hsousa

  • Mensagens: 528
Acho que a desculpa do combustivel nem devia ser dada, afinal é para todas as empresas da aviação e a tap custuma aumentar as taxas de combustivel

Agora 1 area que não entendo muito, sempre que recebem 1 avião tem que pagar alguma "entrada"??
Pergunto porque em 2018 a tap ainda recebeu alguns aviões, mas se tem de pagar a tal "entrada" este ano ainda vai ser bem pior porque tem n aviões para entrar

Mas isto tudo é a prova do que se diz aqui há muito, vemos o pessoal a meter que a tap bate recordes de passageiros e cada vez andam os aviões mais cheios, mas isso não quer dizer lucros, pode querer dizer cada vez mais 1 tarifa apertada em termos de custos/lucro

De facto a questão do combustível não deveria ser apresentada como desculpa. Para acautelar isso (eventuais perdas com combustível) o que se faz são seguros.

Rex

  • Mensagens: 1098
@hsousa
- Por um lado também sempre achei isso que usar combustíveis como "desculpa" não faz muito sentido pois afecta todas. Por outro lado pelo que tenho aprendido e pensado sobre o assunto nos últimos anos o combustível é mesmo tramado na aviação. É um peso enorme volatilidade/incerteza num negócio desta área.

- Não há seguros, há hedging, mas hedging é jogar à roleta, é casino. Umas vezes corre bem outras vezes pode acabar em catástrofe. Vide SWAPs do Metro do Porto por ex.

aviationlover

  • Mensagens: 851
Chama-se a isso contar com o ovo no dito da galinha.

Bremem

  • Mensagens: 403
Eu acrescentaria ... do dito não saem ovos só prejuízos.
Agora mais a sério. Estas contas só se podem entender olhando o detalhe das respectivas rubricas. Por isso com a informação disponível só podemos especular.
No entanto existem coisas que me custam a entender. Essa da desvalorização do Real é uma realidade que qualquer empresa com receita no Brasil anda a acautelar há anos. Eu gostava era de conhecer qual a percentagem de incumprimento dos clientes Brasileiros nas compras parceladas de bilhetes ?
Gostava também de saber a percentagem de passageiros que não recebe dinheiro da indemnizaçaõ mas sim em voucher ou milhas.
Os numeros apresentados para compensações são enormes.
Das explicações que li, muitas são coerentes. Mas não justificam 10 milhões de prejuízo por mês.
Enfim ... Deve haver mais galos que galinhas daí não haver ovos.

nunopinheiro

  • Mensagens: 3767
Bremem acho que o pessoal esta muito mais informado que no passado. antigamente quase ninguém sabia que podia ganhar uns trocos com os atrasos.

Agora já quase todos sabem da Air help e co.

BTW a desvalorização do real no ano passado nem foi tão pronunciada quanto a a 2 anos.
O problema IMO  passara provavelmente pela maior concorrência que impede a TAP de aumentar os preços para compensar essa desvalorização.
« Última modificação: 26 de Março 2019, 17:11:38 por nunopinheiro »


jferreira20

  • Mensagens: 379

Gostava também de saber a percentagem de passageiros que não recebe dinheiro da indemnizaçaõ mas sim em voucher ou milhas.


Em termos contabilísticos, dares uma indemnização ou um voucher/milhas é mais ou menos o mesmo, porque cada voucher e cada milha têm um valor monetário associado. Só pode fazer diferença se e quando alguns desses vouchers/milhas expirarem e isso não é no imediato. A grande diferença é que o voucher/milhas não mexe na tesouraria da empresa, o que é benéfico no caso de uma empresa que historicamente tem alguns problemas a esse nível e que tem que os compensar com dívida, que paga juros.

TAP153

  • Mensagens: 1041
Problemas da política de hub, sem ter um tráfego O/D forte que compense as "borlas" nos voos de ligação é um negócio difícil de gerir.

Voos cheios em rotas sem grande procura no mercado local só se enchem com tarifas baixas, o tal yield que não deixa margem para o inesperado.
« Última modificação: 26 de Março 2019, 22:04:09 por TAP153 »


FFPCRUZ

  • Mensagens: 8
Bremem acho que o pessoal esta muito mais informado que no passado. antigamente quase ninguém sabia que podia ganhar uns trocos com os atrasos.

Agora já quase todos sabem da Air help e co.

BTW a desvalorização do real no ano passado nem foi tão pronunciada quanto a a 2 anos.
O problema IMO  passara provavelmente pela maior concorrência que impede a TAP de aumentar os preços para compensar essa desvalorização.

