Joana Melo

Breaking News

JFK só deverá voltar em Abril de 2021 e EWR terá um A339 + um A321LR a partir de 1 de Julho. A reação do lado de lá do Atlântico de 3 grandes clientes é a pior possível. Um deles afirmou mesmo ''We understand economies of scale but TAP is going back to the same mistake and we will not return even in the summer of 2021 and will stick with Delta''.

Ao contrário do que diz o toto, a CE não quis nem quer saber do que vai ou não a TAP fazer, porque também não questionou o que vao a Condor saber e o empréstimo do governo alemão à Condor é direto e no valor de 550 milhões de USD. E foi ontem aprovado. A TAP apenas terá o aval do Estado para 1/5 dos 3 mil milhões de USD já garantidos pelos 2 bancos Chineses.

OPO não terá longhaul neste verão. Nem EWR, nem GIG, nem GRU.

Estão a ser analisados ORD, IAD e SFO e tudo indica que se irão manter, eventualmente com uma redução de frequências até o tráfego voltar à normalidade.

Vão fazer a vontade ao Adob e virão 20 novos A220 substituír os A339 para todas as rotas de longo (just joking darlings).

toto1100

  • Mensagens: 5252
Começavas a andar mais a par do que se passa no mundo em vez de engolir acriticamente as petas que te mandam.
Quem disse que a CE exigiu à TAP um plano até 2024 foi um ministro:

https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/siza-vieira-bruxelas-exige-saber-plano-estrategico-da-tap-ate-2024-para-autorizar-ajuda-578778

Alguém que mande o link cá do fórum para Bruxelas!

Tambem ja te registavas no forum. Nao precisas de usar o email da TAP, cria um no hotmail.

E por acaso o emprestimo à Condor já foi aprovado pela CE. Se como tu dizes a CE não lhes pediu nada (o que é duvidoso) e à TAP pediu já diz bastante.
« Última modificação: 28 de Abril 2020, 10:23:09 por toto1100 »


nunopinheiro

  • Mensagens: 5714
Mas em que planeta é que esta gente anda, primeiro confunde empréstimos com injeções de capital como se fosse a mesma coisa. E acha que isto vai ser assim sem ninguém se chatear.

A ver se nos entendemos, empréstimos com aval não tem grande problema, o estado anda nisso a décadas... Injeções de capital via aumento deste é que é mais complicado. 


Já estou a ver o tipo da Rayanir a mandar postas de pescada no futuro sobre o assunto, quando o acusarem de receber subsídios ilegais por parte de entidades regionais.

CLARO que os apois vão ter de ser regulamentados ou deixamos de ter um mercado concorrencial justo...

De agora para amanha as americanas com apoios do estado decidem fazer absoluto dumping (usando os apoios do estado norte americano) nas rotas da TAP para os USA, naturalmente que a TAP vai falar com quem de direito de forma a defender os seus interesses... Ora para esta poder fazer isso tem de estar escudada do ponto de vista das leis da concorrência, ou...
« Última modificação: 28 de Abril 2020, 10:28:31 por nunopinheiro »


superpiloto

  • Mensagens: 776
Acho um erro não manter o JFK. A perda de clientes vai ser grande como ja foi dito acima. Não giro a TAP, nem pouco nem mais ou menos, mas não deveria ser complicado colocar o A321LR em JFK em vez do segundo em EWR.

TAP153

  • Mensagens: 1328
Talvez a decisão mais acertada até agora desta administração. Acho que se continua a confundir as taxas de ocupação com a rentabilidade.

Uma rota alimentada por passageiros jetblue que são extremamente sensíveis ao preço e que, muito provavelmente, estão entre os milhões de desempregados que surgiram de um dia para o outro, não vão continuar a vir para a Europa por 300 USD.

Houve críticas tão fortes neste fórum ao tráfego étnico e agora tomara que seja esse tráfego a sustentar a TAP. Esta é a razão do EWR e BOS serem as rentáveis do Atlântico norte.

O passado volta a repetir-se... Ainda bem que há emigrantes.

New Engine Option

  • Mensagens: 3504
JFK tem custos operacionais mais caros que EWR creio eu, tendo a TAP sempre optado por investir mais em EWR ao longo dos tempos. É previsível.

De qualquer das formas tudo está em análise e nenhuma decisão está fechada sobre calendarização na retoma de rotas. Tudo o que se disser é precipitado nesta fase, disse o ceo ontem.

