Carlos Manuel

Quero agradecer à Ana Gomes pelo seu testemunho aqui no fórum e que vem relembrar aos esquecidos da mentalidade do average empregado da TAP ( não digo trabalhador porque a maioria tem um emprego na companhia ).

E é "isto" que vamos todos salvar.

GoncaloRibas

  • Mensagens: 1244
Será a Ana Gomes o Acácio deste tópico?
Epa não respondam, é da maneira que isto não continua

New Engine Option

  • Mensagens: 3839
Eu não quero mesmo acreditar que a Ana Gomes seja alguém Real que trabalhe na TAP. É absurdo...

A bem dizer da verdade é apenas uma versão sem cancela do que a maioria da aristocracia operária da TAP pensa (e não tem coragem de dizer abertamente).

Mas parece-me um belo clone a gozar com o pessoal, sim.

Aristocracia operária... Certamente isto foi dito para elevar o debate, não para ofender...
Não me revendo no 'nome' dado', nem tão pouco mais ou menos (a carapuça, de todo, não me serve) pergunto, porém, se isto não merece também moderação do fórum?
Ou aqueles que pedem essa moderação são os mesmos que aqui fecham os olhos?
« Última modificação: 30 de Junho 2020, 23:34:51 por New Engine Option »


Adob

  • Mensagens: 356
Será a Ana Gomes o Acácio deste tópico?
Epa não respondam, é da maneira que isto não continua

Isto é como um acidente no outro lado da auto-estrada.

É irresistível.
« Última modificação: 30 de Junho 2020, 23:34:21 por Adob »


New Engine Option

  • Mensagens: 3839
Em relação às estadias prolongadas em Praga/Helsínquia/Moscovo atribuíveis à frequência não-diária basta adaptarem a frequência para encaixar o regresso nos tempos de descanso da lei. É o que as outras companhias fazem.

A pergunta nisto tudo é que a fraca rentabilidade da TAP se deve a um sem número de factores que, individualmente, podem não parecer grande coisa mas que somados...dão o que sabemos.

Neste exemplo concreto que rentabilidade terá a TAP nestas rotas com este tipo de custos nas estadias/alojamentos e ajudas de custo?

Depois o argumento da nossa posição periférica não pode só funcionar para um lado, pois tudo isso é relativo.

Naturalmente que a Lufthansa tem um voo mais curto para Moscovo. Da mesma forma que nós temos um voo mais curto para Marrocos. Aliás, é também essa posição periférica em relação ao centro europeu que permite ocupar mais aviões durante a noite e fazer red-eye flights, muitos dos quais são exactamente as rotas em causa das estadias longas das tripulações.

No Inverno IATA, que é disso que se fala, é difícil fazer isso. Há sempre tripulações a ficar lá imenso tempo porque não sendo o voo diário, ao descanso obrigatório soma-se o facto de não existir qualquer voo no dia em que já se poderia regressar.

Mas, continuo aqui a perguntar: não há uma linha sobre o que eu disse dos 5 dias a voar com 10, 11 e 12 pernas para fazer? Ou aqui já não se coloca em causa a tal da fraca rentabilidade?

Como eu disse: fale-se do tema com conhecimento pleno do mesmo. É claro que há muita coisa a mudar para melhorar a tal da rentabilidade. Mas não pensemos nem por um segundo que em sistema só pululam rotações dessas em que se fica parado 3 dias no local e que aquelas que eu descrevi são inexistentes. É precisamente o inverso, especialmente no Verão IATA. Aliás, a quantidade de frequências da TAP para quase todas as capitais europeias (3 pelo menos por dia) prova a necessidade de os tripulantes rodarem por muito menor tempo do que o frisado.
« Última modificação: 30 de Junho 2020, 23:46:00 por New Engine Option »


New Engine Option

  • Mensagens: 3839
pois bem agora anda o da Ryanair a dizer que tambem queria dinheiro? trabalho eu ha 24 anos na TAP. As nossas longas estadias foram diminuidas imenso ao longo dos anos. mais passageiros por avião e menos cab! Falo por todos os meus colegas da TAP creio, em quanto tripulante, deixem se de ajudar as companhias estrangeiras e olhem para o que é nosso!!! Preferem ser os estrangeiros a roubarem as nossas rotas, salarios e condiçoes das melhores da Europa em que temos ainda condiçoes decentes comparado a BA Iberia etc. APOSTEM em Portugal e em manter as nossas condiçoes!!! Era o que mais faltava agora quererem ajudar as outras e nós termos de reduzir staff ou as nossas condiçoes que o nosso sindicato tanto lutou durante tantos anos, para estarmos melhor do que la fora noutras!!





Por um lado, enquanto tripulante TAP, entendo o post. Por outro não quero acreditar, é mau demais...

