Snip

  • Mensagens: 466
Entretanto, e conforme já tinha sido colocado num "topico ao lado":
Citação
TAP perde viagens de verão para a Iberia


Porto Santo e Cabo Verde vão ter voos de Iberia e SATA porque TAP não negociou com operadores nacionais

Tem sido uma retoma aos soluços do sector da aviação. Janeiro e fevereiro revelaram-se desastrosos. A TAP fez mil voos no mês passado, um terço do que voou em janeiro. A atividade está abaixo dos 10% de antes da pandemia. Os principais mercados, Brasil e América do Norte, estão praticamente fechados. E a companhia tem estado a gerir crises internas — a última foi o ‘tsunami’ Groundforce. Os órgãos de gestão estão esvaziados — Lacerda Machado e Esmeralda Dourado são as saídas mais recentes. O trabalho em curso é hercúleo: a TAP está a negociar a saída de trabalhadores — a lista ia em 800 pessoas na quarta-feira — e assiste-se a uma sangria no sector comercial e de marketing — o coração da estratégia em matéria de rotas —, onde estão profissionais com décadas de experiência. Dionísio Barum, Paula Canadas e Carlos Paneiro são pesos pesados que saem deixando um vazio que gera preocupação junto de históricos da companhia.

Com mudanças internas sucessivas a ocorrer na empresa, está também a adensar-se o mal-estar na relação com os operadores turísticos e as agências de viagens nacionais, que já desde o final do ano passado intentam negociações para compor a programação para o verão de 2021, apesar de todas as incertezas associadas à pandemia. A TAP decidiu ficar fora dos programas dos operadores no próximo verão para destinos tão comuns para os portugueses como as ilhas de Porto Santo e Cabo Verde, rotas que acabaram por ser tomadas pela espanhola Iberia e também pela açoriana SATA.

Auxílio intercalar de quase €500 milhões será em regime de subvenção e não empréstimo garantido

A Agência Abreu já tem planeada a programação de charters para o verão de 2021, à base de voos semanais assegurados pela Iberia para Porto Santo, numa operação que é partilhada com a generalidade dos operadores turísticos em Portugal, como Soltrópico, Nortravel, Clube Viajar ou Solférias. A SATA vai assegurar voos semanais de Lisboa e Porto para Porto Santo. Numa altura em que as viagens se perfilam restritas devido à covid, é gritante a ausência da TAP nos poucos destinos abertos e que são essenciais nas férias dos portugueses, mas a Agência Abreu não quer fazer comentários sobre “questões relacio­nadas com outras empresas”.

Com a TAP fora de jogo e a desinteressar-se dos programas dos operadores turísticos nacionais, a Iberia está ativamente a posicionar-se para fazer voos diretos de Madrid, Barcelona e Bilbau para a Madeira, no verão, enquanto ‘destino seguro’ e com poucos casos de covid, segundo faz eco a imprensa espanhola.

Com os €1,2 mil milhões de ajuda a esgotar-se, a TAP irá receber, em breve, mais €463 milhões de auxílio intercalar, ao abrigo da Linha Covid, por danos provocados pelo fecho de fronteiras. É um montante que chegará às contas em formato de subvenção, sabe o Expresso. Ou seja, será dinheiro que sairá diretamente do Orçamento do Estado. Bruxelas não deverá opor-se a que o apoio estatal avance, até porque o Governo e a TAP testaram a sensibilidade a esta solução há cerca de um mês e meio e a Comissão Europeia não terá levantado a bandeira vermelha. É um auxílio que não colide com o plano de reestruturação em curso, ao abrigo do draconiano artigo de reestruturação e resgate. Um sinal de que a TAP podia não ter sido empurrada para a agressiva reestruturação a que está sujeita. O dinheiro poderá ser libertado a qualquer momento. O que tem estado a atrasar o processo são dificuldades internas: é um montante elevado e o Ministério das Finanças tem muitos fogos para apagar.
In: Expresso.pt

toto1100

  • Mensagens: 6246
Depois venham falar que a TAP é essencial para alguma coisa.

jferreira20

  • Mensagens: 560
O que seria de Portugal sem a TAP?

Bremem

  • Mensagens: 701
« Última modificação: 26 de Março 2021, 11:35:02 por Bremem »


TAP153

  • Mensagens: 1619
Citação

 A escolha não é pacífica. Se há quem defenda que é preciso abrir novas rotas, já que os mercados fortes da TAP, o Brasil e os EUA, estão praticamente fechados, há quem considere que não faz sentido abrir neste momento


Falsa questão, a decisão de abrir CUN não está relacionada com a COVID nem tão pouco com os EUA e Brasil estarem com severas restrições.

As novas rotas foram todas planeadas antes do início da pandemia e quase todas tinham uma caraterística comum - rotas turísticas e fortemente sazonais. É/era (já nem sei) uma estratégia claramente namoradora com os operadores turísticos portugueses. Rotas, no fundo, que tiravam pressão à área de vendas da TAP e colocava-a no lado dos operadores.