Câmbio médio anual do EUR/BRL  período 2015 - 2018

2015 = 3,7
2016 = 3,9
2017 = 3,6
2018 = 4,2

A desvalorização do real (aprox 16,5%) foi efectivamente forte face ao ano de 2017 (ano de comparação).
É muito difícil para uma empresa de aviação contornar esta situação uma vez que a sua operação na prática não está sedeada no Brasil. Todos os custos decorrentes desta são realizados em euros. Por isso está completamente exposta à variação câmbio.
« Última modificação: 27 de Março 2019, 00:35:47 por FFPCRUZ »


FFPCRUZ

  • Mensagens: 8
@hsousa
- Por um lado também sempre achei isso que usar combustíveis como "desculpa" não faz muito sentido pois afecta todas. Por outro lado pelo que tenho aprendido e pensado sobre o assunto nos últimos anos o combustível é mesmo tramado na aviação. É um peso enorme volatilidade/incerteza num negócio desta área.

- Não há seguros, há hedging, mas hedging é jogar à roleta, é casino. Umas vezes corre bem outras vezes pode acabar em catástrofe. Vide SWAPs do Metro do Porto por ex.

Não é bem uma desculpa. São antes drivers de variação face a um termos de comparação. Creio que o termo de comparação utilizado é o ano anterior (2017) e não outras companhias aéreas. Neste caso sim, a variação do preço do combustível foi efectivamente prejudicial à operação.

nunopinheiro

  • Mensagens: 3767
Fiocruz, tenho de ver melhor esses valores, eu fui olhar para os gráficos de cambio e comparei os dois períodos.

De resto o meu argumento mantém-se o problema é essencialmente concorrencial. Não tivesse a TAP concorrência e simplesmente reflectia no preço do bilhete a desvalorização do real.
O problema é que está exposta agora a concorrência mais forte de companhias brasileiras com estruturas de custos em reais e isso impede a TAP de em Reais cobrar o equivalente em cada momento em euros.

Resta o problema de vendas com pagamentos com datas muito posteriores a venda. Mas desse problema a TAP estará relativamente bem.

Bremem

  • Mensagens: 403
A questão é que a TAP não faz nos EUA aquilo que fez no Brasil.
Tarifas EUA 400/ 500 euros. Tarifas para o Brasil 900/1000 euros. Para o Brasil "chularam" o mercado europeu emissor da diáspora Brasileira que pagavam em euros que se fartaram dos preços exorbitantes .

Então o mercado emissor brasileiro pagante em reais e parcelado não é tão bom ? agora aguentem-se.

E mais ... pagar o mesmo para Fortaleza ou Porto Alegre não é uma maravilha ?

Agora subam as tarifas para o maravilhoso mercado dos EUA e ponham as tarifas a 800 ou 900 euros. Ou o avião a voar para Miami gasta menos e os custos são menores ?

Depois vêm dizer que a culpa é dos sindicatos e de uma greve.

toto1100

  • Mensagens: 3403
Um dia as pessoas vao perceber que o que dita os precos de um produto é a procura, e nao os custos. Esse dia cheira-me que ainda nao vai ser hoje.

Bremem

  • Mensagens: 403
Nas faculdades ensina-se isso. Mas a maioria dos que ensinam isso nunca pagaram ordenados ao fim do mês.
Por mim fico no equilibrio de 3. Procura, custo, mercado estimado.

toto1100

  • Mensagens: 3403
Explica entao qual a vantagem de por os precos concomitantes com os custos, se a procura faz com que pudessem ser mais altos? Para deitar receita potencial fora? Menos receita para custos iguais vai dar para pagar mais salarios?
« Última modificação: 27 de Março 2019, 09:32:41 por toto1100 »


nunopinheiro

  • Mensagens: 3767
O custo define o preço mínimo, (menos que isto e perco dinheiro) a procura o preço máximo (quanto é que posso cobrar maximizando a receita) o problema é quando a procura valida um preço menor que o preço mínimo ;), sendo que o objetivo é sempre maximizar a receita, fica fácil de ver o que acontece ao critério do preço mínimo ;) (sim já estamos a perder dinheiro, mas continuamos a tentar maximizar a receita :).

o momento do crossover é o momento em que pensamos em fechar uma rota aka não consigo ter receita aqui que pague os meus custos
« Última modificação: 27 de Março 2019, 09:58:22 por nunopinheiro »


Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 

Tópicos Relacionados

  Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
6 Respostas
1466 Visualizações
Última mensagem 11 de Junho 2014, 10:54:02
por fao_operation
1 Respostas
542 Visualizações
Última mensagem 03 de Maio 2015, 10:47:51
por jopeg
0 Respostas
455 Visualizações
Última mensagem 06 de Maio 2015, 15:43:15
por lockheed
127 Respostas
6703 Visualizações
Última mensagem 09 de Maio 2016, 10:59:44
por ClearedForTakeOff
6 Respostas
1080 Visualizações
Última mensagem 15 de Abril 2016, 23:46:35
por Spak

Total 91+0=91 ms, db 0 ms, php 91 ms