Salários dos melhores da europa? Trabalha na mesma TAP que eu? Não me queixo de ter más condições no geral, mas daí a melhores salários da europa vai uma distância muito grande. Somos uns sortudos pelo estilo de operação que temos na TAP hoje em dia, mas se outras companhias como a BA e a LH não têm estadias de 5 dias na europa, por alguma razão será! E há que ver que isso tem custos grandes para a empresa. Se chegamos a um ponto em que a companhia precisa de ser salva, não podemos dizer que devemos mexer em tudo menos em nós. Há que saber olhar para dentro...

Honestamente até me custa a acreditar que tenha sido uma tripulante a fazer este post e não seja na verdade um post incendiário...

Só vou perguntar uma coisa, se diz que também é tripulante da tap: onde é que estão essas estadias de 5 dias por essa Europa fora, senhores? Onde?
Esta se a referir a rotações de 5 dias de planeamento com 10 e 11 pernas para fazer? É que dessas há muitas sim.. Agora estadias em que se fica nos locais quase 96 horas na Europa, como sugere pelo seu post, e um completo absurdo. As maiores rotações na Europa são de 48 horas em Helsínquia e Moscovo e porque mete períodos circadianos e tempos de voo à baila.

Ja parece a mesma conversa do outro dia relativa às rotações de longo curso em que ainda se pensa que se fica 7 ou 14 dias como nos tempos em que a TAP fazia Bangkok.. E este tipo de comentários que leva aqueles que detestam a TAP pensarem que os funcionários ainda têm esse tipo de rotações... Um absurdo.

5HEL, 5DME (e 6DME), 5PRG e mais algumas que já tive ao longo do tempo que tenho de TAP. Se pensarmos que vamos na segunda à noite e vimos na sexta de manhã, de facto são apenas 3 dias de estadia pura, mas não deixam de ser 5 dias de trabalho ocupados por duas pernas e 3 dias de estadia com a companhia a pagar hotel e ajudas de custo. Se o lucro da operação assim manda e cobre esse custo? Não sei, mas se a BA, LH e por aí fora não o fazem, há que no mínimo olhar para dentro e analisar a questão...

O problema de muitos colegas TAP, especialmente alguns de cabine (que têm o queixar-se de tudo e de nada no ADN), é achar que estamos no tempo das vacas gordas e isto é a Pam Am. Para esses há uma solução simples: acordem porque não é. Há uma razão clara pela qual a easyJet tem um bom serviço e dá lucro, e nós temos um bom serviço e damos prejuízo. NÃO, não são os tripulantes, mas mudar a mentalidade de alguns também não fazia mal a ninguém.-
Nos turnarounds da easyJet e da Ryanair não há limpeza do avião por uma equipa externa (tal como já não há na TAP em grande parte das escalas), portanto os tripulantes pegam num saco de lixo grande, metem as luvas nas mãos e simplesmente pegam na meia dúzia de copos e guardanapos que os passageiros deixaram nos bancos. E sabe que mais? Os PNT quando têm tempo livre depois da preparação do avião, se esse processo ainda estiver a decorrer pegam numas luvas e ajudam! E não, não é "parte das suas funções" nem "trabalham no McDonalds", simplesmente sabem o que é uma equipa (coisa que na TAP ainda se fala muito mas está longe de se interiorizar porque ainda há demasiada gente a olhar para os galões que tem nos ombros e/ou nos braços) e não têm caganças de superioridade. Felizmente está a melhorar a olhos vistos na TAP, mas leva tempo!
Agora vamos dizer aos CABs/CCBs e SCBs da TAP (estes últimos que desde o tempo do 747 que não tem justificação para a existência da função sequer) que vão pegar num saco e apanhar guardanapos? Caía o carmo e a trindade!!!

E como este exemplo há outros milhares. O problema, cara Ana e caro NEO, é que um dia destes se continuamos com estas manias todas, nem na TAP, nem no McDonalds nem na Ryanair! Portanto não nos deixemos espezinhar, mas adaptemo-nos à realidade em que vivemos.

A TAP tem excelentes profissionais em todos os quadros e sou muito feliz na empresa onde trabalho! O problema é que estar na TAP ainda é visto como pertencer a uma espécie de realeza e há demasiados colegas que estão mais preocupados com mostrar a realeza no instagram do que gostam realmente da aviação pelo que ela é. E a aviação meus caros, muda todos os dias! Ou nós mudamos com ela, ou ela muda sem nós. Agora escolham!

Como disso o caro New Engine Option, não cuspa no prato que lhe dê de comida. Se está tão infeliz e acha que tem demasiada regalias porque não vai apanhar lixo para esses leitões das lowcosts? SCBs não serem necessários??? Ía um CAB então tomar conta do sr comandante etc? Não sabe o que diz, provavelmente nem faz longo curso.

Por alguma razão, como disse antes, somos invejas dessas lowcost e querem todos vir para cá trabalhar. Se quer se tornar igual ou pior a elas, tem uma hipotese: saia da companhia.

