BSilva

  • Mensagens: 435

pmm

  • Mensagens: 35
Eu percebo o interesse de algumas pessoas quererem voar para a Ásia mas, muito sinceramente, é queimar dinheiro. A competição é mais que brutal, os preços actuais são estupidamente baixos e os yields idem. E deixo umas perguntas para aqueles que gostavam de ver isto concretizado:

- Qual a catchment area que ia viabilizar estes voos de longo curso? O passageiro Americano não será com certeza, logo o apelo dos dólares e dos preços absurdamente elevados cobrados por lá é para esquecer. O passageiro Europeu tem 100 alternativas, todas elas melhores ou mais baratas que a TAP, e a adição de uma escala extra MAIS tempo extra de voo seria um drawback - basicamente colocaria a TAP em competição directa com a Emirates/Qatar/Etihad e seria de todo impossível competir com os preços baixos destas, sobretudo da Qatar.

- Qual o tipo de passageiro iam viabilizar estes voos de longo curso? É muito giro falar de cidades como Bangkok que são, acima de tudo, mercados turísticos e logo a procura da rota seria em torno dos passageiros Y. Mas o que interessa nestes voos é encher a cabine da frente! E, lamento muito, mas aí a TAP nunca poderá competir com os grandes porque agora não estamos só a falar de hard e soft product, estamos a falar de tudo o resto: programas de fidelização, lounges nas outstations, suporte ao cliente business, etc. E nesse aspecto, o mercado asiático e os seus grandes players são muito difíceis de bater.

Portanto, vamos criar rotas para a Ásia a contar só com o passageiro Português e talvez alguns Brasileiros e Europeus? Não me parece. Infelizmente Portugal não tem dimensão geográfica, politica ou empresarial para voar para a Ásia e ainda ter lucro.

Rex

  • Mensagens: 1248
Para oriente é um banho de sangue.
Sobre  A321LR Desde que o preço esteja em conta, o facto do aparelho possibilitar um voo direto vs um em ligação mais que compensa qq "claustrofobia"

E é uma "claustrofobia" relativa, menos gente, embarques e desembarques mais rápidos, handling mais rápido, provavelmente no global menos filas e atrasos.

Jetstream

  • Mensagens: 716
Por  mais frota de longo curso que a Tap tenha ou venha a ter, enquanto o espírito do  colectivo de cabine não mudar, não se vai longe, literalmente.

Recentemente falei com uma Purser, ja com os seu 50 anos. Quando  tematizei São Francisco, em vez de entusiasmo da parte dela sobre este novo ex libris como destino, qual o meu espanto quando me responde, que  nem pensar e Asia ainds muito menos....porque é muito longo...e que não pode ser poque estas horas de voo não estão no contrato colectivo do pessoal de cabine....

Com este espírito não vale a pena sequer sonhar com o A350. Infelizmente.

Pois falou com a pessoa errada.

A maior parte está entusiasmada com esse e outros destinos.

Faça o favor de não generalizar!!

Abraço e quem sabe encontramo-nos num SFO (apareça)

Rex

  • Mensagens: 1248
Por acaso também tenho essa ideia das pessoas que conheço da TAP, bastante entusiasmo, SFO de certa forma representa uma TAP a finalmente conseguir sair do buraco em que se encontrava

New Engine Option

  • Mensagens: 2387
A maior parte está interessada em tudo o que não seja voar para o Brasil. Se a senhora não quer voar para São francisco tem sempre a opção de não o pedir quando a empresa abre os pedidos para os voos ou de o trocar, caso lhe calhe em planeamento. Agora afirmar, que toda a classe rejeita fazer isso porcausa do que essa senhora disse é que me parece demais. Não interessa ao fórum obviamente, mas esse SFO tem muito mais pedidos de tripulantes para realizar o voo do que comparado ao ORD e IAD que abrem no mesmo mês. Portanto esse argumento cai por terra. Tudo está ultra feliz por abrirem mais destinos fora do Brasil...

Quanto ao atravessar o Atlântico ser conceito novo em A321neoLR... Deve haver gente que se esquece que ainda há aí muito B757 a voar e que o modelo deveria ter sido continuado e não descontinuado. É um modelo de sucesso e sê-lo-á se operacionalmente tiver custos mais baixos que um WB e se o avião cumprir o range que a Airbus diz ter. E permitirá a reabertura de um sem fim de novos mercados juntos das companhias aéreas. O pax não quer saber em que avião vai. Quer apenas segurança, conforto, boa comida, entretenimento e, se possível, internet. Se vai em NB ou WB, se vai em Airbus ou Boeing, ao comum dos mortais isso não interessa. E são esses que fazem todos os dias os voos, não os entusiastas da aviação.
« Última modificação: 15 de Abril 2019, 18:09:55 por New Engine Option »


Jetstream

  • Mensagens: 716
Nem mais NEO!! 👍

toto1100

  • Mensagens: 3691
Na Europa existem actualmente a volta de 120 companhias aéreas mais coisa menos coisa. A maior parte delas (sobre)vive sob uma enorme pressão e não sabe como vai ser o dia de (depois de) amanhã.
Há quem estime que num futuro não muito distante, apenas 10 a 20 poderão subsistir "sozinho".

