brunodias

  • Mensagens: 4514
Por acaso o user que falo é sempre o mesmo, e consigo justificar o que digo

aviationlover

  • Mensagens: 1201
Sim, andaram anos a estudar o assunto, conseguirem que fosse publicado um artigo num jornal cientifico, tudo para haver uma noticia encomendada. Faz todo o sentido.

Nao percebo é que tem a noticia a ver com este topico. Ha um topico para o aeroporto da Portela, mas isto ja se viu que é um topico para o Acacio despejar tudo o que encontra na internet.

Pois mas eu não acredito, não é à toa que essa notícia sai logo nesta altura por algum motivo.

Você é como aqueles velhos dos marretas, pôe em causa tudo aquilo que os outros dizem aqui no fórum.

Over & out.

toto1100

  • Mensagens: 3925
A noticia saiu agora porque o artigo foi publicado agora (este mes de Setembro para ser concreto). Mas devem ser os turcos que editam a revista que andam a manipular isto tudo.

Estudo esse que ate conclui que nao descobriram nada de surpreendente, simplesmente mediram o que nunca antes tinha sido medido e concluiram que os resultados foram os expectados. So gente muito a leste é que pode achar que aquelas toneladas todas de jet fuel queimadas no solo nao iam encher o ar de particulas finas - nada que se compare ao que fazem os carros a gasoleo por esse pais fora, claro; nomeadamente porque nao se concentram so em 3 locais no continente.

Curiosamente os autores deste estudo foram os mesmo que tambem fizeram aquele estudo sobre os impactos na qualidade do ar dos barcos no Tejo (embora as noticias que sairam so falassem nos cruzeiros, eles estudaram os outros barcos tambem). Nesse ai ja eram os maiores para algumas pessoas deste forum porque concluiram que os barcos poluiam (e nesse estudo ate descobriram coisas que a literatura ainda nao tinha discutido, ao contrario deste) e nao eram so os avioes.

Ambos os estudos resultaram do mesmo projeto financiado pela FCT. E é duvidoso que por isso tenham sido propostos antes de pelo menos 2017 (e ja tera sido muito rapido se for o caso).

Resumindo: um bocado de espirito critico nao fica mal a ninguem. E como o Nuno diz abaixo, um forum é para discutir; se nao querem que os vossos posts sejam discutidos criem um blogue ou postem no facebook e proibam comentarios. Assim podem continuar na vossa bolha e nos vossos achismos sem serem contrariados.
« Última modificação: 05 de Setembro 2019, 15:24:22 por toto1100 »


nunopinheiro

  • Mensagens: 4336
Citação
Você é como aqueles velhos dos marretas, pôe em causa tudo aquilo que os outros dizem aqui no fórum.

Sempre achei piada a essas duas personagens, se-calhar sou uma delas, mas por em causa as coisas é saudável (já reparou que foi o que o próprio A.lover fez), e se temos a certeza das nossas convicções não temos qq problema com isso. Só ficamos chateados quando...

Se o que querem é cámaras de eco é ir po twitter ou para o facebook naqueles grupinhos fechados.
« Última modificação: 04 de Setembro 2019, 20:43:21 por nunopinheiro »


RazeR550

  • Mensagens: 78
Isto tinha tudo uma solução, menos aviões e mais veleiros. Ponto final.

Acácio Pires

  • Mensagens: 1041
    • Gostaria de debater o tema da aviação com um olhar centrado na sustentabilidade social e ambiental
Citação

Declaração de impacte ambiental

Artigo 18.º

1 - A DIA pode ser favorável, favorável condicionada ou desfavorável, fundamentando-se num índice de avaliação ponderada de impactes ambientais, definido com base numa escala numérica, correspondendo o valor mais elevado a projetos com impactes negativos muito significativos, irreversíveis, não minimizáveis ou compensáveis.

2 - A DIA desfavorável extingue o respetivo procedimento de AIA.

......

para a tabela lá encontrei um trabalho de mestrado onde se explica como se chega aos valores que determinam se o DIA é emitido favorável, condicionada ou desfavorável

Citação
Metodologia do Índice de Avaliação Ponderada

No Índice de Avaliação Ponderada (IAP), o valor do índice reflete a significância dos impactes, considerando as eventuais medidas de minimização dos impactes negativos e/ou de potenciação dos impactes positivos. Para o seu cálculo, foi considerado um conceito lato de “significância” que integra todas as dimensões de classificação de impactes, como a reversibilidade e magnitude, bem como o potencial de minimização/potenciação das medidas propostas (Grupo de Pontos Focais das AAIA,
2014).