Fala da altura do 747 etc e de staff que já está cá ha anos. Por uma razão o é, porque lutámos muito para ter as condições que temos e porque temos um bom sindicato ou acabavamos como a British Airways que supostamente paga menos que o McDonalds, mesmo sendo uma compahia de bandeira!!!

Acredite que um dia quando chegar a SCB (se o chegar) irá perceber que não é assim tão trabalho fácil como diz. Todas as minhas colegas que o são, o dizem. E acredite que como trabalhando com eles o sei.

Nem falando dos Viena e Londres que os SCBs tem de fazer, e todos voos na Europa quando há cancelamentos, quando na verdade deveriam fazer longo curso apenas no a330!!!!

Já que fala de Lufthansa e British Airways, quer ter planeamentos em que tanto faz longo curso e médio no mesmo mês como eles? e estar sempre cansado? Pois não crieo, nem você nem eu! Já trabalho demasiado como é, assim como os meus colegas.

Faço das minhas palavras, as do New Engine Option. Náo discuto planeamentos aqui porque não seria apropriado. Mas se está assim tão mal que saia.

É por causa de poucos com mentalidade assim que ainda vão acabar por impor uma reestruturação em que acabamos a acabar por ser empregados de limpeza nos turnarounds e a ter regalias retiradas ou planeamentos com médio e longo misturado!!! Pare de destruir o que muitos lutaram durante anos!!!


Cara Ana,

Agradecia que não falasse de coisas que nem sequer lhe dizem respeito! Acho uma falta de cordealidade vir falar mal de outras companhias quando se trabalha numa! Nomeadamente no que toca ao que referiu sobre a BA. Não, não ganhamos como no McDonalds. Acho que também não ia gostar que chegasse aqui e dizesse o mesmo da TAP.

Quanto fazer medio e longo tudo junto não vejo também qualquer problema. Se é mesmo tripulante, entre fazer 1 ida e volta, seguido de 4 dias com 10 ou mais pernas e madrugadas; ou então 1 ida e volta e um longo de 3/4 dias de viagem acho que possa ser muito relativo! Em suma, na sua maioria todos os tripulantes nas companhias europeias fazem medio e longo tudo junto na mesma semana. Se os colegas da TAP não o fazem é porque têm um acordo de empresa muito bom, bem a cima da média europeia e sim, são muito privilegiados! Mas vejo isso como algo bom. Agora todos temos de ter noção daquilo onde trabalhamos e o mesmo quando comentamos coisas sobre outras companhias! Mandar “bitaites”, e ainda sem razão, não fica bem a ninguém.

E termino com o assunto de aviões wide a fazer curtos/médios. Se acha que as companhias/TAP não o deviam fazer é porque não tem noção nenhuma do valor da carga aérea/yields etc que esses voos trazem para as companhias! Se a TAP não o faz mais regularmente, não sei nem vou comentar porque não sei do que falo! Mas garanto-lhe que os mesmos voos são dos mais rentáveis noutras companhias europeias, nomeadamente LHR-MAD-LHR com um 340 da IB e um 777/350 da BA ambos diários.

Cumprimentos,

Não é o que os jornais dizem, sobre os chamado "mixed-fleet" da BA!!! basta fazer google disso!!!
No entanto nunca critiquei outros colegas e sempre respeito todos. Assim como respeito que queiram entrar para a TAP e não consigam. Nem todos conseguem e sei o quão priviligiada eu e meus colegas somos por vestirmos a camisola que tanto gostamos!!!

Mas não me venha tentar dar lições de aviões que nem há duzia de anos deve voar, e nem voa na TAP portanto sabe 0.

Eu entendo que tal como os seus colegas da Easyjet e Ryanair não tenha entrado na TAP e isso o faça frustrado.

Voltanto ao que o sr Ministro disse hoje, será possível fazer reestruturação sem possíveis despedimentos de efetivos e estou muito certa que assim o será, mantendo as nossas condições. Há cortes para fazer mas é a quem recebe prémios e afins, que caso não saibam, não somos nós nunca (os tripulantes)!! isso sim, há que cortar. Mas não me venham dizer para limpar o avião que não sou nenhuma Ryanair ou Easyjet, muito menos falar das estadias, quando não sabem o que é estar longe da minha pequenina que já está crescida e está "habituada" à mãe falhar a muitos eventos da sua vida... Tempos que nunca voltarão!

Aos deste forum que me estão a chamar Troll, acho rude e mal educado. Não fui mal educada com ninguém, apenas citei factos e concordei com o colega New Engine Option que também concordou a 100% com o que eu escrevi. Por favor, respeitem-se que com essas atitudes não entrarão na TAP. Aqui não entram mal educados.

