nunopinheiro

  • Mensagens: 4462
Inicialmente, não acredito que tenha havido ocultação deliberada, o erro fundamental é típico de mau code. Provavelmente quem escreveu o código não percebeu bem os requisitos, e toda a gente que reviu o código não reparou bem nele.

Depois de se aperceberem que havia um problema, que já foi depois do lançamento, houve uma sucessão de erros graves muito graves, que sim já acho que tenha havido ocultação deliberada de problemas por motivos económicos provavelmente. Rezando que nada de mau se viesse a passar, infelizmente.

Bom Video que explica porque razão poderá o piloto ter religado o estabilizador eletrico.

Cebola

  • Mensagens: 413
Julgo que com esta situação todo o procedimento de certificação será forçamente revisto a nivel geral no munda da aviação.
É notorio que os organismos competentes não têm capacidade de acompanhar o desenvolvimento tecnologico dos varios fabricantes.
A juntar a tudo isto, o nivel de competetividade nunca esteve tão ao rubro como agora o que leva a que o stress de cumprir objectivos resulte em erros de concepção, neste caso, programação como tudo leva a crer.
Errar é humano e infelizmente esta falácia é incontornável.
Quanto a quem tem a responsabilidade de certificar, julgo que terão de acompanhar mais de perto os varios desenvolvimentos de forma a poderem entender o seu funcionamento e relevancia num projecto. E aí, poderão questionar o quer que seja antes de um qualquer sistema vir a ser uma realidade.
Pode-se colocar a questão do secretismo, etc e tal, mas tambem existem os NDA para alguma coisa....
O que é certo é que um grande fabricante está envolto em grande polémica onde, digo eu, a culpa não fica só á sua porta.

pedferre

  • Mensagens: 397
Tenho mais confiança na Airbus, e vou explicar a razão, porque o estado francês e alemão, além do espanhol estão bem representados no capital da empresa, o que vai impedir que se torne numa empresa "WallStreet". Não me lembro de ouvir dizer que a Airbus tinha de martelar as peças para caberem como já aconteceu no passado recente na Boeing e agora isto do MCAS.
Quando ocorreu o acidente do voo da Airfrance já se tinha identificado o problema daquelas tubos pilot e os mesmos já estavam a ser substituidos.

P.S: Não tiveram dinheiro para desenvolver o NMA, e tiveram de usar o 737 velhinho, mas depois tiveram dinheiro para andar a esbanjar dividendos aos accionistas. Já sei que este comentário vai ser polémico mas é a minha opinião.
« Última modificação: 08 de Abril 2019, 15:17:39 por pedferre »


toto1100

  • Mensagens: 4015
Nunca vi nenhuma correlacao entre seguranca e haver governos metidos ao barulho. Muito pelo contrario, costuma ser esconder tudo ate mais nao por causa do "bom nome" nacional (isto em geral, nao particularmente na aviacao).
Por algum motivo as boas regras (e as recomendacoes da ICAO) ditam que os reguladores devem ter a maior independencia possivel dos estados em geral e dos governos em particular.
É por isso que ha investigadores de acidentes separados das agencias regulatorios, p.e. E é por isso tambem que na FAA o administrador tem um mandato de 5 anos bastante protegido de interferencia do governo, para poder ser independente das ideias peregrinas que os governos costumam ter (a FAA nao cumpre a recomendacao da ICAO de ter o ANSP separado do regulador civil, é a FAA que faz tudo, embora nominalmente em departamentos separados).
« Última modificação: 08 de Abril 2019, 15:23:44 por toto1100 »


pedferre

  • Mensagens: 397
Nunca vi nenhuma correlacao entre seguranca e haver estados metidos ao barulho. Muito pelo contrario, costuma ser esconder tudo ate mais nao por causa do "bom nome" nacional.
A relação é o nível cultural ser diferente nos dois paises, aqui a Airbus não serve apenas como companhia para distribuir lucros aos accionistas, enfim é a minha opinião (partilhada por alguns americanos em foruns que também frequento). :)

toto1100

  • Mensagens: 4015
Agora dizer que o pais que de longe mais contribuiu para a seguranca da aviacao (mas de muito longe) nao tem cultura de seguranca daria para rir, se o caso nao fosse tao serio.
Em cima disso dizer que é porque ha governos metidos ao barulho no outro lado, valham-nos os santinhos. Grande parte da historia da seguranca da aviacao fez-se tentando afastar o mais possivel os governos da questao.
« Última modificação: 08 de Abril 2019, 15:29:44 por toto1100 »