E a mim parece me que o estado vai sim dar o seu aval a TAP sem grandes contra-partidas, ao contrário do anunciado pelo ministro da economia, que aquilo que quer é que o governo aumente a influência estatal na companhia. Não me parece mesmo que tal aconteça nesta fase, tendo em conta a disponibilidade e confiança que as instituições financeiras parecem ter na emissão de dívida da TAP. Isto tendo em conta o que tem sucedido na própria Europa com outras companhias e nos EUA. E dos 3 mil milhões totais, que a TAP não precisa nem lá perto, apenas 15 a 20 por cento seriam assegurados por instituições chinesas. O resto seria da Europa, Reino Unido e até Austrália. A decisão será conhecida a princípio no prazo de uma semana.
« Última modificação: 28 de Abril 2020, 11:21:09 por New Engine Option »


toto1100

  • Mensagens: 5252
Se o governo já anda a perguntar à CE o que é preciso para esta aprovar controlo estatal na TAP, de certeza que nao o estao a fazer so porque um ministro pessoalmente o quer.

New Engine Option

  • Mensagens: 3504
Rumores, meu caro, rumores... Nada certo ainda.

nunopinheiro

  • Mensagens: 5714
Eu percebo que o atual controlo privado da TAP não queira aumentos de capital que eles não conseguem acompanhar. Não querem ver a sua posição diluída.

A questão é se mais empréstimos é o que melhor serve a TAP. eu acho que não mas...

Bem se o estado não quiser dar o aval e preferir aumento de capital a coisa fica resolvida logo..
« Última modificação: 28 de Abril 2020, 11:39:20 por nunopinheiro »


toto1100

  • Mensagens: 5252
Rumores, meu caro, rumores... Nada certo ainda.

Que rumores? Que a CE exigiu ver um plano ate 2024 foi um ministro que disse, nao é nenhum rumor.

Das duas uma: ou o que chegou à CE foi o pedido de avalizar a divida (que é o que é publico), ou se como tu dizes a CE so exigiu o plano por causa de eventuais tentativas do estado controlar a TAP, entao foi porque o governo disse à CE que era isso que queria fazer. Certamente nao foi um ministro que acha boa ideia isso, fez um pedido pessoa à CE e a CE lhe esta a fazer a vontade; nem a CE ira analisar seja o que for baseada em rumores.

Faz efetivamente sentido que a CE seja muito mais exigente a analisar um pedido de nacionalizacao do que um mero aval a um emprestimo. Mas se é isso que a CE esta a fazer, é porque alguem lhe pediu para o fazer, nao foi porque se lembraram.
« Última modificação: 28 de Abril 2020, 11:50:23 por toto1100 »


New Engine Option

  • Mensagens: 3504
Rumores, meu caro, rumores... Nada certo ainda.

Que rumores? Que a CE exigiu ver um plano ate 2024 foi um ministro que disse, nao é nenhum rumor.

Das duas uma: ou o que chegou à CE foi o pedido de avalizar a divida (que é o que é publico), ou se como tu dizes a CE so exigiu o plano por causa de eventuais tentativas do estado controlar a TAP, entao foi porque o governo disse à CE que era isso que queria fazer. Certamente nao foi um ministro que acha boa ideia isso, fez um pedido pessoa à CE e a CE lhe esta a fazer a vontade; nem a CE ira analisar seja o que for baseada em rumores.

Faz efetivamente sentido que a CE seja muito mais exigente a analisar um pedido de nacionalizacao do que um mero aval a um emprestimo. Mas se é isso que a CE esta a fazer, é porque alguem lhe pediu para o fazer, nao foi porque se lembraram.

Os rumores são relativamente a uma possível nacionalização que, acho eu, não vai acontecer. Não houve nenhuma posição oficial creio eu a dizer que sim, que queriam nacionalizar. Disseram apenas que, num quadro de salvamento à TAP, essa era uma decisão que não estava excluída, entre outras em cima da mesa como o pedido de ajuda para emissão de dívida, com aval do Estado. Como ainda estamos na fase do "queria fazer", essa questão é apenas um rumor.
« Última modificação: 28 de Abril 2020, 12:11:36 por New Engine Option »


jpmane

  • Mensagens: 560
JFK tem custos operacionais mais caros que EWR creio eu, tendo a TAP sempre optado por investir mais em EWR ao longo dos tempos. É previsível.

De qualquer das formas tudo está em análise e nenhuma decisão está fechada sobre calendarização na retoma de rotas. Tudo o que se disser é precipitado nesta fase, disse o ceo ontem.

E a mim parece me que o estado vai sim dar o seu aval a TAP sem grandes contra-partidas, ao contrário do anunciado pelo ministro da economia, que aquilo que quer é que o governo aumente a influência estatal na companhia. Não me parece mesmo que tal aconteça nesta fase, tendo em conta a disponibilidade e confiança que as instituições financeiras parecem ter na emissão de dívida da TAP. Isto tendo em conta o que tem sucedido na própria Europa com outras companhias e nos EUA. E dos 3 mil milhões totais, que a TAP não precisa nem lá perto, apenas 15 a 20 por cento seriam assegurados por instituições chinesas. O resto seria da Europa, Reino Unido e até Austrália. A decisão será conhecida a princípio no prazo de uma semana.