... Só um àparte: não concordo consigo em muita coisa, que dirá os 100%. Esse seu tom sobranceiro e de deboche, que culmina com as duas últimas frases que escreveu, fazem-me demarcar totalmente do que escreve e pensa. Cumprimentos.
« Última modificação: 01 de Julho 2020, 00:02:11 por New Engine Option »


Joao Morais

  • Mensagens: 80
Citação
Que ativos bons é que a TAP tem?

Os avioes, a manutenção, edificios, alguns funcionarios

A TAP nao tem avioes quase nenhuns.
Funcionarios nao sao ativos.
A manutençao tudo bem. Edificios por acaso era os unicos ativos que minha tinha lembrado. A manutençao é provavelmente a unica coisa viavel naquilo tudo, desde que nao a vendam as OGMA (os edificios valem uns trocos, mas de resto nao tem valor intrinseco para a viabilidade da empresa). E tambem convenhamos que uma empresa constituida pelos edificios+a manutencao nao era propriamente uma companhia aerea.

Hã?? OGMA? Aquela que a ANAC fechou no ano passado?? Mal estaríamos de decisões se a Manutenção e Engenharia da TAP, a ser vendida fosse à OGMA.
A M&E apesar de ser um “mal necessário”, ainda é das unidades de negócio da TAP que mais lucro dá, com know-how e qualidade reconhecida, e só não tem superior dimensão porque as limitações físicas são mais que muitas: só com o aumento da frota TAP, o trabalho para aviões terceiros (receita) quase se extinguiu.
Aliás, pode ter passado ao lado de muitos, mas o Pedro Nuno Santos hoje de manhã frisou bem a M&E.

Caravelle

  • Mensagens: 285
A manutençao é provavelmente a unica coisa viavel naquilo tudo (...) tambem convenhamos que uma empresa constituida pelos edificios+a manutencao nao era propriamente uma companhia aerea.

A M&E apesar de ser um “mal necessário”, ainda é das unidades de negócio da TAP que mais lucro dá, com know-how e qualidade reconhecida (...) só com o aumento da frota TAP, o trabalho para aviões terceiros (receita) quase se extinguiu.

Aliás, pode ter passado ao lado de muitos, mas o Pedro Nuno Santos hoje de manhã frisou bem a M&E.

Correctíssimo. A ME é a única unidade de negócio que consegue existir autonomamente na TAP. Questiono-me se o preço Hxh feito ao TA reflecte os serviços prestados.
Ainda que o COVID tenha feito das suas, se a TAP falisse amanhã ainda tínhamos para aí 1 ano, ano e meio de trabalho a fazer phase outs para os lessors, mais uma reestruturação que acabe com eng. de frota e assim.
Tempo mais ou menos suficiente para angariar clientes que conhecem a qualidade do trabalho...
« Última modificação: 01 de Julho 2020, 15:53:49 por Caravelle »

Daily flights to
EUROPE - AFRICA - AMERICAS

toto1100

  • Mensagens: 5578
Citação
Que ativos bons é que a TAP tem?

Os avioes, a manutenção, edificios, alguns funcionarios

A TAP nao tem avioes quase nenhuns.
Funcionarios nao sao ativos.
A manutençao tudo bem. Edificios por acaso era os unicos ativos que minha tinha lembrado. A manutençao é provavelmente a unica coisa viavel naquilo tudo, desde que nao a vendam as OGMA (os edificios valem uns trocos, mas de resto nao tem valor intrinseco para a viabilidade da empresa). E tambem convenhamos que uma empresa constituida pelos edificios+a manutencao nao era propriamente uma companhia aerea.

Hã?? OGMA? Aquela que a ANAC fechou no ano passado?? Mal estaríamos de decisões se a Manutenção e Engenharia da TAP, a ser vendida fosse à OGMA.
A M&E apesar de ser um “mal necessário”, ainda é das unidades de negócio da TAP que mais lucro dá, com know-how e qualidade reconhecida, e só não tem superior dimensão porque as limitações físicas são mais que muitas: só com o aumento da frota TAP, o trabalho para aviões terceiros (receita) quase se extinguiu.
Aliás, pode ter passado ao lado de muitos, mas o Pedro Nuno Santos hoje de manhã frisou bem a M&E.

Podias ler o que eu escrevi primeiro. :) Eu disse que a manutenção era a unica coisa viavel, desde que nao fosse vendida à OGMA (naquela de nao trocar cabos e tal). Tu fizeste um post inteiro a "mandar vir", concordando com os meus 2 pontos...
« Última modificação: 01 de Julho 2020, 06:59:30 por toto1100 »


Troldasverdades

pois bem agora anda o da Ryanair a dizer que tambem queria dinheiro? trabalho eu ha 24 anos na TAP. As nossas longas estadias foram diminuidas imenso ao longo dos anos. mais passageiros por avião e menos cab! Falo por todos os meus colegas da TAP creio, em quanto tripulante, deixem se de ajudar as companhias estrangeiras e olhem para o que é nosso!!! Preferem ser os estrangeiros a roubarem as nossas rotas, salarios e condiçoes das melhores da Europa em que temos ainda condiçoes decentes comparado a BA Iberia etc. APOSTEM em Portugal e em manter as nossas condiçoes!!! Era o que mais faltava agora quererem ajudar as outras e nós termos de reduzir staff ou as nossas condiçoes que o nosso sindicato tanto lutou durante tantos anos, para estarmos melhor do que la fora noutras!!