A Tap entrou na Star Alliance, e foi uma boa  opção na altura. Mas raramente consegue chegar ao fim do ano com contas equilibradas e a pressão vai aumentar seguramente.

Uma fusão poderá vir a ser necessário um dia.

Até lá a renovação da frota é mais uma obrigação do que uma opção.
Ter optado pelo A339 em exclusivo só é explicável com o desejo do  Neeleman "querer voltar  a sua terra" no matter how....

O A321LR  tem um enorme ponto de interrogação. O passageiro vai querer entrar lá em grande número para atravessar o Atlântico?
É um tiro no escuro, o conceito é novo e por isso arriscado.

Seria um mix entre A339 e A350.
Seria menos USA e mais coragem na Ásia.

Mas o Neeleman esta condicionado às suas origens brasileiras e norte-americanas.

É complicado. Mas na altura mais ninguém (da Europa !!) quis ficar com Tap.

Faz-se transatlanticos em NB ha decadas. Ha umas coisas chamadas 757.
Essa de achar que um dos investidores de maior sucesso da aviação faz as coisas por preconceitos desses e nós é que sabemos o que era bom para a TAP porque ele é tapadinho, minha nossa que falta de noção.

Ja agora, o Neeleman é brasileiro por mero acaso do destino (o pai foi mandado para la pela igreja). Ele aprendeu a falar portugues quando foi da Azul (antes percebia, mas nao falava fluentemente) e nunca deixou de viver nos EUA, ia e vinha todas as semanas. Que raio tem isso a ver com as decisoes dele na TAP isso nao sei.
« Última modificação: 15 de Abril 2019, 18:51:57 por toto1100 »


blue_monday81

  • Mensagens: 104
fonix para o passageiro em turística o A330 neo até é mais confortável que o A350 e bastante mais que o B787, e no fim do dia é isso que o passageiro quer saber.

A vasta maioria dos pax só vai saber dizer que o assento era largo ou não e se tinha muito espaço para os joelhos.

Pois eu como passageiro lhe digo. Os assentos do A330 Neo em económica verde são duros como pau. O espaço de pernas é curto e as dores lomabares num voo de 7 horas aparecem rápido.
Nas cadeiras vermelhas o espaço de pernas é bom , mas continua a ser assento de pau.
O B787 é muito mais confortável. De longe.

Longo curso recentemente so andei no CS-TOF, não me queixo do conforto. Em relação aos aviões do médio curso, digo o mesmo dos bancos verdes... Em voos de 1h30min para a Madeira fico com dores nas costas, nem quero imaginar nos voos de 5h para Moscovo, Dakar, cabo verde e afins...

Fui a Cabo Verde a pouco tempo e na volta fiz Sao Vincente-Lisboa-Londres no mesmo dia. e tirando o espaco para as pernas. Nao achei  os bancos assim tao maus. Na minha opiniao parecem mais descofortaveis do que realmente sao.

Joca

Na minha ideia a melhor aposta para a TAP seria consolidar o brasil em termos de qualidade de produto (o NEO vai ajudar nisso) e apostar em grande em africa. Tentar quem sabe cativar o mercado americano a ir para africa através de Lisboa.

aviationlover

  • Mensagens: 1079
Por  mais frota de longo curso que a Tap tenha ou venha a ter, enquanto o espírito do  colectivo de cabine não mudar, não se vai longe, literalmente.

Recentemente falei com uma Purser, ja com os seu 50 anos. Quando  tematizei São Francisco, em vez de entusiasmo da parte dela sobre este novo ex libris como destino, qual o meu espanto quando me responde, que  nem pensar e Asia ainds muito menos....porque é muito longo...e que não pode ser poque estas horas de voo não estão no contrato colectivo do pessoal de cabine....

Com este espírito não vale a pena sequer sonhar com o A350. Infelizmente.

Pois falou com a pessoa errada.

A maior parte está entusiasmada com esse e outros destinos.

Faça o favor de não generalizar!!

Abraço e quem sabe encontramo-nos num SFO (apareça)

Jetstream ia dizer isso no meu post 2 paginas atras mas passou-me, há tempos falei com um colega teu, perguntei-lhe se estava no curto ou longo, ele disse-me que curto mas ia passar para o longo e falei-lhe em Chicago e S. Francisco e ele mostrou-se muito entusiasmado mesmo, aquela tua colega que um membro colocou aqui, dever ter parado no tempo só pode.

Cebola

  • Mensagens: 366
Compartilhando conversas com tripulantes Tap, alguns pilotos, no geral todos estão bem mais satisfeitos com o desenrolar do desenvolvimento da empresa. Em especial aqueles que viveram o antes e o depois privatização pois o fantasma do Down Sizing da empresa pairava no ar.

TAP153

  • Mensagens: 1081
Falasse de SFO como se fosse inédito na TAP.... LAX idem

New Engine Option

  • Mensagens: 2387
Falasse de SFO como se fosse inédito na TAP.... LAX idem

Sendo reaberturas e no contexto atual devem ser falar como se tem falado.

Tomás Ribeiro

  • Mensagens: 1619
O CS-TOU ainda por cá anda a mostrar a livery da air canada ou já se foi embora?

Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 
Total 102+1=103 ms, db 0 ms, php 103 ms