De acordo com a metodologia desenvolvida pelo Grupo de Pontos Focais das AAIA, para calcular o valor do IAP é necessário seguir 6 etapas principais, sendo a primeira o preenchimento da Ficha Setorial. Esta Ficha pretende sintetizar a informação necessária para o cálculo do índice e deve ser preenchida em função dos impactes (negativos e/ou positivos) com maior significado na avaliação de cada fator ambiental em consideração.

No preenchimento da Ficha Setorial, identifica-se o fator ambiental em questão, indicando se foram, ou não, identificados impactes negativos e/ou positivos. Caso tenham sido identificados, e considerando a adoção de medidas preventivas/de minimização (no caso dos impactes negativos) e de medidas de potenciação (no caso dos impactes
positivos), classificam-se os impactes negativos expectáveis como “Muito significativos”, “Significativos”, “Pouco significativos” ou “Sem significado”.

De seguida, inicia-se o preenchimento da folha de cálculo do IAP, transpondo a informação recolhida nas Fichas Setoriais, e identificando a significância global dos impactes negativos e positivos, por cada fator. Após a indicação da significância dos impactes, procede-se à identificação da preponderância dos vários fatores ambientais para a avaliação global do projeto,
considerando três graus de classificação:

 “Não relevante” – quando o fator não assume particular importância para a avaliação do projeto, quer pelas características intrínsecas do próprio projeto ou pelo local onde se insere;

 “Relevante” – quando o fator assume particular importância para a avaliação do projeto;

 “Determinante” – quando o fator assume um caráter fundamental e condiciona a avaliação do projeto, independentemente da relevância dos restantes fatores.

A quarta etapa consiste na avaliação ponderada dos impactes negativos e positivos por fator ambiental. Decorrente do preenchimento efetuado até então, são automaticamente preenchidos os quadros subsequentes, onde os impactes, por fator
ambiental, são ponderados numericamente, segundo uma matriz resultante do cruzamento entre a preponderância dos fatores e a significância dos impactes identificados (Tabela VIII-1).



Nas situações em que a significância ponderada é de 8 em pelo menos um fator ambiental, i.e., existem impactes negativos muito significativos em fatores determinantes, não se efetua a ponderação de impactes, sendo automaticamente gerado um IAP = 5.

Por fim, a sexta etapa, consiste na correspondência entre o IAP e o sentido de decisão da DIA. O índice está definido numa escala numérica entre 1 e 5 (Tabela VIII-2), estando, conforme o previsto no n.º 1 do Art.º 8.º do RJAIA, relacionados com o sentido da DIA a emitir.

estes são os DL e a Lei que regula os IEA e por finalidade se o DIA que é emitido em que se verifica que o artigo 18 pouco mudou do original

Decreto-Lei n.º 151-B/2013 de 31 de outubro
https://dre.pt/application/conteudo/513863

Decreto-Lei n.º 47/2014 de 24 de março alteração ao DL nº151/2013
https://dre.pt/application/conteudo/572123

Decreto-Lei n.º 179/2015 de 27 de agosto alteração ao DL nº47/2014
https://dre.pt/application/conteudo/70128402

Decreto-Lei n.º 152-B/2017 de 11 de dezembro alteração ao DL nº179/2015
https://dre.pt/application/conteudo/114337013

Lei n.º 37/2017 de 2 de junho
https://dre.pt/application/conteudo/107458720

Obrigado B Silva

Consegue identificar o IAP relativo ao do Aeroporto do Montijo?

Até breve.

nunopinheiro

  • Mensagens: 4336
Acácio Pires então o senhor que com tanta atenção leu e releu o EIA do Aeroporto do Montijo, e que nos mandou a nos ler, afinal não encontra la o valor???

Olhe eu pensei que fosse aquele que aqui colocou a bold e com letra garrafal um sem numero de vezes no meio de insultos ao pessoal aqui?

Não dá geito agora? temos pena ;)

Citação
No caso do Montijo os impactos negativos com medidas de mitigação são de (-2.05)
Os impactos positivos com medidas de potenciação são de (+0.84)

desconfio eu que para bom entendedor o "-" (valor negativo) se refira a total de impactos NEGATIVOS aka 2.05 na tabela que o caro B Silva encontrou implica Favorável Condicionada...

já agora é capaz de pedir desculpa por ter informado incorretamente o pessoal aqui?
e ao mesmo tempo de forma arrogante ter mandado consultar a lei que afinal não dizia nada disso?
« Última modificação: 09 de Setembro 2019, 12:16:31 por nunopinheiro »


Acácio Pires

  • Mensagens: 1041
    • Gostaria de debater o tema da aviação com um olhar centrado na sustentabilidade social e ambiental
desconfio eu que para bom entendedor o "-" (valor negativo) se refira a total de impactos NEGATIVOS aka 2.05 na tabela que o caro B Silva encontrou implica Favorável Condicionada...