Por um lado, enquanto tripulante TAP, entendo o post. Por outro não quero acreditar, é mau demais...

Salários dos melhores da europa? Trabalha na mesma TAP que eu? Não me queixo de ter más condições no geral, mas daí a melhores salários da europa vai uma distância muito grande. Somos uns sortudos pelo estilo de operação que temos na TAP hoje em dia, mas se outras companhias como a BA e a LH não têm estadias de 5 dias na europa, por alguma razão será! E há que ver que isso tem custos grandes para a empresa. Se chegamos a um ponto em que a companhia precisa de ser salva, não podemos dizer que devemos mexer em tudo menos em nós. Há que saber olhar para dentro...

Honestamente até me custa a acreditar que tenha sido uma tripulante a fazer este post e não seja na verdade um post incendiário...

Só vou perguntar uma coisa, se diz que também é tripulante da tap: onde é que estão essas estadias de 5 dias por essa Europa fora, senhores? Onde?
Esta se a referir a rotações de 5 dias de planeamento com 10 e 11 pernas para fazer? É que dessas há muitas sim.. Agora estadias em que se fica nos locais quase 96 horas na Europa, como sugere pelo seu post, e um completo absurdo. As maiores rotações na Europa são de 48 horas em Helsínquia e Moscovo e porque mete períodos circadianos e tempos de voo à baila.

Ja parece a mesma conversa do outro dia relativa às rotações de longo curso em que ainda se pensa que se fica 7 ou 14 dias como nos tempos em que a TAP fazia Bangkok.. E este tipo de comentários que leva aqueles que detestam a TAP pensarem que os funcionários ainda têm esse tipo de rotações... Um absurdo.

5HEL, 5DME (e 6DME), 5PRG e mais algumas que já tive ao longo do tempo que tenho de TAP. Se pensarmos que vamos na segunda à noite e vimos na sexta de manhã, de facto são apenas 3 dias de estadia pura, mas não deixam de ser 5 dias de trabalho ocupados por duas pernas e 3 dias de estadia com a companhia a pagar hotel e ajudas de custo. Se o lucro da operação assim manda e cobre esse custo? Não sei, mas se a BA, LH e por aí fora não o fazem, há que no mínimo olhar para dentro e analisar a questão...

O problema de muitos colegas TAP, especialmente alguns de cabine (que têm o queixar-se de tudo e de nada no ADN), é achar que estamos no tempo das vacas gordas e isto é a Pam Am. Para esses há uma solução simples: acordem porque não é. Há uma razão clara pela qual a easyJet tem um bom serviço e dá lucro, e nós temos um bom serviço e damos prejuízo. NÃO, não são os tripulantes, mas mudar a mentalidade de alguns também não fazia mal a ninguém.-
Nos turnarounds da easyJet e da Ryanair não há limpeza do avião por uma equipa externa (tal como já não há na TAP em grande parte das escalas), portanto os tripulantes pegam num saco de lixo grande, metem as luvas nas mãos e simplesmente pegam na meia dúzia de copos e guardanapos que os passageiros deixaram nos bancos. E sabe que mais? Os PNT quando têm tempo livre depois da preparação do avião, se esse processo ainda estiver a decorrer pegam numas luvas e ajudam! E não, não é "parte das suas funções" nem "trabalham no McDonalds", simplesmente sabem o que é uma equipa (coisa que na TAP ainda se fala muito mas está longe de se interiorizar porque ainda há demasiada gente a olhar para os galões que tem nos ombros e/ou nos braços) e não têm caganças de superioridade. Felizmente está a melhorar a olhos vistos na TAP, mas leva tempo!
Agora vamos dizer aos CABs/CCBs e SCBs da TAP (estes últimos que desde o tempo do 747 que não tem justificação para a existência da função sequer) que vão pegar num saco e apanhar guardanapos? Caía o carmo e a trindade!!!

E como este exemplo há outros milhares. O problema, cara Ana e caro NEO, é que um dia destes se continuamos com estas manias todas, nem na TAP, nem no McDonalds nem na Ryanair! Portanto não nos deixemos espezinhar, mas adaptemo-nos à realidade em que vivemos.

A TAP tem excelentes profissionais em todos os quadros e sou muito feliz na empresa onde trabalho! O problema é que estar na TAP ainda é visto como pertencer a uma espécie de realeza e há demasiados colegas que estão mais preocupados com mostrar a realeza no instagram do que gostam realmente da aviação pelo que ela é. E a aviação meus caros, muda todos os dias! Ou nós mudamos com ela, ou ela muda sem nós. Agora escolham!