A TAP fez isso no passado com a rota de Dubrovnik, de curta duração, diga-se.

Tudo o que a TAP estava a fazer já foi tentado no passado, aliás a última versão da TAP que conhecíamos era quase uma fotocópia da TAP anterior à ajuda autorizada na década de 90, tudo bem, os anos de 90 estão, literalmente, a anos de luz da realidade anterior à pandemia.

A TAP dos anos 90 investiu fortemente na expansão "lunática" da frota, funcionários e rotas e, como se viu, cai-lhe tudo em cima em pouco tempo. Los Angeles, São Francisco, Varadero, Punta Cana.... faz lembrar alguma coisa?

Um "dejá vu" com o que se passa agora.

A TAP continua "preconceituosa" na sua estratégia, prefere rotas ditas "premium" que disso nada têm devido à forte concorrência que obriga à erosão de yields. Em contrapartida, desprezou, com a utilização dos equipamentos mais antigos e um serviço inferior, rotas onde tinha e continuará a ter um quase monopólio (Nordeste Brasileiro).

Falta de coragem em abrir/reabrir rotas "polémicas", como Lagos, Kinshasa ou Brazzaville, questões de segurança? Não sei, ouras por lá andam e não se queixam.

Depois existe esta ideia que pouco ou nada pode/podia ser operado de outros aeroportos Portugueses... nem sei bem porquê.

Há dois exemplos claros que não se entendem:

Faro - Manchester -» em 2019 quase 530 mil passageiros fizeram esta rota em voos diretos, sendo esta a 10ª rota mais movimentada de MAN

Porto - Basileia -» em 2019 voaram cerca de 103 mil passageiros (10ª rota mais movimentada de BSL) a que se juntam os 101 mil para LIS (12ª rota mais movimentada de BSL). Para terem uma ideia Paris surge em 20º lugar desta estatística.
A TAP reabriu BSL para depois a fechar rapidamente sem que se perceba a estratégia num mercado que gerou quase 205 mil passageiros num ano.

Faro - Escandinávia -» com a SAS a oferecer voos regulares para CPH, GOT, ARN e OSL. Para terem uma ideia ARN operou regularmente todos estes meses de pandemia, dos poucos voos que FAO teve e ainda tem.

FNC/FAO - Londres -» completamente entregue à BAW/EZY/RYR e outras....

Franmed

  • Mensagens: 1714
A cada dia que passa tenho mais nojo dos OCS....

Como é que se escreve que Iberia vai substituir a TAP, quando o que a Iberia vai fazer é um charter ?

Então a TAP não voa para o Porto Santo com voos regulares ? A empresa já não veio confirmar que vai manter a operação regular ?

Ainda há uns anos não era outra empresa espanhola a fazer esse charter ?

https://opcaoturismo.pt/wp/com-a-privilege-style-soltropico-e-abreu-lancam-charter-para-porto-santo/

Agora a lógica é que só a TAP pode fazer voos para Portugal ?

Esse Expresso é cada vez mais lixo...aliás a notícia de capa sobre a vacina é outra pérola
« Última modificação: 26 de Março 2021, 13:10:20 por Franmed »


GoncaloRibas

  • Mensagens: 1427
Aqui vou ter que concordar com o Franmed, parece que a TAP não vai voar para PXO ou Cabo Verde quando na verdade a única coisa que aconteceu foi a Ibéria ou a Sata fazer voos charter.
Entretanto fiz uma simulação para o voo de Sábado para Cancun para perceber a ocupação e não está nada mau, sendo que ainda devem faltar alguns check in. Claro que Load Factor não significa sucesso e há muitos outros fatores, mas podia estar pior. Já agora em jeito de curiosidade, um bilhete só ida neste momento custava pouco mais de 800€
« Última modificação: 26 de Março 2021, 13:39:12 por GoncaloRibas »


Hawks

  • Mensagens: 1133
Obviamente a operação regular para PXO na TAP continua no Verão.

Quanto a Cancun, a ocupação do 1º voo não costuma ser muito representativa, principalmente numa altura em que existe uma série de restrições em vigor. Seria interessante ter acesso a dados da 2ª e 3ªs semanas. Mas por razões óbvias, e regra geral, os números maus não são divulgados aqui.

Snip

  • Mensagens: 466
Eu quando coloquei a noticia não foi parar "atirar lenha para a fogueira". Simplesmente acho incompreensivel como é que uma companhia area como a TAP que está praticamente PARADA nao aproveita toda e qualquer oportunidade para fazer dinheiro apenas isso. Claro que ha sensacionalismo mas caramba, a TAP andava a fazer charters noutros anos com a frota esticada, agora que tem a grande maioria em terra nao os faz porquê?

nunopinheiro

  • Mensagens: 6698
Snip, fazendo de advogado do diabo, mas pode ser que parada perca menos dinheiro... não sei... mas que com o estado a pagar andar a abrir CUN e esta deixar ir para iberia é... estranho... quase que a pedir problemas nos jornais...
« Última modificação: 26 de Março 2021, 14:29:47 por nunopinheiro »


blue_monday81

  • Mensagens: 192
E pensando fora da caixa onde seria possivel a TAP ir buscar rotas com potencial nao desde Lisboa mas tambem do Porto Funchal
e Faro e para os sonhadores Beja.

nunopinheiro

  • Mensagens: 6698
blue_monday81 no Porto tem o mercado emigrante que é bastante resiliente a questões de crises e pandemias. (mas bastante sensível a questão preço) Funchal e Faro, Essencialmente turismo europeu, muita concorrência.

