Cebola

  • Mensagens: 391
Confirmado o negocio por $550 milhoes.

Mais o passivo.
Caso para dizer que a Bombardier fez-se valer e que a Mitsubishi não olhou a meios para pôr o MRJ na praça.
Depois dos varios bilhões desenbolsados, e face ao que ganham em termos de estrutura e Know How, se calhar até foi barato.
Win-win

tareias77

  • Mensagens: 4781
Confirmado o negocio por $550 milhoes.
Vamos ver se não surgirá daqui a uns anos um novo player no mercado, não só no segmento regional, mas também nos segmentos do médio curso.

Cebola

  • Mensagens: 391
Confirmado o negocio por $550 milhoes.
Vamos ver se não surgirá daqui a uns anos um novo player no mercado, não só no segmento regional, mas também nos segmentos do médio curso.
Tambem gostava de ver outro player com argumentos e produto sem ser os do costume, Boeing e Airbus, pois os restantes também andam inexpressivos.

tareias77

  • Mensagens: 4781
Caro Cebola, aliando o carácter perfeccionista dos japoneses á experiência dos canadianos, poderá advir daí boas surpresas.

nunopinheiro

  • Mensagens: 4336
tareias77, heeee, desconfio que a aparecer será da China, mercado interno suficientemente grande para fazer essa companhia crescer, mesmo que a força. (a sorte para a A e B é que a china usa as suas aquisições como moeda de troca política junto dos USA e EU)

isto são multinacionais, e o poder das economias de escala em particular no poder de aquisição junto dos fornecedores vale na pratica mais que a qualidade de eng de uma vs a outra.

No passado quando os volumes eram mais pequenos era bastante mais fácil. Atualmente, sem uma carteira de encomendas brutal é muito difícil competir com a A e B, em particular nos seus segmentos core.

Grande parte do falhanço do CS da bombardier deve-se a isto e não a incompetente eng. O aparelho é muito bom. Agora produzir este com volume e preço é que é complicado. E sem preço não tens volume de vendas e sem volume não tens preço ...
« Última modificação: 26 de Junho 2019, 12:50:24 por nunopinheiro »


toto1100

  • Mensagens: 3925
E sem volume tambem depois nao tens MRO competitivo.

Cebola

  • Mensagens: 391
Julgo que a Comac será a grande na China mais não seja para defender a prata da casa mas não os vejo a ter muitos mais aparelhos fora dos mercados "comunistas".
Produtos japoneses são associados a robustez e inovação. Basta vermos no mercado automóvel onde a Toyota discute a nivel mundial os lugares cimeiros de vendas, para alem de terem sido estes os grandes lançadores dos hibridos, e agora hidrogénio.
Julgo que a Mitsubishi terá agora tudo para se lançar e se afirmar, senão não quereria uma estrutura com cobertura mundial como a da Bombardier.
Ao analisar as especificações do Mrj ou spacejet, continuo intrigado com a capacidade carga do aparelho, 18m3, que é grande para um aparelho para os pax capaz de acomodar. Pode facilmente ser um fator diferenciador para abertura de novas rotas, ou existentes, onde a carga é importante. Africa ou até mesmo alguns dos nossos destinos insulares onde a carga é muito importante, poderia fazer sentido.
Isto para dizer que o atual Mrj é muito interessante, da mesma forma que um qualquer aparelho de médio porte tambem o poderá ser.
Isto tudo, e como discutido no outro topico da Boeing pelo Nuno e Rex, a concorrencia é salutar e as cias agradecem.

Cebola

  • Mensagens: 391
Rectifico a minha afirmação relativamente á capaciddae de carga.
o E175 tem 17m3, logo os 18m3 não são "nada de especial".
a grande vantagem é o acesso á area de bagagem pois ao estar na traseira, beneficinado muito em altura, permite melhor manuseamento da bagagem por parte dos operadores de placa.
Esta ideia resulta da procura de menor rotação possivel no aeroporto.
« Última modificação: 26 de Junho 2019, 18:12:28 por Cebola »


nunopinheiro

  • Mensagens: 4336
Cebola eles são todos a mesma coisa fundamentalmente os fornecedores são os mesmos, desde que passem os testes de segurança e  que assegurem peças e manutenção global, as empresas não querem saber, se ele é chinês alemão ou brasileiro, o que conta é o preço. Mais nada....

Cebola

  • Mensagens: 391
:D
Sim e não... senão o MC-21, com o apoio do estado russo, ja estaria a bombar em encomendas pois o preço anunciado seria muito inferior ao 737 ou 320.
A qualidade final do produto é muito importante para evitar qualquer constrangimento operacional sempre que o aparelho avaria.
E sim, concordando em pleno, a rede global é fundamental, algo que a Mitsubishi conseguiu neste seu 2 em 1, juntamente com o Know How canadiano.

nunopinheiro

  • Mensagens: 4336
Os russos falham muito no suporte pós venda. Demasiado. É um risco elevado que as empresas não conseguem assimilar.

A qualidade do aparelho referido é bastante boa pelo que se diz, agora a manutenção e peças... É um problema muito mais complicado...

O estado russo não é propriamente rico para se meter nisto.

Cebola

  • Mensagens: 391
https://www.flightglobal.com/news/articles/mesa-airlines-agrees-to-buy-up-to-100-spacejet-m100-460701/
50 firmed + 50 opção.
Parece que finalmente a Mitsubishi vai "levantar voo".
Todos para o mercado US com 76 lugares.

Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 

Tópicos Relacionados

  Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
13 Respostas
1880 Visualizações
Última mensagem 02 de Janeiro 2017, 08:48:27
por ClearedForTakeOff
21 Respostas
3189 Visualizações
Última mensagem 13 de Janeiro 2017, 13:00:07
por ruialves
1 Respostas
753 Visualizações
Última mensagem 17 de Fevereiro 2017, 18:34:53
por FLopes
11 Respostas
1318 Visualizações
Última mensagem 10 de Outubro 2017, 00:07:39
por JB
3 Respostas
1384 Visualizações
Última mensagem 19 de Novembro 2017, 00:14:23
por Capitão do Fim

Total 68+0=68 ms, db 0 ms, php 68 ms