Como disso o caro New Engine Option, não cuspa no prato que lhe dê de comida. Se está tão infeliz e acha que tem demasiada regalias porque não vai apanhar lixo para esses leitões das lowcosts? SCBs não serem necessários??? Ía um CAB então tomar conta do sr comandante etc? Não sabe o que diz, provavelmente nem faz longo curso.

Por alguma razão, como disse antes, somos invejas dessas lowcost e querem todos vir para cá trabalhar. Se quer se tornar igual ou pior a elas, tem uma hipotese: saia da companhia.

Fala da altura do 747 etc e de staff que já está cá ha anos. Por uma razão o é, porque lutámos muito para ter as condições que temos e porque temos um bom sindicato ou acabavamos como a British Airways que supostamente paga menos que o McDonalds, mesmo sendo uma compahia de bandeira!!!

Acredite que um dia quando chegar a SCB (se o chegar) irá perceber que não é assim tão trabalho fácil como diz. Todas as minhas colegas que o são, o dizem. E acredite que como trabalhando com eles o sei.

Nem falando dos Viena e Londres que os SCBs tem de fazer, e todos voos na Europa quando há cancelamentos, quando na verdade deveriam fazer longo curso apenas no a330!!!!

Já que fala de Lufthansa e British Airways, quer ter planeamentos em que tanto faz longo curso e médio no mesmo mês como eles? e estar sempre cansado? Pois não crieo, nem você nem eu! Já trabalho demasiado como é, assim como os meus colegas.

Faço das minhas palavras, as do New Engine Option. Náo discuto planeamentos aqui porque não seria apropriado. Mas se está assim tão mal que saia.

É por causa de poucos com mentalidade assim que ainda vão acabar por impor uma reestruturação em que acabamos a acabar por ser empregados de limpeza nos turnarounds e a ter regalias retiradas ou planeamentos com médio e longo misturado!!! Pare de destruir o que muitos lutaram durante anos!!!


Cara Ana,

Agradecia que não falasse de coisas que nem sequer lhe dizem respeito! Acho uma falta de cordealidade vir falar mal de outras companhias quando se trabalha numa! Nomeadamente no que toca ao que referiu sobre a BA. Não, não ganhamos como no McDonalds. Acho que também não ia gostar que chegasse aqui e dizesse o mesmo da TAP.

Quanto fazer medio e longo tudo junto não vejo também qualquer problema. Se é mesmo tripulante, entre fazer 1 ida e volta, seguido de 4 dias com 10 ou mais pernas e madrugadas; ou então 1 ida e volta e um longo de 3/4 dias de viagem acho que possa ser muito relativo! Em suma, na sua maioria todos os tripulantes nas companhias europeias fazem medio e longo tudo junto na mesma semana. Se os colegas da TAP não o fazem é porque têm um acordo de empresa muito bom, bem a cima da média europeia e sim, são muito privilegiados! Mas vejo isso como algo bom. Agora todos temos de ter noção daquilo onde trabalhamos e o mesmo quando comentamos coisas sobre outras companhias! Mandar “bitaites”, e ainda sem razão, não fica bem a ninguém.

E termino com o assunto de aviões wide a fazer curtos/médios. Se acha que as companhias/TAP não o deviam fazer é porque não tem noção nenhuma do valor da carga aérea/yields etc que esses voos trazem para as companhias! Se a TAP não o faz mais regularmente, não sei nem vou comentar porque não sei do que falo! Mas garanto-lhe que os mesmos voos são dos mais rentáveis noutras companhias europeias, nomeadamente LHR-MAD-LHR com um 340 da IB e um 777/350 da BA ambos diários.

Cumprimentos,

Não é o que os jornais dizem, sobre os chamado "mixed-fleet" da BA!!! basta fazer google disso!!!
No entanto nunca critiquei outros colegas e sempre respeito todos. Assim como respeito que queiram entrar para a TAP e não consigam. Nem todos conseguem e sei o quão priviligiada eu e meus colegas somos por vestirmos a camisola que tanto gostamos!!!

Mas não me venha tentar dar lições de aviões que nem há duzia de anos deve voar, e nem voa na TAP portanto sabe 0.

Eu entendo que tal como os seus colegas da Easyjet e Ryanair não tenha entrado na TAP e isso o faça frustrado.

Voltanto ao que o sr Ministro disse hoje, será possível fazer reestruturação sem possíveis despedimentos de efetivos e estou muito certa que assim o será, mantendo as nossas condições. Há cortes para fazer mas é a quem recebe prémios e afins, que caso não saibam, não somos nós nunca (os tripulantes)!! isso sim, há que cortar. Mas não me venham dizer para limpar o avião que não sou nenhuma Ryanair ou Easyjet, muito menos falar das estadias, quando não sabem o que é estar longe da minha pequenina que já está crescida e está "habituada" à mãe falhar a muitos eventos da sua vida... Tempos que nunca voltarão!