É possível que desconfie mal ...

Pode citar o EIA que está em discussão pública?

nunopinheiro

  • Mensagens: 4336
O homem eu citei-o a si, que é que quer mais?

Se tem um problema consigo isso é um problema seu.

Mais uma vez vem para aqui cheio de certezas e falsidades e depois é descoberto, e em vez de admitir o erro, dispara em direções várias como se o pessoal aqui não visse isso...
Que tal pedir desculpa por ter faltado a verdade mais uma vez???

O homem o seu nome por aqui já é motivo de chacota em outros threads, sempre que por aqui alguém se engana é apelidado de Acácio...

Que é extremamente injusto, uma vez que raramente esses enganos de outros forista são propositados e muito menos dolosos...
Já os seus.... Não tenho a certeza...
« Última modificação: 10 de Setembro 2019, 22:43:54 por nunopinheiro »


brunodias

  • Mensagens: 4514
desconfio eu que para bom entendedor o "-" (valor negativo) se refira a total de impactos NEGATIVOS aka 2.05 na tabela que o caro B Silva encontrou implica Favorável Condicionada...

É possível que desconfie mal ...

Pode citar o EIA que está em discussão pública?

Eu não entendo, sempre que a conversa não está a seu favor, pede sempre para os outros irem há procura e para dizerem onde está, depois quando pensa que a conversa está a seu favor, mete ai coisas e coisas

Acácio Pires

  • Mensagens: 1041
    • Gostaria de debater o tema da aviação com um olhar centrado na sustentabilidade social e ambiental
Já percebemos que que certos foristas não entenderam que o B Silva está a falar de uma escala diferente daquela que foi usada no EIA.

O que temos para já é que o somatório dos impactos negativos com as respectivas medidas de mitigação e devidamente ponderado em termos qualitativos é 2 vezes superior ao somatório dos impactos positivos devidamente ponderados.

Conseguem dizer se a OTA ou Alcochete que também foram objecto de AIA apresentam valores piores?

Quando tiverem novidades apitem.

Entretanto esqueci-me de uma conversa muito interessante com o amigo ascensão
http://siaia.apambiente.pt/AIADOC/AIA3280/rs_eia_am_vol.ii.a2019726195433.pdf
pág 42 e 43.
Veja-se aqui a diferença de slots disponíveis em Janeiro e em Agosto.

Isto mostra que é possível fazer alguma coisa para reduzir a sazonalidade na utilização do aeroporto nos meses de Outono/Inverno?

nunopinheiro

  • Mensagens: 4336
Que é que dizem do maior cego???

Algo tipo que é aquele que não quer ver ?

Pior ainda será aquele que não vendo quer tapar os olhos dos outros...

Já percebemos não dá jeito temos pena.

Ota não sei, mas no CTA os valores eram sensívelmente os mesmos, se interpretar os gráficos de forma semelhante.

Entretanto já se muda o assunto porque .... Já sabemos o que a casa gasta...
« Última modificação: 11 de Setembro 2019, 19:18:54 por nunopinheiro »


New Engine Option

  • Mensagens: 2491
Não vale a pena continuar a dar murros em pontas de faca: isto vai para a frente MESMO.

Acácio Pires

  • Mensagens: 1041
    • Gostaria de debater o tema da aviação com um olhar centrado na sustentabilidade social e ambiental
Não vale a pena continuar a dar murros em pontas de faca: isto vai para a frente MESMO.

Isso é que era bom!

As violações da lei são tantas ... directiva habitats artigo 6, directiva de AAE ... já existem escritórios internacionais de olho nisto.
Uma pergunta para aviadores ... isto passa certificação ICAO sem nível de risco atribuido?

Acácio Pires

  • Mensagens: 1041
    • Gostaria de debater o tema da aviação com um olhar centrado na sustentabilidade social e ambiental

Ota não sei, mas no CTA os valores eram sensívelmente os mesmos, se interpretar os gráficos de forma semelhante.


Consegue apresentar números aqui?

Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 

Tópicos Relacionados

  Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
9 Respostas
2470 Visualizações
Última mensagem 08 de Julho 2014, 17:18:44
por Jefs
215 Respostas
37856 Visualizações
Última mensagem 22 de Fevereiro 2018, 09:12:35
por toto1100
139 Respostas
25616 Visualizações
Última mensagem 16 de Fevereiro 2016, 20:39:51
por Flyhigh
6 Respostas
1267 Visualizações
Última mensagem 28 de Setembro 2016, 20:46:07
por iSeven
15 Respostas
2408 Visualizações
Última mensagem 28 de Julho 2017, 23:00:23
por joaoff17

Total 106+0=106 ms, db 0 ms, php 106 ms