pedferre

  • Mensagens: 397
Agora dizer que o pais que de longe mais contribuiu para a seguranca da aviacao (mas de muito longe) nao tem cultura de seguranca daria para rir, se o caso nao fosse tao serio.
Em cima disso dizer que é porque ha governos metidos ao barulho no outro lado, valham-nos os santinhos. Grande parte da historia da seguranca da aviacao fez-se tentando afastar o mais possivel os governos da questao.
Apenas digo que os accionistas principais da Boeing atualmente são fundos de investimento, é natural que queiram que a empresa seja gerida segundo uma lógica mais financeira (logo à base de dividendos). E que a Airbus está mais resguardada nesse aspeto porque os estados são grandes accionistas da mesma. :)

toto1100

  • Mensagens: 4015
Uma empresa ser gerida com base no lucro é uma obrigacao legal, quer nos EUA quer na Europa - e logo na Holanda, onde a sede da EADS é.
Se os gestores da Airbus nao gerissem a empresa com base no lucro (que obviamente o fazem) estariam a cometer uma ilegalidade que eventualmente ate os pode levar á prisao.
E repito, nunca se viu nenhum governo que trouxesse grandes garantias em termos de maior seguranca, muito pelo contrario.

De qualquer das formas, na aviacao nao ter a seguranca como fator primordial sempre foi o primeiro passo para ir á falencia. As duas coisas nao sao de todo incompativeis, muito pelo contrario - e os cinicos dirao que é precisamente por isso que a aviacao se preocupa muito mais com a seguranca do que 99% das outras atividades industriais.
« Última modificação: 08 de Abril 2019, 15:43:30 por toto1100 »


pedferre

  • Mensagens: 397
Então como explicas que a Boeing ainda use em 2019 um avião obsoleto (de acordo com os padrões deste século) sem comandos flybywire, em que os pilotos tem de usar força bruta para comandar o avião, atualmente a Boeing está em dificuldades, precisa do novo NMA que não sai do papel. E a Airbus já integrou os aviões C-Series (por um euro), e já vende os antigos Bombardier como Airbus, e a Boeing ainda anda a negociar com os Zucas a parceria com a Embraer...
Não teve dinheiro para desenvolver o novo NMA, e usou o velhinho 737 mais o MCAS.
Mas teve dinheiro nos últimos anos para dar dividendos chorudos aos seus principais accionistas (fundos de investimento).
A Airbus também é dirigida para o lucro, mas tem os estados como contra-peso a que se torne apenas uma empresa "WallStreet", é a minha opinião, mas dou por encerrado este assunto para não dispersarmos do titulo do tópico, este acidente em particular. :)
« Última modificação: 08 de Abril 2019, 15:50:59 por aerointeressado »


nunopinheiro

  • Mensagens: 4462
pedferre, obsoleto com um track de segurança impressionante???

Fizeram %(/%(%(/%& com este mas dai a achar que eles não querem saber da segurança???
esta bosta via lhes custar muito mais dinheiro do que o que poderam ter poupado com a má implementação do MCAS, (o erro original custa mo máximo meia duzia de linhas de código resolver) podemos dizer que foram estúpidos, mas ter preocupações com a segurança é poupar dinheiro ja que ninguém na industria quer problemas com isso.
« Última modificação: 08 de Abril 2019, 15:58:22 por nunopinheiro »


toto1100

  • Mensagens: 4015
O 737 nao é em nada obsoleto, que parvoice.
E a Boeing nao esta em dificuldades nenhumas. Eles no fim do ano passado tinham qualquer coisa como 8.000 milhoes de dolares no banco. Dinheiro mesmo, nao era ativos que precissassem de vender se quisessem usufruir do seu valor.
E espero que saibas que esses fundos de investimento que tem muitas accoes na Boeing (Vanguard, T Rowe, Newport, so para falar nos 3 maiores) sao fundos onde as pessoas tem la as suas poupancas, grande parte delas é o dinheiro que estao a juntar para a reforma; fundos esses que na maioria tem zero intervencao na empresa, apenas compram o numero de accoes para estarem na media do mercado. Estas a confundir com hedge funds e investidores "ativistas", que sao coisas totalmente diferentes (mas que tambem nao esta provado que tenham alguma influencia na seguranca)
Se calhar a Airbus conseguiu fazer isso com o C-Series porque era um projeto falhado que teve que ser oferecido para nao acabar, nao? (Ninguem nega que foi um golpe de mestre da Airbus e um tiro no pé da Boeing.)
E se calhar o problema no negocio Boeing/Embraer nao se concretizar esta no outro lado. As tantas.
« Última modificação: 08 de Abril 2019, 16:07:42 por toto1100 »


Rex

  • Mensagens: 1256
@pedferre Se pensares mesmo bem no assunto verás que o @toto tem razão, o Estado ser accionista dessas empresas só complica ainda mais a independência de reguladores e agências de investigação, a somar aos poderosos "interesses nacionais".
Já referi aqui que por ex. o NTSB é aquilo que qualquer entidade independente sonha ser no resto do mundo inteiro, hoje pode dizer-se que por UK e em França também há bastante independência mas não acredito que esse nível chegue a mais que meia dúzia de países no mundo. E só chegaram aí após muitas décadas de confrontos contra construtores e mesmo contra a FAA. Foi um longo caminho.