Aos deste forum que me estão a chamar Troll, acho rude e mal educado. Não fui mal educada com ninguém, apenas citei factos e concordei com o colega New Engine Option que também concordou a 100% com o que eu escrevi. Por favor, respeitem-se que com essas atitudes não entrarão na TAP. Aqui não entram mal educados.

Caríssima Ana, para terminar gostaria de lhe apontar o seu erro de julgamento que acaba por enviesar todo o seu discurso.

Há 24 anos não havia grandes alternativas na aviação em Portugal, sair do país para entrar noutra companhia não era assim tão fácil, portanto o sonho, era a TAP, isto vale tanto para PNC como PNT ( tem de se usar os acrónimos do tempo na da nossa senhora para entender).

Você cresceu profissionalmente neste mind set, e não há mal. Mas os tempos mudam e não os acompanhou em conjunto com muitos dos seus colegas.
O seu erro é julgar que todos os portugueses que querem trabalhar na aviação, tenham como objectivo principal e único: a TAP.

Logo, partindo desta premissa, quem não está na TAP, é porque não conseguiu entrar, logo inferior, daí a mentalidade de superioridade.

Vou-lhe dar uma novidade: há portugueses na aviação que trabalham em diversas companhias, incluindo lccs, que nunca tentaram ou quiseram ir para a TAP por mil e uma razões, que eu entendo, que você não consiga lá chegar.

E mesmo os que tentaram e não conseguiram não são em nada inferiores aos colegas da TAP, até porque alguns, eu repito, eu disse alguns, entraram pela porta do cavalo portanto nem contam (sim tipo aqueles que têm recomendação para nunca passar para o lado esquerdo do Cockpit).

Ainda me vou registar e mandar-lhe  em mensagem o meu nome, e com permissão de colegas daqui, assim como da Ryanair que conheço, os seus, para você perguntar aí aos seus contactos se alguma vez receberam um currículo dos mesmos. E esta hein?

Os seus colegas mais jovens, como já se viu neste fórum, já têm uma mentalidade diferente porque já viram amigos e conhecidos a envergar por outros caminhos, eles próprios se calhar também já passaram por lccs e quiseram ingressar na TAP, a visão do mundo da aviação é mais abrangente. Já a sua, é obtusa.

Adapte-se e não deite os foguetes já, repare, vá ler sobre as regras de apoio dos Estados às companhias sff, agora foi aberta uma excepção, não se esqueça.

Cumprimentos a todos.

nunopinheiro

  • Mensagens: 6058
Troldasverdades  olhe que a ANA não é realmente quem diz ser, ainda ontem a noite demonstrou ser um troll, a moderação apagou a conversa (e fez bem). Mas ficou demonstrado que esta aqui para fazer uma figura de um certo estereotipo de funcionário da TAP. Não que o seja realmente.
Não leve a serio é para rir:) para trol não esta nada mal até é bem divertida/o
« Última modificação: 01 de Julho 2020, 09:30:50 por nunopinheiro »


jopeg

  • Moderador
  • Mensagens: 1656
Citação
Ninguém quer deixar cair a TAP. Mas que peso tem na economia?

Tiago Varzim

O Governo, entre outros, argumenta que a TAP é demasiado importante para a economia portuguesa para cair. Mas, afinal, qual é o impacto económico da empresa?

Perante o impacto da crise pandémica nas transportadoras aéreas, o Governo argumenta que “seria um desastre para o país deixar cair a TAP”, como disse o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, na audição parlamentar que foi dominada pela ajuda que será dada pelo Estado à companhia aérea, à semelhança do que fizeram outros países europeus, e pelo cenário de nacionalização. Em cima da mesa está um custo potencial de 1.200 milhões de euros, com impacto no défice e na dívida pública. A questão impõe-se: qual é a importância da TAP para a economia portuguesa?

Deixar falir a TAP “não é uma hipótese”, diz Marcelo

Comecemos pelos dados económicos. Na audição no Parlamento, Pedro Nuno Santos argumentou que “quando estamos a falar da TAP, não podemos ficar limitados aos resultados enquanto empresa”. E deu exemplos: o grupo TAP paga o salário a mais 10 mil trabalhadores, encontrando-se entre as empresas que mais empregam no país, e, segundo o ministro, “compra 1.300 milhões de euros a empresa nacionais“. Em entrevista ao podcast ECO Insider, o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, revelou que a indústria aeronáutica e aeroespacial, que também é “alimentada” pela TAP, gera exportações que equivalem a mais de 1% do PIB português (cerca de dois mil milhões de euros).