Se há ministro neste governo que não tem grande predileção por "aumentar a influência do Estado" é este ministro da economia. Que deve ser "socialista" por engano. Se ainda fosse o Nuno Santos até lhe dava razão no argumento. E mesmo que quisesse, a TAP não é tutela do Ministro da Economia. Portanto a não ser que tivesse uma paixão desconhecida por um grande Estado...
« Última modificação: 28 de Abril 2020, 12:52:57 por jpmane »


New Engine Option

  • Mensagens: 3504
JFK tem custos operacionais mais caros que EWR creio eu, tendo a TAP sempre optado por investir mais em EWR ao longo dos tempos. É previsível.

De qualquer das formas tudo está em análise e nenhuma decisão está fechada sobre calendarização na retoma de rotas. Tudo o que se disser é precipitado nesta fase, disse o ceo ontem.

E a mim parece me que o estado vai sim dar o seu aval a TAP sem grandes contra-partidas, ao contrário do anunciado pelo ministro da economia, que aquilo que quer é que o governo aumente a influência estatal na companhia. Não me parece mesmo que tal aconteça nesta fase, tendo em conta a disponibilidade e confiança que as instituições financeiras parecem ter na emissão de dívida da TAP. Isto tendo em conta o que tem sucedido na própria Europa com outras companhias e nos EUA. E dos 3 mil milhões totais, que a TAP não precisa nem lá perto, apenas 15 a 20 por cento seriam assegurados por instituições chinesas. O resto seria da Europa, Reino Unido e até Austrália. A decisão será conhecida a princípio no prazo de uma semana.

Se há ministro neste governo que não tem grande predileção por "aumentar a influência do Estado" é este ministro da economia. Que deve ser "socialista" por engano. Se ainda fosse o Nuno Santos até lhe dava razão no argumento. E mesmo que quisesse, a TAP não é tutela do Ministro da Economia. Portanto a não ser que tivesse uma paixão desconhecida por um grande Estado...

Não se esqueça só que há rumores que o Centeno vai à vida e que este deve assumir essa pasta.
« Última modificação: 28 de Abril 2020, 13:48:07 por New Engine Option »


Joana Melo

Continuamos a ver neste espaço, os do costume a pensarem que são espertos e a inventarem coisas para parecerem conhecedores das matérias. Nem sequer saber ler.
Toto, você devia ir para a política. A mim não me convencia e certamente a muitos mais também não. O estilo já não pega!

Para já está a inventar que uso o e-mail da TAP. Não uso e nem sequer foi nenhum administrador que lhe disse. E sabe porquê? Porque o e-mail não é da TAP!

E Nuno, não confuno injeções de capital com empréstimos. Quem confunde isso e muito mais são comentadores de bancada, incluindo alguns que aqui debitam ideias. Esses é que deviam pensar antes de falar. Os 3 mil milhões de euros serão empréstimos bancários. O que está na mesa, é simplesmente o aval do Estado a 11,6% desses empréstimos, ou seja, 350 milhões de euros.

E esses links sobre o que a UE disse ou não, são totalmente irrelevantes. É lixo. Ou o Toto acha que a Condor, com uma frota de pouco mais de 1/3 da da TAP, justificou os 550 milhões que teve de empréstimo direto do governo Alemão, perante a Comissão Europeia?

E já agora aproveito para desmentir que JFK dependa da Jetblue. Apenas uma pequena percentagem do tráfego de JFK é alimentada pela Jetblue. O horário do voo é tardio e ao contrário do de Boston, permite muito menos ligações. A decisão é mesmo temporária, como é a de LGW e apenas se prende com a otimização de recursos nesta fase. A TAP sabe perfeitamente que aa saíde de JFK entre 2002 e 2016 foi um erro gravíssimo e não vai voltar a repeti-lo. O tráfego étnico é importante, mas se a Companhia apenas depender dele ou dele tiver a maior fatia de rentabilidade, certamente não durará muitos anos.

jpmane

  • Mensagens: 560
Sim houve uma noticia num jornal sobre isso.  Vale o que vale. Até chegou a haver outras a dizer que seria o Fernando Medina. O que não falta são noticias quem sabe se encomendadas pelos próprios. Mas palpita-me que se ele fosse para as finanças até teria interesse em que a TAP não fosse pública. Se fosse para as obras públicas que tutela a TAP aí o interesse político poderia de facto ser outro.

Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 
Total 92+0=92 ms, db 0 ms, php 92 ms