O capitalismo americano é um bocado paradoxal, é verdade algumas coisas que pensas, é uma espécie de paraíso dos lobbies e corporações, mas por outro lado, quando a coisa corre para o torto eles lá costumam ter mão pesada. Muito pesada. O que nem sempre acontece para estes lados.
Não há só anjos nem demónios dum lado e outro do oceano, não sei se saberás que parte da cúpula da Airbus foi substituída nos últimos anos por envolvimentos em casos de corrupção que tem sido tratados com muita discrição.

toto1100

  • Mensagens: 4015
Na propria Franca foi uma luta tremenda para a BEA e a DGAC terem a independencia que tem hoje. O estado frances lutou com unhas e dentes contra a Uniao Europeia em geral e a Comissao Europeia em particular porque nao queria que esses organismos governamentais funcionassem de forma tao independente do governo. O governo queria que fosse instrumentos das suas politicas, nao que estivessem ao servico dos interesses da seguranca.
Alias, se a FAA hoje tem de volta no seu "charter" que tem que promover a industria aeronautica americana muito o deve á Airbus e á Franca, porque houve uma altura que a FAA passou a ter uma missao puramente de seguranca (penso que nos anos 80), mas no final dos anos 90 os democratas conseguiram voltar a por isso na missao da FAA por causa do que eles achavam que era concorrencia desleal da Airbus promovida pelos estados europeus.
« Última modificação: 08 de Abril 2019, 16:16:16 por toto1100 »


pedferre

  • Mensagens: 397
O 737 nao é em nada obsoleto, que parvoice.
E a Boeing nao esta em dificuldades nenhumas. Eles no fim do ano passado tinham qualquer coisa como 8.000 milhoes de dolares no banco. Dinheiro mesmo, nao era ativos que precissassem de vender se quisessem usufruir do seu valor.
E espero que saibas que esses fundos de investimento que tem muitas accoes na Boeing (Vanguard, T Rowe, Newport, so para falar nos 3 maiores) sao fundos onde as pessoas tem la as suas poupancas, grande parte delas é o dinheiro que estao a juntar para a reforma. Estas a confundir com hedge funds, que sao coisas totalmente diferentes (mas que tambem nao esta provado que tenham alguma influencia na seguranca)
Se calhar a Airbus conseguiu fazer isso com o C-Series porque era um projeto falhado que teve que ser oferecido para nao acabar, nao? (Ninguem nega que foi um golpe de mestre da Airbus e um tiro no pé da Boeing.)
E se calhar o problema no negocio Boeing/Embraer nao se concretizar esta no outro lado. As tantas.
Se o 737 Max não é obsoleto, então o A320N é que não é mesmo. :)
Não sou anti-americano, mas tenho orgulho na Airbus, e acho que atualmente está a ser bem gerida, tiveram aquela confusão com o desenho do A380 entre os engenheiros franceses e alemães mas desde ai.
A Boeing foi a primeira a lançar o 787 e a Airbus só lançou o A350 uns anitos depois, mas atualmente tem um portfolio mais consistente que a Boeing.
Até parece que na Boeing não existe corrupção, o que os europeus (exceto ingleses) estão atrás do americanos é a nivel de espionagem... :)
A espionagem americana até passou à Boeing os valores pelos quais a Airbus estava a negociar com os clientes, para a Boeing fazer uma melhor oferta.
« Última modificação: 08 de Abril 2019, 16:14:44 por pedferre »


toto1100

  • Mensagens: 4015
Alguem sequer falou do A320N aqui?! A que proposito veio isso?
Se sabes que ha corrupcao na Boeing é denunciar. Eles ate operam nos paises que mais levam isso a serio no mundo e tudo (nao, nao é a Franca nem a Alemanha).

Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Aviso: este tópico não tem nenhuma mensagem nova há, pelo menos, 90 dias.
A não ser que tenha a certeza que quer responder, por favor, considere a hipótese de criar um novo tópico.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 

Tópicos Relacionados

  Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
20 Respostas
2241 Visualizações
Última mensagem 01 de Junho 2017, 16:45:52
por anonuser2
0 Respostas
476 Visualizações
Última mensagem 31 de Agosto 2018, 18:14:10
por MiguelRei
48 Respostas
7217 Visualizações
Última mensagem 07 de Dezembro 2018, 10:52:05
por Cebola
2 Respostas
554 Visualizações
Última mensagem 28 de Fevereiro 2019, 12:15:23
por CS-TOD
23 Respostas
2325 Visualizações
Última mensagem 27 de Junho 2019, 08:44:18
por IL62M

Total 118+0=118 ms, db 0 ms, php 118 ms