certeza que se adaptou e está a fazer outra coisa, não dá para parar os avanços tecnológicos e sociais.  Uns trabalhos desaparecem mas aparecem outros mais. 

Eu li os posts todos e (não querendo generalizar) quando algumas pessoas falam (ou escrevem) sobre AI, estão já a pensar no skynet, Sarah Connor e terminators desenfreados pela avenida dos aliados...

Tomás Ribeiro

  • Mensagens: 2200
Icterio não podemos contornar as questões éticas que rodeiam esta questão. Eu adoro todas as ajudas electrónicas dos carros hoje em dia! Não tenham a menor dúvida que de salvam vidas todos os dias e que vieram para ficar. O problema é responsabilizar uma máquina por mortes. Leia os meus posts e vai perceber o que é que eu estou a dizer sobre estas situações socialmente complexas.
Eu acho que o caro forista não pode comparar em tempo algum o fim de um emprego que empregava praticamente poucas pessoas e a maioria com baixa remuneração com o fim de quase todas as profissões no mundo. Tente lá imaginar uma sociedade onde as pessoas não trabalham. E depois crie um modelo económico que funcione sem emprego. Eu não sou anti progressista. Longe disso, mas há que saber quando é que as coisas vão longe demais.

toto1100

  • Mensagens: 5957
Bem, ja na revolucao industrial os ludditas diziam o mesmo.
Sim eu sei. "Desta vez é diferente". É sempre, ate deixar de o ser.

nunopinheiro

  • Mensagens: 6334
Icterio, aqui não é uma questão de fazer outra coisa, a questão é que não haverá nada que não possa ser feito pelo AI melhor do que um humano.
Até podíamos não fazer nada e simplesmente consumir numa utupia tipo consumo logo existo. (Sendo que mesmo consumir pode ser feito muito melhor pelo  AI).
Mas não sei se isso funciona eu gosto muito de trabalhar e passar as horas a olhar pó teto não é coisa que me agrade.

Se estiver interessado muita informação introdutória aqui https://en.m.wikipedia.org/wiki/Superintelligence
« Última modificação: 12 de Agosto 2018, 09:49:41 por nunopinheiro »


Tomás Ribeiro

  • Mensagens: 2200
Com todo o respeito toto acho que desta vez é mesmo uma situação diferente. Na revolução industrial foram eliminadas algumas funções que mais tarde ou mais cedo lá seriam substituidas. Agora estamos a falar de acabar com o emprego a um nível mundial. Como é que a economia funciona então? Simplesmente recebo dinheiro do governo e gasto esse dinheiro? Então o sistema não funciona porque o dinheiro só círcula numa direcção. A menos que se erradique o dinheiro e tudo passe a ser grátis (acho que não preciso de explicar como é que este segundo acaba). A questão é que andamos muito entusiasmados com isto da AI mas há muita gente que não está a olhar para o outro lado da moeda.

nunopinheiro

  • Mensagens: 6334
Tomaz acho que o totó apenas esta a ser cínico sobre o assunto, algo como, se algo pode correr mal então certamente vai... Eu não tenho certeza alguma sobre o assunto, do ponto de vista econômico e competitivo as vantagens são tremendas, por isso vai haver vontade de aproveitar, mas a sustentabilidade disto é que já não sei...
Tomaz alguma vez pensou sobre o que é o dinheiro realmente? Eles dizem que tempo é dinheiro, eu digo o contrário dinheiro é tempo, o dinheiro serve para comprar o tempo dos outros, normalmente sobe forma de trabalho, o AI é no fundo inflação é a desvalorização absoluta do tempo/dinheiro.
« Última modificação: 12 de Agosto 2018, 13:36:04 por nunopinheiro »


Icterio

  • Mensagens: 836
    • Melhor ter sorte do que perícia.
Durante a WWII as mulheres entraram no mercado de trabalho em força, aliás de forma explosiva.  Milhões e milhões de mulheres assumiram trabalhos industriais, gestão e distribuição.  Logo nessa altura temia-se que com o acabar da guerra e o retorno de ex-soldados não haveria "espaço" para homens e mulheres no mercado de trabalho.
Não foi isso que aconteceu, a economia adaptou-se e até o dia de hoje homens e mulheres continuam a trabalhar.

P.S. Ah, e as mulheres também provaram que podiam fazer o trabalho tão bem como os homens...

Tomás Ribeiro

  • Mensagens: 2200
Volto a repetir: então explique me como é que a economia se vai adaptar ao fim do emprego

nunopinheiro

  • Mensagens: 6334
Icterio, não esta a perceber, aqui não é uma questão de acrescentar mais empregos é simplesmente acabar com todos eles porque não são precisos o AI faz tudo, olhe por exemplo para o retalho cada vez menos o pessoal vai o centro comercial e manda vir tudo online, os centros de distribuição são cada vez mais automatizados e com o advento dos caros/drones autónomos ate a entrega será.  A vantagem disso tem sido uma queda generalizada dos preços para o consumidor e lucros para as empresas da área, mas não há milagres mais barato e mais lucros alguém esta a pagar e isso é toda aquela gente que existia pelo meio colocando pequenas margens em cima do produto.
O que tivemos a seguir a segunda guerra mundial foi uma explosão do consumo, que permitiu empregar esta gente toda primeiro na área industrial e em seguida nos serviços (ultimo reduto do emprego em massa).
Não procure aqui paralelismos otimistas com o passado não há, serio tente-se informar perto de gente que trabalha na área, já muito pouca gente tem duvidas se o AI normal (inteligência semelhante a humana) virá a questão é mais quando, a preocupação destes até recai mais sobre as implicações do super AI inteligência 100x vezes superior a humana. Aí pode fazer paralelismos com uma formiga e nos sendo que nesse futuro nos somos a formiga.

Quase todos os cenários distopicos futuros supunham um AI de inteligência semelhante a nossa que ate se importava connosco e ate simulava um odio qq, mas com o super AI a coisa mais provavel é que este nos ignore da mesma forma que nos ignoramos uma formiga ou formigueiro quando queremos passar uma estrada, seremos para o AI absolutamente irrelevantes capazes de no máximo sermos uma peste irritante tolerada.
« Última modificação: 12 de Agosto 2018, 14:40:18 por nunopinheiro »


Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 

Tópicos Relacionados

  Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
4 Respostas
3508 Visualizações
Última mensagem 11 de Abril 2014, 02:37:39
por Luís J.
1 Respostas
809 Visualizações
Última mensagem 15 de Junho 2015, 20:42:00
por MarcoGVA
13 Respostas
2302 Visualizações
Última mensagem 27 de Julho 2016, 09:24:04
por nunopinheiro
48 Respostas
4285 Visualizações
Última mensagem 03 de Fevereiro 2020, 10:58:24
por Bremem
0 Respostas
1861 Visualizações
Última mensagem 19 de Fevereiro 2020, 14:00:51
por TAlexandre

Total 103+0=103 ms, db 0 ms, php 103 ms