Para alem disso acho que poderia procurar no Porto & Lisboa potenciar rotas finas transatlânticas sem concorrência direta em A321LR.  No Funchal também há o mercado emigrante África do Sul., mas o A330 neo é aparelho a mais para isso.

Se isto fosse fácil qq um fazia. Mas acho que a TAP se quiser ter futuro tem de encontrar mercados sem concorrência e não explorados.
Ponto a ponto europeu é para perder dinheiro contra as LCC deste mundo.
Grandes rotas transatlânticas de grande volume em A330neo para mercados fortes mas com enorme concorrência das ibérias luftansas e demais deste mundo também não. 
Nichos de mercado (thin and longish) num modelo de negocio escalável para la de Lisboa talvez IMO seja o ultimo derradeiro modelo por explorar. O que a TAP tem de parar é tentar copiar as outras aí vai sempre chegar tarde e sem as vantagens competitivos que outros mercados têm.


A321XLR a 4400NM (300 de reserva) a partir de Lisboa
 
Num mundo ideal o A321xlr chegava as 5000 nm que abria muito mercados interessantes

Beja, se a coisa de turismo do Alentejo pagar?... tudo o que eles quiserem...
« Última modificação: 26 de Março 2021, 17:07:23 por nunopinheiro »


Hawks

  • Mensagens: 1133
FNC-LON movimenta mais de 300 mil passageiros / ano e tem o tal mercado de emigração mais reseliente (cerca de 100 mil madeirenses e descendentes residem na zona de Londres). Seria o candidato mais provável, mas com a forte presença da BA que "ficou" com a rota precisamente depois da TAP ter largado, é improvável que haja espaço para a TAP.

FNC-BER e FNC-ZRH são rotas com mercado relevante (embora a uma escala muito menor que LON) e com pouca concorrência.
« Última modificação: 26 de Março 2021, 17:35:54 por Hawks »


GoncaloRibas

  • Mensagens: 1427

brunodias

  • Mensagens: 5506
blue_monday81 no Porto tem o mercado emigrante que é bastante resiliente a questões de crises e pandemias. (mas bastante sensível a questão preço) Funchal e Faro, Essencialmente turismo europeu, muita concorrência.

Para alem disso acho que poderia procurar no Porto & Lisboa potenciar rotas finas transatlânticas sem concorrência direta em A321LR.  No Funchal também há o mercado emigrante África do Sul., mas o A330 neo é aparelho a mais para isso.

Se isto fosse fácil qq um fazia. Mas acho que a TAP se quiser ter futuro tem de encontrar mercados sem concorrência e não explorados.
Ponto a ponto europeu é para perder dinheiro contra as LCC deste mundo.
Grandes rotas transatlânticas de grande volume em A330neo para mercados fortes mas com enorme concorrência das ibérias luftansas e demais deste mundo também não. 
Nichos de mercado (thin and longish) num modelo de negocio escalável para la de Lisboa talvez IMO seja o ultimo derradeiro modelo por explorar. O que a TAP tem de parar é tentar copiar as outras aí vai sempre chegar tarde e sem as vantagens competitivos que outros mercados têm.

[ Anexo inválido ]  
A321XLR a 4400NM (300 de reserva) a partir de Lisboa
 
Num mundo ideal o A321xlr chegava as 5000 nm que abria muito mercados interessantes

Beja, se a coisa de turismo do Alentejo pagar?... tudo o que eles quiserem...

Nuno honestamente se a tap quiser ter futuro não precisa do que dizes, precisa é que o governo continue a meter dinheiro

Resposta rápida

Com a resposta rápida pode escrever uma mensagem quando está a ver um tópico sem carregar uma nova página. Pode, ainda, usar o código BBC e os risonhos como usaria numa mensagem normal.

Nota: esta mensagem não irá aparecer até ter sido aprovada por um moderador.
Nome: Email:
Verificação:

 

Tópicos Relacionados

  Assunto / Iniciado por Respostas Última mensagem
28 Respostas
11977 Visualizações
Última mensagem 19 de Abril 2021, 17:57:23
por LapaG
17 Respostas
8928 Visualizações
Última mensagem 02 de Abril 2021, 23:25:46
por CS-TOD
3 Respostas
2951 Visualizações
Última mensagem 12 de Abril 2021, 17:41:27
por JSilvazito

Total 110+1=111 ms, db 0 ms, php 111 ms