Não há dados oficiais para o confirmar, mas Siza Vieira revelou ainda que a TAP é a segundo maior exportadora nacional — a empresa diz que é a maior –, contribuindo para o “equilíbrio da balança de pagamentos”. Contudo, também é de notar que a empresa é a segunda maior importadora de bens, segundo os dados de 2019 do Instituto Nacional de Estatística (INE), principalmente por causa da compra de aviões e das peças e motores que usa para fazer a manutenção de aviões de outras transportadoras. No caso da TAP, as exportações serão mais de serviços e não de bens — nesta ótica, é a Autoeuropa a maior exportadora do país –, mas o ranking do INE refere-se apenas aos bens.

Ainda de acordo com o ministro da Economia, o Governo fez uma avaliação da importância estratégica de vários setores económicos que estão a ser impactados pela crise, medindo o seu valor acrescentado, o efeito multiplicador na economia, o impacto fiscal — a TAP paga 300 milhões de impostos por ano, segundo Pedro Nuno Santos — e a indução de atividades de alto valor. “[Nessa avaliação], o transporte aéreo está bem lá em cima”, garantiu Siza Vieira.

“América do Sul e do Norte e África são mercados muito importantes para a TAP”

É complexo chegar a um valor final sobre qual o contributo da TAP para a economia portuguesa, mas há tentativas, como desta dissertação de mestrado ( http://recil.grupolusofona.pt/bitstream/handle/10437/9411/LU%c3%8dS%20PEDRO%20DA%20CRUZ%20LOPES%20RIBEIRO_disserta%c3%a7%c3%a3o%20de%20mestrado..pdf?sequence=1 )de 2018 do Departamento de Aeronáutica e Transportes da Escola de Ciências Económicas e das Organizações da Universidade Lusófona em que se conclui que o contributo tem sido, em média, de 2,2% do PIB nos últimos anos. No final de 2018, a própria empresa estimativa ter um peso de 3,5 mil milhões de euros no PIB, o que também equivale a cerca de 2% (tendo em conta o PIB de 2018). Este é o impacto direto, mas também é preciso contabilizar os efeitos indiretos da atividade da empresa, nomeadamente no turismo.

...

Ler mais em: https://eco.sapo.pt/2020/07/01/ninguem-quer-deixar-cair-a-tap-mas-que-peso-tem-na-economia/


Jopeg

jopeg

  • Moderador
  • Mensagens: 1656
Citação

TAP está mais forte mas só deu lucro num ano em dez

Indicadores da companhia aérea portuguesa (Infografia JN/Fonte TAP) Joana Petiz 01.07.2020 / 07:01

Mais trabalhadores, mais voos, melhores aviões, mais liquidez. O retrato da companhia ganha cor com a privatização. Prejuízos reduziram-se em um terço.

Mais forte, mais sólida e a chegar mais longe, mas ainda com grandes prejuízos. Em cinco anos de gestão privada, a TAP quase duplicou o número de passageiros, multiplicou frequências e destinos (com particular relevo para os EUA), somou dois mil ao total de colaboradores, renovou toda a frota – com os aviões de longo curso a passar de uma idade média superior a 12 anos para menos de quatro. E ainda subiu o volume de negócios em 35%, mais que triplicou a liquidez e reduziu o peso da dívida com garantia do Estado em 70%, negociando maturidades de pagamento mais estendidas no tempo.

...

Ler mais aqui: https://www.dinheirovivo.pt/aviacao/tap-esta-mais-forte-mas-so-deu-lucro-num-ano-em-dez/


Jopeg
« Última modificação: 01 de Julho 2020, 11:04:53 por jopeg »


nunopinheiro

  • Mensagens: 6058
Onde é que os resultados negativos se reduziram em um terço??? Que raio de contas é que permitem chegar a essa conclusão???

No melhor dos casos a gestão privada está em linha com a pública antes...

A renovação da frota é outra coisa que me mete espécie que seja apontado como algo de fantástico... são leasings... O que raio de especial tem um leasing???

Agora tem de os pagar... O que poupa em combustível deveria ajudar bastante...

E então antes não era a manutenção do Brazil que perdia dinheiro??? Que era o transporte aéreo que compensava??? Isso quer dizer que agora o Core business até piorou?
« Última modificação: 01 de Julho 2020, 11:57:31 por nunopinheiro »


Bremem

  • Mensagens: 634
O retrato é este.

https://eco.sapo.pt/2020/07/01/107-avioes-9-143-trabalhadores-e-uma-divida-brutal-quao-grande-e-o-fardo-da-tap/

"Mas, segundo o comunicado enviado à CMVM, com dados atualizados do primeiro trimestre, a 30 de março a dívida líquida da TAP ascendia a 1.126 milhões de euros. Fora leasings."
« Última modificação: 01 de Julho 2020, 12:34:33 por Bremem »


Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 
Total 127+0=127 ms, db 0 ms, php 127 ms